28.9.16

Cirurgia de Catarata: facoemulsifição é nova técnica de cirurgias de catarata


Dispositivo melhora a precisão e personaliza tanto a cirurgia da catarata a laser como a manual, integrando dados do diagnóstico aos instrumentos cirúrgicos.

A doença ocular que mais cresce no Brasil, por conta do envelhecimento da população, é a catarata, opacificação do cristalino do olho.


Um único tratamento efetivo para catarata, vem ganhando cada vez mais precisão. A última novidade em cirurgia de catarata é um dispositivo que permite a portabilidade dos dados do pré-operatório para os equipamentos do centro cirúrgico. Os resultados das cirurgias feitas pelo especialista com esta tecnologia superaram as expectativas dos pacientes. “Um dia após a operação, todos estavam com a visão completamente nítida, e conseguindo ler as minúsculas letras de bulas sem óculos, inclusive uma paciente que antes da cirurgia tinha um astigmatismo bastante importante”, conta gratificado.

Como funciona a cirurgia de catarata por focoemulsão?


Queiroz Neto explica que isso acontece porque o novo dispositivo faz uma verdadeira impressão digital do olho que inclui medidas da curvatura, espessura e superfície da córnea, tamanho da pupila, além de uma imagem do globo ocular com características da íris (parte colorida do olho) e vasos sanguíneos. que influem na visão. Com o envelhecimento, afirma, aumentam as aberrações ópticas, imperfeições que interferem na refração. Por isso, o pré-operatório também inclui a aberrometria ou análise de frente de onda que faz o diagnóstico dessas imperfeições. O médico ressalta que o exame é importante na escolha do tipo de lente a ser implantado porque e guia o cirurgião durante o procedimento. Todas estas informações são transferidas digitalmente para o microscópio no centro cirúrgico, auxiliando na centragem e posicionamento da lente intraocular.

Compatibilidade


A boa notícia é que esta tecnologia é compatível com os microscópios utilizados nas cirurgias de catarata por facoemulsifição com cortes manuais que ainda predominam no país. Por isso, é acessível a um grande número de brasileiros.

Para o especialista o mais importante neste dispositivo é permitir a centragem precisa da lente intraocular. Isso porque, a descentração induz a aberrações ópticas, entre elas o coma. “Olhos com este tipo de imperfeição não se adaptam bem às lentes multifocais”, afirma.


Catarata associada a outras doenças


Na opinião do oftalmologista a nova tecnologia também deve casar com o ORA (Ocular Response Analyser), equipamento capaz de medir a resistência e elasticidade da córnea através de um impulso de ar. O exame é indicado, principalmente, para portadores de glaucoma ou de doenças corneanas que passam pela cirurgia de catarata. Isso porque, nestes casos a córnea pode perder a resistência e sofrer dilatação que interfere na qualidade da visão após a cirurgia.

Cirurgia de catarata: o que vem por aí


O oftalmologista afirma que o laser de femtosegundo foi responsável pela introdução dessas novas tecnologias. A mais recente novidade já disponível na Europa é uma lente intraocular trifocal que elimina o uso dos óculos. Considerando que de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o país tem uma população de 18,1 milhões com mais de 60 anos e 74% desta parcela são economicamente ativos e precisam manter a boa visão, em breve esta lente deve chegar ao Brasil.




Dados mundiais sobre a catarata


A catarata é apontada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como a maior causa de cegueira e tem prevalência mais alta nos países em desenvolvimento, como o Brasil. Só para se ter uma ideia, o censo 2015 do CBO (Conselho Brasileiro de Oftalmologia), aponta que anualmente são 120 mil novos casos e 350 mil brasileiros ficam cegos em consequência da doença.

Agora que você já conheceu a cirurgia de catarata focoemulsão, leia este outro artigo sobre a saúde dos olhos: Por que dos 40 aos 60 anos a visão piora muito?

Fonte: As informações são do oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier

Leia Mais ►

27.9.16

Doenças de profissionais de TI

Como se já não fosse bastante o número de problemas enfrentados pelos profissionais de TI no dia-a-dia, seu trabalho também acarreta ou pelo menos influência alguns outros problemas que podem ser muito preocupantes, como as doenças de profissionais de TI.

Tenha uma certeza se você trabalha com TI ou esta relacionado com ela de alguma forma, seja por obrigação ou por lazer é 110% de chance de você apresentar no minimo uma das doenças mais comuns em profissionais de TI, confira:

Doenças de profissionais de TI


1 – DOR DE CABEÇA


Luz fluorescente e/ou monitores CRT, muitas vezes mal calibrados, podem gerar, em algumas pessoas, dores de cabeça, devido ao efeito flicker. Além disso a pressão do ambiente de trabalho pode piorar uma situação que já não é tão positiva.

Para evitar o problema procure ficar próximo a fontes naturais de luz. Pare de vez em quando para descansar a vista. E para as dores de cabeça por conta de pressão no trabalho, massagens relaxantes são muito eficientes.

Doenças de profissionais de TI
Doenças de profissionais de TI

2 – OBESIDADE


Muito tempo parado na frente do computador, em conjunto com uma vida sedentária, má alimentação, trabalho sobre pressão, muitas horas extras, tudo isso pode levar a obesidade. Na verdade o maior fator de risco de obesidade é a falta de exercícios físicos.

Duas a três horas de exercícios físicos pode ser bastante tempo para quem tem uma vida corrida. Algumas das soluções mais empregadas aqui seria, ir para o trabalho a pé ou de bicicleta.


3 – TROMBOSE


Quem fica muito tempo sentado, seja na frente do computador, ou dentro de um veículo, ou avião, corre o risco de desenvolver algum tipo de trombose ou embolia. Trombose nada mais é que coágulos que entopem veias das pernas (trombose) ou pulmões (embolia).

Este tipo de coágulo aparecem quando uma pessoa passa muito tempo sentado, e podem se alojar em lugares perigosos.Estudos recentes indicam que trabalhos sedentários aumentam consideravelmente o risco de trombose.A solução está em levantar regularmente, dar uma pequena caminhada pelo escritório, esticar as pernas. Aproveitando o pequeno tempo livre para evitar outros problemas também.


4 - FICAR SEM DORMIR


O ritmo de trabalho na área de TI é mais rápido que nas outras áreas. Por conta disso muitos profissionais acabam se privando de parte do sono em nome de mais horas para trabalho e/ou lazer(Eu que o diga). Um dos sintomas são as chamadas micro-sonecas, pequenos períodos de sono, e seu sintoma é facilmente percebido por conta de uma pequena sensação de sonho, alteração da realidade, por um período de tempo bem curto.

Para os casos em que o problema é o tempo de sono, basta dormir um pouco mais cedo, ou alterar os horários de trabalho, conforme possibilidade. Ainda assim existem casos em que o ambiente onde se dorme não tem sido apropriado, muito ruido, calor ou frio excessivo, ronco, parceiro roncando, choro de criança, ou o mais grave, apinéia, podem causar este tipo de sintoma. Caso seja um dos casos, recomenda-se a procura de um bom médico.

5 - LER (lesão por esforço repetitivo)


Muito comum entre operadores, digitadores e programadores, a LER costuma a atacar as mãos e braços dos trabalhadores da área de TI, a mais comum é a Síndrome de Tunel Carpal e Tendinite. Apesar disso existem estudos científico que desassociam tais doenças com o uso contínuo de computador.

Para evitar tais problemas exercícios específicos podem ser utilizados, bem como pausas para descanso durante o período de trabalho. Para algumas categorias profissionais estas pausas estão previstas em legislação específica.

6 – PROBLEMAS DE POSTURA


Dores nas costas, nos ombros, pescoço, na maioria das vezes são consequências de postura indevida, às vezes piorada devido a tensão transferida para os músculos. Para evitar estes problemas procure sentar-se corretamente, policiar-se com relação a sua postura, e além disso procure não enrijecer os músculos numa situação de tensão.

7 - PROBLEMAS DE VISÃO


Trabalhar em frente a tela do computador pode trazer diversos problemas. Devido ao tipo de concentração necessária diante de uma tela iluminada alguns problemas podem se manifestar. Para evitar qualquer tipo de problema futuro com a sua vista mantenha alguns hábitos tais como:

Não deixe de piscar – uma pessoa muito concentrada em uma tela pode, involuntariamente deixar de piscar por alguns instantes, isso resseca os olhos e pode trazer algum tipo de irritação. Policie-se para picar com regularidade, e se necessário utilize um colírio próprio para situações como esta.

Altere o foco – procure focalizar objetos distantes. Ande um pouco, vá até a janela, observe objetos a média e longa distância. Isso ajuda a exercitar a íris.

Visite seu oftalmologista – visitas regulares ao oftomologista é muito importnate para qualquer pessoa que trabalha colocando sua vista em condições extremas como quem trabalha diante de um monitor (CRT ou LCD).


Artigos relacionados:
Alergias;
Dor de Cabeça;
Postura no computador.


8 – VIROSES E INFECÇÕES


Ambiente fechado, com ar condicionado, carpete, teclados sujos, são todos vetores de gripes, resfriados, viroses e infecções. Para evitar problemas com os vírus e bactérias no ambiente de trabalho procure manter alguns hábitos simples como :

Fique em casa quando gripado;
Mantenha limpos sua mesa, teclado e mouse;
Lave bem as mãos e regularmente;
Mantenha-se hidratado.

9 - ALERGIAS


Mesmos os mais imunes a alergias, quando em contato diária com poeira, ou partículas suspensas, pode vir a desenvolver algum tipo de alergia, desde uma simples coriza até sinusite. É o caso de profissionais de manutenção, por mais bem ventilada e limpa, computadores costumam a juntar poeira em seu interior. Mais ainda quando é necessário dar manutenção em algum equipamento em um cliente.

Para evitar o problema uma simples máscara pode resolver, impedindo a respiração de partículas de poeira, principalmente ao se utilizar ar comprimido para remover o excesso de poeira. Outra opção é utilizar um pequeno aspirador, porém tenha sempre o cuidado de utilizar aspiradores apropriados, que não geram cargas eletrostáticas, para evitar danos a equipamentos sensíveis.

Ai esta caro leitor, uma lista com as 10 doenças mais comuns em profissionais de TI, deixarei aqui também um fato que me chamou bastante atenção, mas que acabou não entrando nesta lista; e aposto que você que trabalha com TI sentiu falta deste item na lista…O Estresse.

"Em 2011, a profissão de TI foi considerada a mais estressante pelo instituto de pesquisa Swns. Num outro levantamento, realizado pelo Instituto Datafolha a pedido do Sindpd, houve indicação de que as atividades do setor são cansativas. O estudo mostra que descansar é o hábito mais comum de 93% dos trabalhadores do setor nas horas vagas, sejam eles da capital ou interior e independente do nível de escolaridade".

10 - EXCESSO DE CARGA


Existem também os profissionais que TI que por um motivo ou outro precisam carregar peso, principalmente quem trabalha com infraestrutura. Para evitar problemas físicos, e doloridos, devido a estas atividades, alguns poucos, e simples, cuidados resolvem o problema:

  1. Examine bem o objeto a ser carregado. Verifique o peso e se é possível carregá-lo com firmeza.
  2. Caso não sinta seguro em carregar um objeto muito pesado, procure alternativas. Solicite ajuda, desmonte o equipamento, ou localize as ferramentas necessárias para um transporte seguro.
  3. Não estique os braços ao tentar levantar peso. Isso aumenta a carga sobre a coluna.
  4. Cuidado onde pisa, um pisão em falso com carregando peso pode causar uma lesão grave.
  5. Levante corretamente, não abaixe dobrando a coluna, e sim dobrando os joelhos. Assim é possível reduzir o esforço da coluna, mais frágil, transferindo o esforço para as pernas, mais resistentes.


Fontes:
http://galaxiabinaria.com.br/
artigonal.

Leia Mais ►

26.9.16

Alimentos com ou sem lactose: aberta consulta pública

Dicol aprova Consultas Públicas sobre rotulagem da presença de lactose em alimentos e sobre alimentos especialmente elaborados para indivíduos com intolerância à lactose.

A classificação dos alimentos para dietas com restrição de lactose e os requisitos para a declaração obrigatória de lactose nos rótulos dos alimentos são os temas das duas Consultas Públicas (CPs) que a Diretoria Colegiada (Dicol) da Anvisa aprovou durante reunião pública, ocorrida na última terça-feira (20/9).

Alimentos com ou sem lactose: aberta consulta pública
Alimentos com ou sem lactose: aberta consulta pública

Quanto à classificação dos alimentos


A primeira Consulta Pública refere-se à alteração da Portaria SVS/MS nº 29, de 13 de janeiro de 1998, que dispõe sobre o regulamento técnico sobre alimentos para fins especiais, para incluir artigos com classificações de alimentos para dietas com restrição de lactose. Na proposta, são definidos requisitos de composição e rotulagem para alimentos isentos e com baixo teor de lactose.

Alimentos isentos de lactose


Os alimentos classificados como “Isentos de lactose” são aqueles em que a quantidade de lactose foi reduzida a um valor igual ou menor a 10 (dez) miligramas por 100 (cem) gramas ou mililitros do alimento pronto para o consumo, de acordo com as instruções de preparo do fabricante.

>> Leia também: Perigos do leite de vaca

Já os classificados como “Baixo teor de lactose” são os que tiveram o teor deste açúcar reduzido a uma quantidade igual ou inferior a 1 (um) grama por 100 (cem) gramas ou mililitros do alimento pronto para o consumo. Devem trazer a declaração “baixo teor de lactose” ou “baixo em lactose”, próxima à denominação de venda do alimento. 

Como ficarão os rótulos

Na segunda Consulta Pública, a discussão e contribuição será sobre a obrigatoriedade de declaração de lactose nos rótulos de alimentos, incluindo as bebidas, os ingredientes, os aditivos alimentares e os coadjuvantes de tecnologia. Ainda, os alimentos embalados na ausência dos consumidores, inclusive aqueles destinados exclusivamente ao processamento industrial e os destinados aos serviços de alimentação.

Esses produtos devem trazer a declaração “isento de lactose”, “zero lactose”, “0% lactose”, “sem lactose” ou “não contém lactose”, próxima à denominação de venda do alimento.

>> Leia também: Alimentos inflamatórios, saiba quais são e evite-os

Os rótulos de alimentos que tiverem mais de 10 (dez) miligramas por 100 (cem) gramas ou mililitros do alimento pronto para o consumo deverão trazer a declaração “Contém lactose” imediatamente após ou abaixo da lista de ingredientes com caracteres legíveis e devem também cumprir alguns requisitos propostos na alteração da norma em discussão.

Até o fim da semana, as CPs serão publicadas no Diário Oficial da União (DOU) e pretendem coletar contribuições da sociedade para futuras Resoluções da Diretoria Colegiada (RDC) sobre o tema.

Fonte: Anvisa
Leia Mais ►

As Vitaminas: tudo sobre vitaminas

Escrever e informar sobre vitaminas é, para mim, uma das coisas das quais mais gosto de fazer. Tenho um imenso prazer mesmo, quase como um hobby... uma missão...

Lembro-me de que quando estava no ensino médio (chamado de colegial na época), eu passava horas lendo meus livros de ciência e me aprofundando no conhecimento sobre vitaminas.

"O 'cheiro de que mais gosto' é o cheiro de vitamina B12 e de vitamina B6."

Anos mais tarde, cheguei a recusar passeios com minhas amigas em sábados à noite para poder ler um novo livro sobre vitaminas que eu havia acabado do comprar. Eram livros que tratavam quimicamente das vitaminas, suas estruturas e etc., e também livros que tratavam das vitaminas nos alimentos como as vitaminas das frutas... Mais tarde eu aprenderia como as vitaminas agiam no corpo humano nas aulas da faculdade de farmácia&bioquímica.

As Vitaminas: tudo sobre vitaminas
As Vitaminas: tudo sobre vitaminas / foto: Soorelis

Posso dizer que sou absolutamente aficionada pelo assunto VITAMINAS e minha paixão chega a níveis sensoriais. Eu posso afirmar com certeza que o cheiro de que mais gosto é o cheiro de vitamina B12 e de vitamina B6.

Aroma estes que sentia em minhas aulas de físico-química quando analisávamos tais vitaminas. Cheiro que senti mais tarde quando manipulava medicamentos com tais vitaminas.



Assim, é fácil deduzir que o tema que mais gosto de abordar aqui no site Saúde com Ciência é todo o que se relaciona a elas, as VITAMINAS.

Ainda há muito a escrever sobre o tema, mas... Já faço um convite para que você leia tudo o que já escrevi sobre VITAMINAS.

TUDO SOBRE VITAMINAS nos tópicos a seguir:

As Vitaminas: tudo sobre vitaminas

- Vitaminas do complexo B
- Vitaminas hidrossolúveis
- Vitamina C
- Vitaminas lipossolúveis.

As vitaminas lipossolúveis são:

  1. Vitamina A (betacaroteno,retinol),
  2. Vitamina K (K1/filoquinona e K2/menatetronona),
  3. Vitamina E (tocoferol,tocotrienol),
  4. Vitamina D (ergocalciferol,colecalciferol)
Leia Mais ►

Arroz preto previne reações alérgicas e outras propriedades

Quando pensamos em valor nutricional e propriedades dos diversos tipos de arroz, normalmente, imaginamos nutrientes como carboidratos, proteínas, vitaminas e minerais.

Contudo, uma descoberta recente na comunidade científica é bem adversa da que esperaríamos ser inerente ao grão de arroz. Se bem que não é qualquer arroz, estou falando do arroz preto - também conhecido como arroz escuro - incomum em nossa alimentação.

Arroz preto previne reações alérgicas e outras propriedades
FotoFlickr.

O arroz preto é riquíssimo em antocianinas (aquele antioxidante escuro que dá cor ao feijão preto, leguminosas e frutas roxas e vermelho arroxeadas), sendo benéfico à saúde do coração. O arroz preto ainda é rico nas vitaminas E e e também em ferro.

Mas a maior descoberta é que o arroz preto pode prevenir reações alérgicas respiratórias como asma e rinite alérgica, por suprimir a ação da histamina, a substância que é a grande responsável pelas reações alérgicas.

De acordo com Xu Zhimin, um professor adjunto no Departamento de Ciência dos Alimentos na Universidade Estadual da Louisiana:

..."Uma colher de farelo de arroz preto - ou 10 colheres de arroz cozido preto - contém a mesma quantidade de antocianinas como uma colher de mirtilos. Na verdade, Xu acredita que o arroz preto é mais nutritivo do que blueberries graças ao seu baixo teor de açúcar."

Fonte: Aol-Health.
Leia Mais ►

Dieta do Jejum intermitente (ou dieta 5:2)

Popularizada pelo livro The Fast Diet, do jornalista Michael Mosley, a “intermittent fasting”, também conhecida por aqui como “dieta do jejum intermitente”, também conhecida como dieta 5:2 foi elaborada por uma jornalista.

Dieta do Jejum intermitente
Dieta do Jejum intermitente

O plano alimentar proposto pelo jornalista (note que ele é jornalista e não um profissional da saúde) foi batizado de “5:2”, que significa comer normalmente por cinco dias e, na sequência, comer apenas um-quarto da quantidade diária de calorias por dois dias consecutivos. “Funciona com 500 calorias para mulheres e 600 para os homens”, diz ele, em seu site.

>> Veja a página de dietas do Saúde com Ciência.

Dieta do Jejum intermitente
Dieta do Jejum intermitente

Médicos e nutricionistas dizem que a dieta não traz resultados efetivos. Você pode até emagrecer, mas a restrição pode causar males à saúde e bagunçar o metabolismo.

No livro, o jornalista 'recomenda' o plano alimentar "5:2", com 5 dias de alimentação normal e 2 comendo apenas 1/4 do total diário. Sendo que, como dito acima, nesses 2 dias de quase jejum as mulheres devem ingerir cerca de 500 calorias e os homens 600. Nesses dias, a ingestão de água também deve ser dobrada.

Em entrevista ao jornal The Huffington Post, Mosley afirma que reduziu sua taxa de gordura corporal de 28% para 20% e diz ainda que alguns estudos comprovam a perda de gordura a partir do método.



Resumo:

Dieta do Jejum intermitente


Como seguir a dieta 5:2:

- 5 dias seguidos: se alimente normalmente. (mas sem exagerar em doces, massas e refrigerantes normais)

- 2 dias seguidos: se alimente com 1/4 do que comeu nos 5 dias anteriores e dobre a quantidade de líquidos.


Na contramão

Se pensarmos bem essa dieta vai na contramão daquelas pessoas que comem de tudo no final de semana (2 dias) e fazem dieta durante a semana (5 dias). Entendeu?

Gosto sempre de lembrar que não se deve fazer dietas rígidas ou "da moda" sem conversar com um médico ou nutricionista. A dieta do jejum intermitente não é recomendada por médicos endocrinologistas, nutrólogos e nutricionistas.
Fonte: thefastdiet.co.uk.
Leia Mais ►

Artigos NOVOS:

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner