1.2.09

SP proíbe venda da pílula Nociclin

A Secretaria de Estado da Saúde proibiu a venda e distribuição do anticoncepcional Nociclin e também decidiu interditar, de forma cautelar, cinco lotes da pílula, com 164 mil cartelas --o equivalente a 3,4 milhões de comprimidos--, informa a repórter Cláudia Collucci, em matéria publicada na Folha.

(a reportagem está disponível apenas para assinantes do jornal e do UOL).

A decisão, publicada hoje no "Diário Oficial" do Estado, foi baseada em exames do Instituto Adolfo Lutz que revelaram problemas em amostras do produto, que poderiam tornar ineficaz a prevenção da gravidez, segundo a secretaria.

O Nociclin está na lista do Programa Farmácia Popular, do governo federal, mas a EMS --fabricante do anticoncepcional-- informou que os lotes interditados não foram comercializados no varejo.

Segundo o Ministério da Saúde, 20 milhões de cartelas de Nociclin foram distribuídas em nove Estados brasileiros por meio do programa Saúde da Mulher. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ainda não decidiu se vai suspender o anticoncepcional nesses Estados.
Outro lado

Por meio de nota, o laboratório EMS informou ontem que realizou testes nos lotes de Nociclin antes de entregá-los ao Ministério da Saúde e que todos eles apresentaram resultados satisfatórios, comprovando a qualidade do produto.
A EMS mantém um canal de atendimento às usuárias do medicamento pelo telefone 0800-191914, para o esclarecimento de dúvidas e informações, com funcionamento diário das 8h30 às 20h.
fonte: Folha de São Paulo

Leia a mesma reportagem do Estadão

A Secretaria de Estado da Saúde proibiu por 90 dias a venda de cinco lotes do anticoncepcional Nociclin, do laboratório EMS, nas farmácias de São Paulo. Análise do Instituto Adolfo Lutz em 3,4 milhões de pílulas indicou que o remédio pode falhar. O Nociclin é vendido em todo o País, inclusive no programa federal Farmácia Popular.

A fabricante EMS também produz o Contracep, interditado de novembro de 2007 ao fim de 2008 por ineficácia. Na época, sete usuárias engravidaram. O laboratório informa que cumprirá as determinações, mas que os lotes interditados do Nociclin “não foram comercializados no varejo, sendo seu único destino o Ministério da Saúde”.O ministério enviou cinco lotes do Nociclin para programas de planejamento familiar de municípios paulistas com menos de 500 mil habitantes. Antes da entrega, testes foram feitos e os problemas detectados. O governo federal repassou 20 milhões de unidades para Fortaleza, Teresina, Belém, Recife, Boa Vista, Feira de Santana, Juiz de Fora, Osasco e Amapá, mas, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nenhuma outra vigilância sanitária notificou irregularidades.
Fonte: Fernanda Aranda / Agência Estado

Artigos relacionados...
Anticoncepcionais, tudo sobre
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner