17.10.15

Refrigerante em excesso pode prejudicar esmalte dos dentes

Que beber refrigerante EM EXCESSO faz mal todo mundo já sabe, assim como faz mal beber "algumas marcas" de sucos industrializados com elevado teor de açúcar (muito mais que os refrigerantes). Mas gostaria de destacar o mal que o consumo exacerbado¹ de refrigerantes fazem aos dentes. Refrigerante aumenta a incidência de cáries e outros problemas bucais, mas isso se for consumido em excesso.

O parágrafo abaixo que foi extraído do site www.yahoo-colgate-saudebucal.com.br nos dá a real dimensão do problema e merece o destaque.

"Ácidos e subprodutos acidíferos do açúcar presente nos refrigerantes desmineralizam o esmalte dental, contribuindo para a formação das cáries. Em casos extremos, o esmalte desmineralizado combinado com escovação inadequada, bruxismo (hábito de ranger os dentes) ou outros fatores pode levar à perda dental."

E os refrigerantes diets e lights fazem mal aos dentes?


Bebidas sem açúcar, que respondem por apenas 14 porcento do consumo total de refrigerantes, são menos prejudiciais. Entretanto, elas são acidíferas e têm potencial para causar problemas de saúde por causa do ciclamato*, mais ainda assim, se for consumida em excesso.

*O que diz a Coca-cola Brasil sobre isso:

"O IDEC informou em reportagem recente que se uma criança (de 30kg) consumir 1 lata de Sprite Zero, já excedeu o seu limite diário de ciclamato. O mesmo ocorre se um homem (70kg) consumir 2,8 latas de Coca-Cola Light Lemon. Isto é verdade?
É preciso esclarecer que, em primeiro lugar, o público infantil não é o target nem é grande consumidor de produtos light. Nossa comunicação e propaganda não é dirigida a crianças menores de 12 anos. Ainda assim, o eventual consumo de qualquer aditivo acima de sua Ingestão Diária Aceitável (IDA), não configura um risco significativo à saúde. Deve-se lembrar que a IDA é um fator de segurança que tem como base testes efetuados com doses muito mais altas que aquelas existentes nos alimentos. Como para qualquer alimento o consumidor deve usar de bom senso evitando consumo excessivo. Não se espera, por exemplo, que uma pessoa consuma diariamente quase um litro de Coca-Cola Light Lemon. Isto é considerado consumo excessivo, se feito todos os dias."


No entanto, se você e sua família gostam de beber refrigerantes, não há porque cortá-lo radicalmente de sua dieta. Se fôssemos ser radicais deveríamos deixar de ingerir não apenas refrigerantes, como também muitos outros alimentos. Apenas diminua o consumo de refrigerantes. Há estudos que indicam que há adolescentes americanos que bebem cerca de ¹12 refrigerantes por dia, aí é óbvio que irá prejudicar os dentes, não é mesmo?

Veja o que o outro lado tem a dizer:

Todo refrigerante contém uma pequena quantidade de ácido de grau alimentar. Os mais usados são o ácido cítrico e o ácido fosfórico. Estas bebidas não têm acidez suficiente para causar danos aos tecidos do organismo. Ácidos estão presentes, também em pequenas quantidades, em alimentos como sucos de laranja, abacaxi, limão, maçã e uva e em muitos outros. O próprio suco gástrico, presente no estômago e que é muito importante no processo de digestão de alimentos, é um ácido bem mais forte que aqueles dos refrigerantes, sucos e de outros alimentos. O consumo de refrigerantes não causa problemas ósseos. As causas primárias do enfraquecimento ósseo são a ingestão insuficiente de cálcio, o desequilíbrio hormonal, a falta de atividade física e o processo normal de envelhecimento. O boato que "um dente colocado em um copo de refrigerante desaparece" é equivocado. Esta não é uma situação da vida real. Os dentes na boca, estão vivos e não mortos. Eles ficam expostos ao refrigerante e outros alimentos ácidos por curto período e não dias, pois a saliva remove seus resíduos. O efeito sobre o esmalte dos dentes é grandemente reduzido. Além disto, a saliva contém minerais tais como o cálcio e o fósforo, que repõe as perdas minerais normais do esmalte. Esta proteção natural é perdida quando um dente extraído é colocado em um copo de líquido. Ainda que os refrigerantes sejam ácidos, sob condições normais eles não são mais ácidos que alguns sucos. Já os ossos não são nunca expostos diretamente aos alimentos e bebidas que ingerimos, não havendo relação entre enfraquecimento ósseo e consumo de refrigerantes. Fonte: Blog Coca-Cola.Design.news




Veja algumas dicas alimentares que o Saúde com Ciência preparou para você.


  1. Tenha opções: Mantenha na geladeira outros produtos além dos refrigerantes, como sucos de frutas naturais, de polpa, sucos de soja, água com gás, água-de-coco (mesmo a industrializada), água pura e leite desnatado gelado,
  2. Dê o exemplo: Se você é um consumidor de refrigerantes inveterado não irá conseguir dar bom exemplo à família.
  3. Não seja radical: Diminua aos poucos os refrigerantes, diariamente. Vá tirando o hábito das crianças sem brigar, apenas percebendo de quais sucos elas mais gostam e deixando sempre à mão,
  4. Fast Foods: Nos fast foods, até mesmo o mais famoso de todos - McDonalds - têm opções de sucos, mostre isso às crianças.
  5. Suco de Uva: E a última dica alimentar: Inclua dentre as opções o suco de uva, pode ser o natural ou aquele industrializado e concentrado, mas com poucos aditivos químicos. Confira no rótulo!
  6. Seja prudente! Beba refrigerante de vez em quando, como em festas por exemplo. Eles são tão bons. É isso mesmo por que se for para radicalizar eu deveria dizer: não coma coxinhas, kibes e outras frituras, corte os adoçantes de vez, e não coma mais brigadeiros... eles são cheios de açúcar. Até parece que isso é possível, não é mesmo?

Consultas: yahoo-colgate-saudebucal e Coca-Cola Design.news (mitos sobre refrigerantes, ossos e dentes)
Foto: Flickr


- Refrigerante EM EXCESSO eleva risco de AVC.


Artigos relacionados:
açúcar mascavo;
- açúcar demerara;
açúcar orgânico;
açúcar da stevia reubadiana;
- açúcar de beterraba
- Tipos de adoçantes
açúcar atrapalha o colágeno
curativo vegetal a base de cana-de-açúcar
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner