14.10.16

Maconha precipita a esquizofrenia e outros distúrbios psicóticos

"Maconha pode acelerar o aparecimento de distúrbios psicóticos, como a esquizofrenia."

Usuários da droga maconha podem apresentar os sintomas da esquizofrenia e de outros quadros psicóticos quase três anos antes do que apareceria. A conclusão veio a partir de uma análise de estudos científicos sobre o assunto.

Relação Maconha e Psicose

Pesquisadores da Universidade de New South Wales e Prince of Wales Hospital, na Austrália, analisaram 22 mil portadores de distúrbios psicóticos – sendo que 8.167 participantes também eram usuários da droga maconha. As pesquisas compararam a idade de início da psicose entre os dois grupos.

Dentre os participantes, os que usaram algum outro tipo de substância desenvolveram psicose cerca de dois anos mais jovens, enquanto o uso apenas de álcool não foi associado com a idade de início da psicose.
Segundo os pesquisadores, a relação é feita, possivelmente, através de uma interação entre os distúrbios genéticos e do ambiente, ou interrupção do desenvolvimento cerebral.

Conclusão:

Droga X tempo em que apareceu o distúrbio psicótico

-Maconha x 2,7 anos antes
-álcool x não teve relação
-outras drogas x 2 anos antes

O transtorno psicótico pode ser desencadeado pela alteração na concentração de neurotransmissores (substâncias que ajudam na transmissão de impulsos nervosos), causada pela droga, o que desregularia o funcionamento cerebral.

Se a erva possuir benefícios medicinais, como outros estudos defendem, definitivamente não estão no cigarro de maconha ou no consumo aleatório da substância e sim em medicamentos que podem surgir com a substância. Os estudos foram publicados na revista Archives of General Psychiatry.

Leia também...
Maconha diminui dor crônica,
Remédio similar à maconha preserva memória na velhice.

Links patrocinados

    - CURSOS DE PSICOLOGIA
    Cursos Online na área de Psicologia


    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

    Assine nossa newsletter

    Enter your email address:

    Delivered by FeedBurner