13.9.10

Veneno de abelha pode virar medicamento para artrite

Muitos dos medicamentos surgiram a partir de crendices populares. O veneno da picada de abelha é utilizado por alguns apicultores e terapeutas para tratar artrite (uma inflamação reumática aguda das articulações).

Agora, o tratamento com veneno de abelha está prestes a ganhar respaldo científico e se transformar em medicamento. A alergologista Izabella Rached, da Faculdade de Medicina da USP testou em coelhos o efeito anti-inflamatório do veneno, cuja substância potencialmente com efeitos farmacológicos anti-inflamatórios é a apitoxina da abelha.


A apitoxina mostrou ser eficaz, tendo seu efeito comprovado quando aplicado nos animais, diminuido a dor em casos de processos inflamatórios. A diminuição da dor está diretamente ligada ao um cortisol glicocorticóide.

O veneno da abelha causa uma inflamação local aumentando o nível do glicocorticóide naturalmente produzido em nosso organismo (endógeno) fazendo com que a artrite perca força.Os resultados são preliminares e ainda não há data para o veneno (remédio popular) virar medicamento aprovado.

Outro estudo com o veneno de abelha já havia sido realizado anteriormente nos Estados Unidos com 108 pacientes com artrite que não respondiam com tratamentos tradicionais. Foram administradas doses do veneno duas vezes por semana durante seis semanas e os pacientes rigorosamente monitorados a fim de se observar quaisquer reações alérgicas que poderiam ser fatais. Muitos desses pacientes apresentaram melhoras significativas. (Beck 1997; Broadman 1997; Lee et all 2004). Os estudos apenas foram realizados com pacientes comprovadamente não alérgicos ao veneno de abelha.

O Saúde com Ciência ressalta que o veneno de abelha pode matar devido a reações alérgicas perigosas e NÂO deve ser utilizado como remédio.
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner