8.4.09

Sibutramina - Ação, nomes comerciais e novas normas

Artigo atualizado em 30/03/2010, quando a sibutramina e todos os medicamentos produzidos com a substância passaram a pertencer à lista B2 portaria 344/98, devendo ser vendida com retenção da notificação (receita) azul, de acordo com a RDC 13/2010 (ver abaixo).

O que é o medicamento sibutramina, qual sua açao e nomes comerciais.


A sibutramina é um medicamento para obesidade e excesso de peso, ou seja a sibutramina é um remédio para emagrecer.

Nomes comerciais da sibutramina:


A sibutramina é vendida com os seguintes nomes comerciais principais: Plenty(C1) e Reductil(C1), além dos genéricos. Todos eles são vendidos com retenção de receita (C1) receita branca acompanhada de notificação Azul B2 (a partir de 30 de março/2010)*, portaria 344/98.

A sibutramina age inibindo a recaptação da serotonina o que aumenta a disponibilidade deste neurotransmissor em nível cerebral. Como não há um estímulo à produção da serotonina (apenas inibe a sua recaptação), trata-se de um mecanismo de ação bem mais seguro por não haver risco de produção excessiva.

A ação principal da sibutramina esta em aumentar a sensação de saciedade do indivíduo criando condições para uma mudança duradoura dos hábitos alimentares.

Em pessoas compulsivas, a sibutramina contribui para diminuir os episódios de compulsão por doces, chocolates e carboidratos.

A sibutramina não causa dependência e não possui potencial de abuso. É considerada uma alternativa segura para o tratamento de excesso de peso não apenas pelo grande número de estudos científicos mas também pela observação diária na prática clínica. Além disso, foi o único medicamento antiobesidade de ação central aprovado para uso a longo prazo pelo FDA (Food and Drug Administration).

Quando bem indicada e com supervisão médica, a sibutramina geralmente é segura e bem tolerada. Os efeitos colaterais mais observados são boca seca, intestino preso, dor de cabeça, sudorese e alterações do sono. Apesar de serem geralmente transitórios, na presença de efeitos colaterais persistentes ou com uma intensidade que incomode as atividades diárias, deve-se entrar em contato com o médico para se avaliar a necessidade de ajuste da dosagem ou até mesmo a suspensão da medicação.

Como os medicamentos agem através de receptores, os resultados podem variar entre indivíduos e, assim, tanto a sua indicação quanto os ajustes das dosagens devem ser feitos por médicos com experiência no manejo desta substância. Os melhores resultados são obtidos quando o paciente participa ativamente do processo de tratamento usando a medicação com regularidade, respeitando as doses e horários prescritos, não interrompendo seu uso precipitadamente e comunicando sempre suas dúvidas ao médico.

A prescrição do medicamento deve estar sempre associada a um programa de reeducação alimentar e estímulo à atividade física.

* Para regulamentar a mudança, foi publicada a RDC 13/2010. Devido ao maior risco associado a pacientes cardíacos a siutramina passou da lista C1 para a B2.

Complemente sua leitura sobre sibutramina e medicamentos emagrecedores com os artigos...

Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner