22.4.11

Beijupirá: Cação de Escamas de Pernambuco

PE - Projeto Cação de Escamas (Fazenda Marinha)

O projeto "Cação de Escama", nome popular do beijupirá (ou bijupirá), é a primeira iniciativa a atender pescadores artesanais no Nordeste em piscicultura em gaiolas. O projeto Piloto, que beneficiará as colônias Z-1, no Pina, Z-25, em Piedade, e a Associação dos Pescadores de Barra de Jangada, A-13, receberá investimentos da ordem de R$ 2,2 milhões e contemplará cerca de 120 pescadores.

No projeto piloto, quatro gaiolas serão instaladas em alto-mar a uma profundidade de seis metros, a cerca de oito quilômetros em linha reta da costa do Recife, em frente à praia de Boa Viagem. Cada compartimento terá capacidade de 1,2 mil metros cúbicos e a estimativa de produção é 10 quilos/metro cúbico.

O projeto é coordenado pelo Departamento de Pesca e Aquicultura da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE e tem como parceiros o Ministério da pesca e Aquicultura - MPA, que financia boa parte do recurso, o SEBRAE, o Instituto Agronômico de Pernambuco - IPA e empresas privadas.

beijupirá cação de escamas
Bijupirá (cação de escamas)
De acordo com o engenheiro de pesca e extensionista rural do IPA, Gilvan Paes de Lira Júnior, o cultivo de espécies como o bijupirá tem a capacidade de elevar a oferta do pescado no mercado, reduzindo os preços e inviabilizando sua captura.

As unidades, adquiridas no Chile, já estão em fase de montagem no Armazém 15, do Porto do Recife. “Uma das maiores vantagens do bijupirá é ser uma espécie nativa da costa nordestina de rápido crescimento, alcançando cinco quilos após um ano de cultivo”, acrescentou

Ele disse que o cultivo de peixes marinhos proporcionará uma excelente opção de renda para as comunidades pesqueiras que poderão, a partir daí, conciliar a maricultura com a pesca, melhorando desta forma sua qualidade de vida. As expectativas são de que, em breve, ocorra o povoamento das gaiolas com os alevinos de bijupirá.

Fonte: IPA e Agência SEBRAE




Vantagens do cultivo do Bijurá (ou Beijupirá)
Trata-se de um peixe muito semelhante ao tubarão, porém de menor tamanho. Seu crescimento é rápido e após 1 ano o peixe bijupirá atinge o tamanho de 4 a 5kg já pode ser consumido.Vídeo: Globo Vídeos
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner