17.9.15

Mulheres não usam óculos escuros regularmente

É comprovado que o uso dos óculos escuros com filtros UVA e UVB são fundamentais para protegerem os olhos da radiação solar. Contudo, um estudo recente revela algo impensável: a maioria das mulheres não usa óculos escuros. Leia abaixo:

Segundo pesquisa realizada pelo IBOPE envolvendo 284 mulheres, a maioria delas usam apenas os óculos de grau, o que não protege os olhos do sol.

Das entrevistadas só 8% usam óculos escuros com grau quando vão à praia, embora 97% acreditem que a radiação UV (ultravioleta) prejudica a visão. A pesquisa também mostra que apesar da maioria não usar lentes com proteção UV, 95% das entrevistadas acreditam que a radiação provoca o envelhecimento da pele ao redor dos olhos.

Mulheres não usam óculos escuros regularmente
Mulheres não usam óculos escuros regularmente 

De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, porta–voz da pesquisa, a falta de proteção solar pode causar alterações imediatas e em logo prazo nos olhos.

O médico diz que uma alteração imediata decorrente da exposição ao sol sem proteção é a queimadura da pele periocular. Não por acaso, comenta, para 2015 a estimativa do INCA (Instituto Nacional do Câncer) aponta a pele como a parte mais atingida pelo câncer no Brasil. “Esta previsão evidencia o uso inadequado do filtro solar pelo brasileiro”, afirma.

E o que é pior - entre mulheres a situação é ainda mais grave. No ano que vem o INCA prevê que o número de casos de câncer de pele entre mulheres seja 14% maior do que nos homens, totalizando 71,5 mil casos contra 62,68 mil entre eles.

“Apesar da metástase da pálpebra para os olhos ser incomum, nos casos de câncer não melanoma que é o tipo mais prevalente, a doença pode causar lesões palpebrais e desencadear cicatrizes na córnea que conduzem à queda visual”, comenta.

Para Queiroz Neto a melhor forma de proteger os olhos e a pele da região é usar óculos que tenham lentes com filtro UV. Isso porque, um estudo do especialista mostra que o contato dos filtros cosméticos com a mucosa ocular provoca a conjuntivite tóxica e a alérgica. “Os óculos com filtro eliminam este risco e o uso incorreto do protetor solar”, afirma.

Efeitos cumulativos da radiação

Queiroz Neto diz que de acordo com estudos internacionais a falta de proteção UV aumenta em até 60% a chance de contrair catarata. A doença torna o cristalino opaco e responde por 47% dos casos de perda da visão no Brasil.

Risco da falta de sintoma

Outra alteração imediata, ressalta, é a fotoceratite, inflamação da córnea por queimadura de primeiro grau. Em geral ocorre após 6 horas ininterruptas de exposição dos olhos ao sol sem proteção.

O médico alerta que embora os sintomas – olhos vermelhos e ressecados – desapareçam depois de 48 horas longe do sol, não significa que o problema tenha sido resolvido. Isso porque, a fotoceratite provoca o desprendimento de células do epitélio, camada externa da córnea que vai perdendo a transparência.
Para a população parece um mal menor, mas é uma importante questão da saúde pública, afirma.

Fonte: Saúde da Mulher
Foto: Flickr.

Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner