6.9.11

Epidemia de diabetes tipo 2 é iminente

Uma possível epidemia de diabetes tipo 2 é anuncia há alguns anos, desde antes de 2000. Agora, estudo recentes comprovam que sim, uma epidemia de diabetes do tipo 2 pode acontecer em breve.



O diabetes tipo 2 (também conhecido como diabetes não insulino-dependente) possui um fator hereditário maior do que na diabetes do tipo 1. Um fator quase sempre determinante para desenvolver o diabetes tipo 2 é a obesidade e o sedentarismo.

Estima-se que 60% a 90% dos portadores de diabetes do tipo 2 se enquadram nesse grupo. A idade em que é mais frequente o aparecimento da diabetes mellitus tipo 2 é acima dos 40 anos.

O diabetes tipo 2 é muito mais comum que o diabetes tipo 1 o tratamento pode ser eficaz apenas com dieta adequada e exercícios físicos (veja estudo). Alguns casos podem ser necessários medicamentos, ou porque o organismo da pessoa não responde à dieta e aos exercícios ou porque a pessoa não consegue se disciplinar. Outras vezes, além dos medicamentos orais, quem é acometido de diabetes mellitus tipo 2 pode ser necessário o uso de insulina concomitantemente.

Diabetes tipo 2 - Sintomas principais:
  • Visão embaçada;
  • Infecções recorrentes;
  • Cicatrização de feridas bastante lenta;
  • Formigamento nos pés;
  • Aparecimento de furúnculos

Diabetes pode se tornar uma epidemia, o estudo

A matéria abaixo é do site G1/Jornal Hoje . No final, há um questionário para avaliar o risco de desenvolver diabetes tipo 2 nos próximos 10 anos. Os teste e os resultados estão no final desse artigo, mais abaixo.

Um estudo feito em 20 cidades do país alerta para um grave risco: nos próximos anos a diabetes poderá ser uma epidemia. A circunferência abdominal acima da medida recomendada, não praticar exercícios físicos e não comer verduras e legumes diariamente são alguns sinais de que uma pessoa pode entrar para o grupo de risco de desenvolver diabetes.

Existem outros fatores importantes, entre eles a genética. Quem já tem casos na família deve redobrar o cuidado em relação à quantidade de carboidrato e açúcar dos alimentos.

Uma alimentação saudável contribui para manter controlada a glicose, o nível de açúcar no sangue. Na hora do almoço ou do jantar, divida o prato em quatro partes. Uma porção de arroz, de preferência o integral, que tem mais nutrientes, feijão, folhas verdes escuras e legumes coloridos e uma proteína, que pode ser carne, frango ou peixe grelhados.

Questionário riscos de diabetes tipo 2

O resultado do teste abaixo indica, em uma escala de 0 a 30, o risco de desenvolver diabetes tipo 2 nos próximos dez anos, de acordo com os pontos somados por cada um.

Escolha a alternativa correta e, no final, some os pontos:


1. Idade:
0p.    Menos de 45 anos
2p.    46-54 anos
3p.    55-64 anos
4p.    Mais de 65 anos
2. Índice de massa corporal (IMC) - a divisão do peso pela altura ao quadrado (kg/m²):
0p.   Menos de 25
1p.   25-30
3p.    Mais de 30
3. Circunferência abdominal (meça a circunferência, na altura do umbigo, com uma fita métrica):
               Homem                          Mulher
0p.    Menos de 94 cm          Menos de 80 cm
3p.    94-102 cm                    80-88 cm
4p.    Mais de 102 cm           Mais de 88 cm
4. Pratica exercício físico regularmente por, pelo menos, 30 minutos? Considere atividades como andar a pé, subir e descer escadas, fazer faxina, etc.
0p.   Sim
2p.   Não
5. Com que frequência come frutas e legumes?
0p.   Todos os dias
1p.   Às vezes
6. Toma regularmente ou já tomou medicamentos para hipertensão?
0p.   Não
2p.   Sim
7. Alguma vez análises de rotina ou durante a gravidez já acusaram excesso de açúcar no sangue?
0p.   Não
5p.   Sim
8. Algum familiar teve ou tem diabetes, do tipo 1 ou 2?
0p.   Não
3p.   Sim: avós, tios, primos de 1º grau
5p.   Sim: pais, irmãos ou filhos
Analise sua pontuação:
Abaixo de 7 pontos: Risco baixo (1 em 100 desenvolverá a doença)
7 a 11: Risco relativamente baixo (1 em 25 desenvolverá a doença)
12 a 14: Risco relativamente moderado (1 em 6 desenvolverá a doença)
15 a 20: Risco relativamente alto (1 em 3 desenvolverá a doença)
Acima de 20: Risco relativamente muito alto (1 em 2 desenvolverá a doença)

Fonte: Sociedade Europeia de Cardiologia
Leia também:
  1. Estudo comprova ação do orégano contra diabetes.
  2. Diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner