21.11.16

Abuso de antibióticos leva ao aparecimento de superbactérias

Muito antes de me tornar profissional da Saúde, presenciava, incrédula, as inúmeras prescrições de antibióticos sem que houvesse absoluta necessidade para tal.

Os antibióticos, como o próprio nome diz: anti-bio (anti-vida), se prestam a matar formas de vida, ou seja micro-organismos invasores. Ora, para isso é preciso que haja uma bactéria invasora. Mas o que eu via era, citando como exemplo, a seguinte situação:

Abuso de antibióticos leva ao aparecimento de superbactérias
Abuso de antibióticos leva ao aparecimento de superbactérias

1) O paciente vai ao médico - geralmente ao pronto-socorro - e relata estar sentindo dores na região da garganta, o médico - quando o faz - examina o paciente e vê uma simples inflamação (região vermelha, levemente inchada e quente).

2) Prescreve, via injetável ou oral, um antibiótico. Isso está errado.


QUANDO PRESCREVER UM ANTIBIÓTICO


Para se prescrever um antibiótico é necessário que na anamnese o médico verifique os sintomas:

- febre de no mínimo 38º (o que significa que há uma infecção)
- pontos brancos (pus) na garganta
- que ao apalpar os linfonodos da região da garganta, o paciente sinta dor.

Usava-se o antibiótico para prevenir a infecção. ERRADO.


Abuso de antibióticos leva ao aparecimento de superbactérias


O uso indiscriminado de antibióticos faz com que as bactérias que não morram no ataque, fiquem resistentes àquele determinado antibiótico. Essas bactérias se multiplicarão e será necessário utilizar outro antibiótico para matá-las. Criou-se as bactérias resistentes Com o tempo as possibilidades de medicamentos eficazes contra estas bactérias vão diminuindo. Pronto. Criam-se as superbactérias.

E como aqui explicamos de uma forma que todos possam entender, vou fazer uma comparação: Imagine que você use um determinado inseticida contra um formigueiro, você já reparou que algumas formigas não morrem? Essas formigas irão se multiplicar e suas filhas também não irão morrer com esse inseticida. Pronto. Criou-se uma linhagem de formigas resistentes a esses venenos. [Leia maino livro "Bacteriologia Clínica".]


Indicação de antibióticos em farmácias, NÃO pode!






Sabemos que muitas pessoas por não quererem esperar por meses por uma consulta nos hospitais públicos procuram orientações em drogarias. Isso é uma prática comum e antiga.

Está errada (no caso de antibióticos), mas muitas pessoas se utilizam da auto-medicação consciente que deve ser conduzida por um farmacêutico (não pelo balconista), mas apenas de medicamentos SEM tarjas, normalmente os que ficam fora do balcão, nas gôndolas. Antibióticos não podem ser indicados em farmácias, apenas um médico pode prescrevê-lo e seria recomendável que o fizessem apenas após um antibiograma.
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner