18.7.14

Stilnox , Lioram, Ambien (Zolpidem - generico)

Zolpidem (Tartarato de Zolpidem ou Bi-tartarato de Zolpidem) é um fármaco hipnótico (indutor do sono, ou seja são "remédios para dormir"), do grupo das imidazopiridinas, não-benzodiazepínico, de rápida ação e de curta meia-vida.

É utilizado para tratamento da insônia.
  • Stilnoct
  • Stilnox
  • Noctiden
  • Tartarato de Zolpidem (Genérico)
  • Ambien
  • Hypnogen
  • Zolfresh
  • Myslee
  • Lioram

Veja Bula abaixo

Nomes comerciais
Stilnox
Zolpidem

Ação
Indutor do sono não-benzodiazepínico


Composição - Zolpidem 10 mg.

Indicações - Insônia de curto prazo (ocasional, transitória).

Contra-indicações - Gravidez, lactação e em crianças com menos de 15 anos.

Precauções - O desenvolvimento de farmacodependência não pode ser excluído. Alguns fatores podem favorecer esse desenvolvimento: duração do tratamento, dose administrada, associação com psicotrópicos, ansiolíticos, hipnóticos, álcool e antecedentes com outras dependências, medicamentosas ou não. Estudos disponíveis até o momento não indicam a existência de insônia de rebote sob condições normais de uso.

A associação com benzodiazepínicos é desnecessária e arriscada, qualquer que seja a indicação, aumentando a possibilidade de dependência. Os pacientes devem ser orientados de que a duração do tratamento é limitada, não devendo ultrapassar 4 semanas.

Embora estudos clínicos com doses terapêuticas não tenham evidenciado alterações nos processos cognitivos, a possibilidade de ocorrência de amnésia anterógrada dose-relacionada não pode ser excluída, em particular quando o sono é interrompido (despertar precoce devido a um fator externo) ou quando o ato de deitar-se é retardado, após a tomada do produto.

A duração do tratamento com o medicamento Zolpiderm deve ser definida em função da indicação (ver Posologia). O zolpidem usado isoladamente não se constitui em tratamento para a depressão ou ansiedade, podendo mascarar seus sintomas. Bebidas alcóolicas são rigorosamente desaconselhadas durante o tratamento. Uso em idosos: Ver Posologia. Estudos de farmacologia humana e animal não demonstraram efeitos sobre os centros respiratórios; todavia, o uso de zolpidem em pacientes com insuficiência respiratória severa deve ser realizado com cautela.

 Em pacientes com miastenia, o zolpidem só deve ser empregado sob rigorosa vigilância médica. Em presença de insuficiência hepática, pode ser necessária redução na dosagem. Quando da interrupção do tratamento com zolpidem, insônia de rebote e sintomas de abstinência não podem ser completamente excluídos. O paciente deve ser informado e, caso necessário, interromper o uso do produto progressivamente, com decréscimo ou espaçamento das doses durante vários dias. Pacientes que dirigem ou que operam máquinas devem ser alertados sobre a possibilidade de risco de sonolência com o uso do produto.

Interações - Associações a serem evitadas:

Álcool. Associações que devem ser monitoradas cuidadosamente: Outros depressores do SNC.

Reações adversas -

Relacionam-se com a dose e a suscetibilidade de cada paciente (em particular, idosos). Estas reações geralmente ocorrem na hora seguinte à tomada do medicamento, caso o paciente não vá para a cama e adormeça imediatamente: episódios de confusão, amnésia anterógrada, problemas de percepção visual (alucinações hipnagógicas), sensação de vertigem, instabilidade na marcha, agitação noturna, excitação, cefaléias, pesadelos, sonolência diurna. Raramente foram observadas dores abdominais, náuseas, vômitos, diarréia, mal-estar, quedas, insônia com a suspensão do tratamento, erupções cutâneas, prurido e casos excepcionais de dependência (ver Precauções).

Posologia - O tratamento não deve exceder 4 semanas, incluindo o período de possível redução na dosagem. Em adultos: Insônia ocasional: 2 a 5 dias; insônia transitória: 2 a 3 semanas. A administração deve ser realizada sempre imediatamente antes de deitar.

Adultos com menos de 65 anos: A posologia deve ser adaptada individualmente, sendo a dose usual de 1 comprimido (10 mg) ao deitar. Adultos com mais de 65 anos: O tratamento deve ser iniciado com meio comprimido (5 mg) e a dosagem total não deve exceder 1 comprimido de 10 mg.

Superdosagem - Dados disponíveis mostram somente alterações da consciência leves e transitórias, sem depressão cardiorrespiratória (mesmo em altas doses). O prognóstico é benigno, na ausência de qualquer associação com outras drogas psicotrópicas. Conduta: Transferência para um centro especializado, vigilância dos parâmetros cardiorrespiratórios e possibilidade de lavagem gástrica.

Apresentação - Caixas com 10 e 20 comprimidos.

Para informações mais detalhadas, vide bula ou consulte através do telefone: 0800-213141.
SANOFI-SYNTHELABO Ltda.
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner