27.8.16

Músicas negativas sobre velhice prejudicam saúde de idosos

As referências “perder o cabelo” e “definhar” nas canções do Beatles como a clássica When I’m Sixty-Four pode ter um efeito prejudicial sobre a saúde de idosos, segundo pesquisadores. As informações são do site do jornal The Telegraph.

Um trecho da música diz: “quando eu ficar mais velho, perdendo meus cabelos/Daqui a muitos anos/Você ainda irá me mandar presentes no dia dos namorados/Saudações no aniversário, garrafas de vinho?”, e pode ser associada a falta de ser amado na velhice, de acordo com o estudo.

Músicas negativas sobre velhice prejudicam saúde de idosos

Os pesquisadores disseram que conotações negativas sobre o envelhecimento em canções podem afetar a confiança e a autoestima das pessoas mais velhas, que por sua vez poderia levar a outros problemas de saúde.

>> Leia também: Música faz bem para o coração, está comprovado cientificamente

Enquanto outras músicas como Forever Young e Dusty Springfield Goin' Back, de Bob Dylan, retratam o envelhecimento de forma positiva, a maioria não mostra um bom aspecto sobre essa fase da vida.

Os autores explicaram o estudo:

“A idade avançada foi associada com o declínio físico e a velhice foi relacionada à perda do amor, como a canção dos Beatles”.

Eles acrescentaram que músicas como Feeling Mortal , de Kris Kristofferson, retratam as pessoas mais velhas com “autopiedade e falta de autoestima”. Enquanto isso, letras como Because Of , de Leonard Cohen, está associada com situações lamentáveis românticas, de acordo com os autores do estudo da Anglia Ruskin University e da Universidade de Hull, ambas no Reino Unido.

Os acadêmicos avaliaram letras de canções dos anos de 1930 até os dias atuais do idioma inglês e que falavam sobre o avanço da idade ou envelhecimento. O estudo foi publicado no no Journal of Advanced Nursing .

Das 76 canções que se ajustavam a esse critério, 72% foram consideradas “negativas”, pois abordaram temas como a fragilidade, solidão e morte. Os autores disseram que a década com maior proporção de canções negativas foi a de 1980, onde cerca de quatro quintos das músicas que cobriam o tema do envelhecimento foram feitas de forma indesejável.

“Com um aumento significativo na expectativa de vida e um enorme aumento do número de pessoas com 65 anos ou mais durante as próximas décadas, o envelhecimento é uma questão de importância nacional e global”, 

Disse Jacinto Kelly, professor de enfermagem da Anglia Ruskin University e um dos autores da pesquisa.

“No entanto, a maioria das pesquisas se concentram em doenças relacionadas com a idade, em detrimento de examinar as influências sociais e culturais sobre a experiência de envelhecimento”, disse.

“As representações negativas de idade e envelhecimento podem ser desanimadoras, e podem afetar a confiança e a estima das pessoas mais velhas. As emoções negativas sentidas por elas estão ligadas a resultados ruins em saúde mental e física, em particular, com a saúde cardíaca”, explicou.




“A medida que a música popular é um poderoso meio de massa que tem efeitos positivos e negativos sobre as emoções das pessoas, nós pensamos que seria útil investigar como a idade e envelhecimento é retratado. Infelizmente, a partir desta análise, encontramos representações principalmente negativas”.

>> Leia também: Músicas que melhoram o sistema imunológico

“Embora possa ser uma tarefa impossível, bem como uma violação da liberdade de expressão, de censurar retratos negativos da velhice, é importante que haja conscientização e que reduzam esses estereótipos negativos”, concluiu.


Leia Mais ►

Dicas para enfrentar o pós-operatório de cirurgias plásticas

Após passar por uma cirurgia plástica, é essencial que o paciente tenha muita paciência.

Dependendo do procedimento feito, os resultados podem não ser imediatos e, mesmo após o retorno para a sua casa, são necessários cuidados especiais para que o resultado da operação seja o melhor possível e esse período seja menos dolorido.

Ficar com hematomas e com o corpo dolorido e inchado, são acontecimentos que comumente atingem os pacientes que passaram por cirurgias plásticas, assim como recomendações genéricas para praticamente qualquer procedimento, como o repouso por alguns dias e o retorno para consultas pós-operatórias.
Dicas para enfrentar o pós-operatório de cirurgias plásticas

Dicas para enfrentar o pós-operatório de cirurgias plásticas

Cuidados com o pós-operatório de cirurgias plásticas


“Após a operação, o corpo permanece inchado e dolorido durante um tempo, dependendo do procedimento que foi realizado. Para fazer com que o inchaço diminua e esse período se torne mais confortável, além das sessões de drenagem linfática e do uso de malhas de compressão, manter uma dieta balanceada é ideal, pois existem alimentos que podem ajudar na recuperação do paciente”, explica o Dr. Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico da Clínica Michelangelo, de Curitiba – PR.

ALIMENTAÇÃO

O especialista comenta que, com uma dieta que possua os alimentos certos, o período pós-operatório se torna mais fácil. “Nessa fase o ideal é ingerir alimentos que ajudem a amenizar o inchaço e facilitem a atividade intestinal, pois o paciente ficará certo tempo de repouso”, diz.

A coisa mais importante de tudo é beber muita água. Sucos naturais e frutas como melancia, melão e abacaxi se encaixam nessa categoria. São alimentos que ajudam a hidratar o organismo, compensar a perda de líquidos e diminuir o inchaço causado pela cirurgia. Outros alimentos citados por Pacheco como benéficos nessa fase são os iogurtes, ovos, abacate, cenoura, beterraba, abóbora, cenoura, damasco, manga, espinafre, couve, tomate, uva, goiaba, castanha-do-pará, salmão e atum, fibras e shimeji e shitake.

“Cada um desses alimentos possui uma função diferente. O iogurte, por exemplo, ajuda no equilíbrio da flora intestinal. O ovo fornece proteínas e é de fácil digestão. O abacate acaba com o mau colesterol, combate os radicais livres, regula o intestino e possui betacaroteno, vitaminas A, B, C, D, E, proteínas, cálcio, magnésio, fósforo, ferro e potássio. Outro alimento essencial é o suco de limão, pois o limão retém a hemoglobina, evitando a anemia. E por aí segue”, comenta.

Porém, assim como existem alimentos que ajudam nesse período, também existem aqueles que fazem o efeito contrário e podem dificultar mais a sua recuperação. “Os doces e chocolates podem ser considerados dois vilões nessa fase. Além de não contribuírem para a digestão, eles ainda são fonte de gordura e açúcar em grande quantidade. Além disso, os doces também podem levar a um colapso de energia e causar cansaço”, exalta.

Outros alimentos que devem ser evitados são aqueles que possuem gorduras saturadas ou trans – presentes nos salgadinhos de pacote, na batatinha frita das lanchonetes fast-food, na maioria das margarinas, na pipoca de microondas, nos bolos e tortas industrializadas e nas bolachas recheadas, - cafeína, carne vermelha, bebidas alcoólicas, sal em excesso e alimentos fermentativos, como o feijão, a lentilha, o grão-de-bico e o repolho.
Leia Mais ►

26.8.16

Casca de Jabuticaba para que serve?

Pesquisa  da Universidade de Campinas mostrou que os benefícios da casca de jabuticaba tem são inúmeros, mais até do que se imaginava.

Segundo o estudo, as substâncias mais benéficas estão na casca da jabuticaba fruta, responsável pela prevenção do envelhecimento, de dois tipos de câncer e da diabetes tipo 2.

Casca de jabuticaba para que serve?

As propriedades da jabuticaba se devem aos compostos e nutrientes presentes na fruta.

Casca de Jabuticaba para que serve
Casca de Jabuticaba/foto.

No envelhecimento celular


A casca da jabuticaba é rica em compostos fenólicos, como os taninos, substância responsável pela cor escura da casca. Eles atuam como anti-oxidantes, retardando o envelhecimento das células, como também apresentam outros benefícios.

No funcionamento intestinal e para emagrecer


A casca de jabuticaba também tem outras substâncias bem conhecidas, como a Vitamina C e vitaminas do Complexo B. Além disso, têm alto teor de fibras, que aumentam a sensação de saciedade e ajudam o intestino a funcionar melhor. Também ajudam nas dietas para perder peso.

No Câncer


A casca da jabuticaba reduziu em 50% o crescimento de células de leucemia e de câncer de próstata nas amostras do estudo. (importante: nunca substitua o seu tratamento convencional por um tratamento alternativo, eles são apenas complementares).


No Diabetes


A pesquisa também revelou que o consumo diário pode reduzir em 10% o nível de glicemia e colesterol do sangue, o que ajuda a prevenir a diabetes tipo 2, entre muitas outras doenças. Os resultados também chamaram a atenção de pesquisadores internacionais, e foi publicada em duas importantes revistas do exterior.

Como foi a pesquisa que determinou os benefícios da casca de jabuticaba


Os pesquisadores transformaram a casca da fruta em pó e usaram este pó em diferentes fases da pesquisa.

Como aproveitar as propriedades da casca da jabuticaba


De acordo com o estudo dez unidades (10) por dia de jabuticaba com casca já nos traz inúmeros benefícios. Antes de consumir a jabuticaba com sua casca, higienize-a corretamente e se não conseguir mastigar a casca use-a em receitas como tortas (pique-as e acrescente na torta) ou em sucos.





SUCO ANTIOXIDANTE COM CASCA DE JABUTICABA


Ingredientes

- 1 copo de 200 ml com cascas de jabuticabas (lavadas)
- 2 fatias grossas de abacaxi sem casca
- 1 copo americano de água filtrada
- adoce a gosto

Bata todos os ingredientes no liquidificar coe e beba imediatamente para não perder as propriedades.


Mais um pouco sobre a jabuticaba...


A jabuticaba é uma fruta típica brasileira e o nome científico da jabuticaba é Myrciaria cauliflora. Pelo fato das frutas da jabuticabeira nascerem já a partir de ao redor do tronco baixo, a colheita é facilitada, assim como o acesso até pelas crianças.


Leia Mais ►

25.8.16

Vinho tinto protege contra raios UV

E mais um benefício é atribuído a ele... Ao vinho tinto, que de tantos benefícios já é quase um remédio.

Dessa vez os cientistas descobriram que o vinho tinto protege contra os raios UV, em outras palavras o vinho pode ser considerado como um filtro solar. Pesquisadores da Universidade de Barcelona publicaram os resultados da pesquisa no Journal of Agricultural and Food Chemistry.

Segundo eles, a uva tem o poder de proteger a pele dos raios UV, os quais causam câncer de pele, queimaduras solares e envelhecimento precoce. No texto não ficou claro se a proteção é contra UVA-UVB-UVC ou contra todos eles.

Vinho tinto protege contra raios UV
Vinho tinto protege contra raios UV

Os flavonoides, como o resveratrol e a quercetina, encontrados no vinho (principalmente nos vinhos tipo Cabernet, Syrahs Petite e Pinot Noir) agem como um verdadeiro escudo para as células em risco de falência devido à exposição aos raios ultravioleta.




Comentário Saúde com Ciência sobre o vinho e os raios solares UV

Vale lembrar que os flavonoides também estão presentes no suco de uva feito sem tirar as cascas (depois você pode coar), sendo uma excelente opção para quem não pode ou não gosta de bebidas alcoólicas. Outra dica que parece óbvia, mas que não custa nada lembrar é que não devemos substituir o protetor solar pelo vinho, ou seja, o filtro solar deve - sempre - ser usado. O vinho irá ajudar na proteção contra os raios UV.

Artigos relacionados ao vinho ou aos raios solares

-  Vinho aumenta a expectativa de vida em......
-  Tudo sobre a Radiação Solar
-  Patê de vinho tinto (em meu blog de receitas)

Fonte: ACS publications.

Leia Mais ►

Peeling Químico: Tipos de peelings químicos

O outono que se aproxima é uma boa época realizar um peeling que trata as manchas adquiridas na exposição solar, pigmentação irregular, sardas, marcas de acne, marcas de expressão e até as rugas.

Com uma temperatura mais baixa e com pouca exposição solar, o cenário é perfeito para a realização de peelings químicos com um risco de intercorrências bem menor.

Mas o que é peeling?


A palavra peeling vem do verbo inglês to peel (pelar, descamar, esfolar, desprender - foto).

O que é peeling químico?


Peeling Químico
pele descamando/foto.

É um tratamento que melhora a textura da pele com a utilização de uma solução química e também é uma das melhores opções não-invasivas para melhorar o aspecto da pele do rosto.

Peeling Químico


- Tipos de peeling químico


Peeling de Ácido Retinóico


Indicação: Pele clara e muito envelhecida sem vasinhos
Benefícios: Rugas amenizadas
Higienização: X
Desengorduramento: X
Aplicação: Ácido retinoico a 5%
Remoção: Retirar em casa, após quatro horas, com sabonete neutro
Tempo 2-3 minutos
Hidratação: X
Proteção solar: X
Efeito: Descamação e leve rubor
Resultado: 3-4 dias
Fonte: Dr. Paulo Kogake, médico esteta e diretor da Clínica Kogake
Foto: Getty Images

Peeling de Ácido glicólico


Indicação: Pele clara Pele morena
Benefícios: Esfoliação
Higienização: X
Desengorduramento: X
Aplicação: Ácido glicólico a 50%
Remoção: Água mineral
Tempo 2-3 minutos
Hidratação: X
Proteção solar: X
Efeito: Pele levemente avermelhada
Resultado: Dia seguinte 3-7 dias






Peeling com Ácido Mandélico


Indicação: Pele morena
Benefícios: Regularização da pigmentação
Higienização: X
Desengorduramento: X
Aplicação: Ácido mandélico a 50%
Remoção: Retirar em casa, após quatro horas, com sabonete neutro
Tempo: 2-3 minutos
Hidratação: X
Proteção solar: X
Efeito: Descamação
Resultado: 3-7 dias

Leia Mais ►

24.8.16

Hipertensão atinge 30% dos brasileiros de 50 a 68 anos

Geração Baby Boomers é a mais afetada pela hipertensão, aponta estudo da Sul América

A hipertensão arterial, também conhecida por pressão alta, é uma doença crônica caracterizada pela tensão acima do normal exercida pelo sangue contra as paredes das artérias, lesionando a camada fina e delicada que recobre os vasos sanguíneos. Com o passar do tempo, esse movimento pode ocasionar o entupimento ou rompimento de um vaso, levando a complicações como insuficiência renal, infarto ou até derrame cerebral, conforme o órgão atingido. [hipertensão arterial sistêmica: entenda o que é]

O desafio é grande: uma pesquisa recente da SulAmérica sobre hábitos de saúde dos brasileiros mostra que a pressão alta é a principal condição médica relatada pelas diferentes faixas etárias.

Hipertensão atinge 30% dos brasileiros de 50 a 68 anos
sal

V Estudo Saúde Ativa Gerações de hipertensão arterial


O estudo aponta que a geração Baby Boomers, formada por adultos de 50 a 68 anos, como a mais hipertensa, acometendo 30,1% dos entrevistados. A diferença é significativa em relação aos demais grupos etários: a pressão alta atinge 11,8% dos adultos de 38 a 49 anos, 3,3% dos que estão entre 24 e 37 anos, e 0,9% do jovens de até 23 anos, compondo as gerações X, Y e Z, respectivamente.

>> Leia também: Sódio nos Alimentos: alimentos que contêm sódio em excesso

Outro dado que merece destaque é o percentual de pessoas que desconhecem ter o problema: 12% dos Baby Boomers que apresentaram medição elevada da pressão arterial declararam não possuir a doença.

Principal causa de mortes no mundo, o quadro de hipertensão geralmente está associado à hereditariedade ou a outras complicações médicas adquiridas em virtude de maus hábitos de saúde ao longo da vida, como obesidade, diabetes e colesterol.

O estudo apurou que as gerações mais jovens apresentam níveis preocupantes de estresse e sedentarismo, por exemplo, colocando em xeque o envelhecimento saudável desses grupos. A geração Y reúne os mais altos índices de estresse, que atinge 37,1% dos entrevistados, seguida pela geração Z, com 35,9%. Além disso, todos os grupos apresentaram elevados níveis de sedentarismo, entre 58,7% e 63,9%, com índices de inatividade superiores na chamada geração X.

Complemente sua informação lendo o artigo: "Hipertensão arterial: riscos da pressão alta".

Leia Mais ►

Artigos NOVOS:

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner