1.8.11

Uso de jaleco fora do ambiente de trabalho poderá ser proibido

"Uso de jaleco fora dos consultórios médicos". Esse sempre foi um de meus temas prediletos para desenvolver textos, já que acho um absurdo descomunal um profissional da saúde usar jaleco (ou avental) fora de seu ambiente de trabalho, seja ele consultório particular, clínicas ou hospitais.

Sempre me causou revolta cruzar com médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, farmacêuticos, dentistas, entre outros profissionais de saúde, de jaleco branco dentro do metrô ou andando pelas ruas nas proximidades de hospitais. Ora, esses locais são ricos em poeira, ácaros, micro-organismos como bactérias e fungos, além de óleo de motor de carros, fumaça de escapamentos (já notou como é preta a fumaça de um escapamento de ônibus?).





Isso tudo fica impregnado no jaleco dos médicos e ao lidar com o paciente o mesmo poderá entrar em contato com toda essa sujidade e agentes infecciosos. Se o paciente estiver com o sistema imunológico comprometido as chances de uma contaminação serão ainda maiores.

 Já escrevi sobre o tema no post: "Jalecos médicos não devem ser usados na rua" e neste aqui


É sempre bom lembrar que o jaleco não foi feito para proteger a roupa dos profissionais da saúde de sujeiras ou doenças e sim para proteger os pacientes de possíveis agentes contaminantes que podem estar na roupa dos médicos. Por isso, o jaleco deve estar limpo e o fato de ser branco ajuda a demonstrar asseio por parte dos médicos.

O texto abaixo é da Agência Câmara de Notícias e o destaque vai para a frase:
"Atualmente, já existe norma da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que veda o uso de jalecos e equipamentos hospitalares fora do ambiente de trabalho".

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 471/11, do deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE), que proíbe o uso de equipamentos individuais de proteção de trabalhadores de hospitais, clínicas e outros centros de saúde fora do ambiente profissional. O objetivo é assegurar que os profissionais não transmitam infecções hospitalares por roupas ou instrumentos de trabalho. Proposta de igual teor (PL 6626/09) havia sido apresentada pelo mesmo autor e foi arquivada ao final da legislatura passada.

Conforme o texto, quem descumprir a medida estará sujeito a multa e advertência e os empregadores responderão solidariamente pela infração. O projeto também prevê a realização de atividades educativas sobre prevenção de riscos biológicos para os trabalhadores em saúde.





Atualmente, já existe norma da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que veda o uso de jalecos e equipamentos hospitalares fora do ambiente de trabalho.

Mesmo assim, segundo Oliveira, não é raro encontrar profissionais ou estudantes de saúde em locais públicos com jalecos, estetoscópios ou outros equipamentos de trabalho. “É necessário enfatizar a conscientização dos profissionais de saúde quanto ao risco biológico a que expõem a comunidade ao persistirem nesse hábito”, afirma o parlamentar. Para ele, a possibilidade de advertência ou multa vai coibir o uso dos equipamentos fora do ambiente de trabalho.

Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

PL-471/2011
Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Marcelo Oliveira

Fonte: 'Agência Câmara de Notícias'
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner