10.2.12

Troca de próteses de silicone com defeito, sai portaria

O Ministério da Saúde publicou portaria com as diretrizes para a troca, pela rede pública de saúde e os planos de saúde, de próteses de silicone com defeito das marcas Poly Implants Prothese (PIP) e Rofil. As orientações foram definidas em 18 de janeiro.

A retirada e a troca das próteses, seja de uma ou das duas mamas, serão feitas em uma única cirurgia, conforme a portaria publicada nesta terça, no Diário Oficial da União.



A remoção e a substituição ocorrerão somente quando for comprovada a ruptura do implante por meio ultrassonografia, ressonância magnética ou indicação médica. Pacientes com histórico de câncer de mama terão os implantes retirados e trocados, independentemente do exame de imagem.

A orientação é que as mulheres com implantes das marcas francesa e holandesa façam uma ultrassonografia, exame que permite visualizar fissuras na prótese. A recomendação é que a paciente procure o médico, hospital ou a clínica responsáveis pela colocação da prótese. Caso não consiga, a mulher deve buscar atendimento no serviço público mais próximo ou pelo plano de saúde.

Estima-se que cerca de 20 mil brasileiras tenham implantes PIP e Rofil. As empresas usaram silicone não autorizado para uso médico na fabricação das próteses, elevando o risco de vazamento do gel. Com o rompimento, o silicone pode ficar envolto em uma cápsula fibrosa (intracapsular) ou extravasar a cápsula e chegar ao sistema linfático (extracapsular).

Os sintomas da ruptura são inflamação, dor e deformidade da mama e nódulos nas axilas.

Reportagem de Carolina Pimentel Repórter da Agência Brasil. Colaborou Cristina Machado/Edição: Lana Cristina
Fonte: Agência Brasil

O conteúdo do www.saudecomciencia.com é informativo e educativo. Não exclui consulta com profissional habilitado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner