10.3.12

Coca-Cola reduzirá 4-MI de sua fórmula

Um estudo americano realizado pelo CSPI, um grupo independente de defesa ao consumidor, mostrou que os principais refrigerantes de cola do mercado (como a Coca-cola) possuem uma substância cancerígena (ou seja, causa câncer)  em sua composição. A substância seria o 4-metil imidazol (4-MI), o qual estaria ligado ao câncer em animais, sobretudo de pulmão e fígado. A substância é usada pela indústria de refrigerantes na obtenção do corante caramelo.

O FDA (EUA) está analisando a denúncia do CSPI, mas não acredita que os refrigerantes ofereçam um risco real à saúde quanto a esse aspecto.



“Um consumidor teria que consumir bem mais de mil latas de refrigerante por dia para alcançar as doses administradas [dadas aos animais] nos estudos que mostraram relação com o câncer em roedores”, afirmou Doug Karas, porta-voz do FDA.

Brasil
Pelas normas brasileiras, estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso da substância na produção de corantes é permitido, “desde que o teor de 4-metil imidazol não exceda no mesmo a 200mg/kg (duzentos miligramas por quilo)”.

O toxicologista Anthony Wong, diretor do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (Ceatox), afirma que a substância se mostrou tóxica para ratos e camundongos na concentração de 360 mg/kg, que é pouco menos que o dobro do limite legal no Brasil.

O que disse a Coca-Cola
A Coca-Cola informou em nota que os ingredientes e as quantidades utilizados nos seus produtos “seguem rigorosamente os limites estabelecidos pela Anvisa e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento”.

Como ficarão as fórmulas da Coca-Cola e da Pepsi 
A Coca-Cola informou que poderá reduzir a quantidade do 4-metil imidazol (4-MI)  encontrado no corante caramelo.

Segundo as agências de notícias Reuters e AFP, tanto Coca-Cola quanto Pepsi vão fazer a redução na Califórnia.

As informações abaixo são do G1 (Globo)
Ao G1, a assessoria de imprensa da Coca-Cola no Brasil informou que a medida “pode” ser tomada no estado americano, mas afirmou que não se trata de uma alteração na fórmula.
"O corante caramelo utilizado em nossos produtos é absolutamente seguro. Coca-Cola não alterará sua fórmula mundialmente conhecida. Mudanças no processo de fabricação de qualquer um dos ingredientes, como o corante caramelo, não têm potencial para modificar a cor ou o sabor da Coca-Cola.
Ao longo dos anos já implementamos outras mudanças no processo de fabricação de ingredientes sem, entretanto, ter alterado nossa fórmula secreta. Continuamos a nos orientar por evidências científicas sólidas para garantir que nossos produtos sejam seguros. O elevado padrão de qualidade e segurança dos nossos produtos permanece sendo nossa mais alta prioridade", disse a Coca-cola, em nota.

Comentário Saúde com Ciência
Inúmeras são as substâncias que podem prejudicar nosso organismo e elas estão presentes em uma infinidade de alimentos e bebidas, até em alimentos in natura. O que faz a diferença entre serem prejudiciais ou não é a quantidade ingerida. E como visto acima, precisaríamos ingerir 1000 latas de refrigerantes a base de cola por dia para corrermos risco de desenvolver um câncer. Ainda não conheci quem tenha feito isso.

É evidente que marcas famosas como a Coca-Cola e a Pepsi seguem as normas exigidas por órgãos mundiais reguladores de alimentos, pois, obviamente, nenhuma delas quer "quebrar" por causa de um simples corante, isso seria burrice, coisa que esses gigantes dos refrigerantes não o são.

Contudo, devíamos conhecer a quantidade usada por outros refrigerantes de cola de marcas de menor projeção mundial, não?

Fontes: Coca-Cola Design News | G1 | Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner