10.6.15

Hipertensão arterial sistêmica

A hipertensão é uma doença que afeta mais de 30% dos brasileiros adultos e fatores de risco devem ser monitorados.

E você sabia que a hipertensão pode não apresentar sintomas?

E hoje (26/04 - data da publicação do artigo), no dia nacional de combate a hipertensão vamos saber um pouco mais sobre a hipertensão arterial sistêmica.

HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA


Assintomática e silenciosa, a hipertensão atinge mais de 40 milhões de brasileiros na fase adulta da vida, o que corresponde a 30% desse grupo, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Fator de risco importante para o desenvolvimento de doenças graves, como cardiopatias e problemas neurológicos, a hipertensão precisa de controle e acompanhamento para que o paciente tenha uma boa qualidade de vida.

Hipertensão arterial sistêmica
excesso de sal e a hipertensão/foto arquivo

De acordo com o cardiologista Everton Dombeck, do Hospital Cardiológico Costantini, a maior parte dos pacientes diagnosticados como hipertensos desenvolvem a doença em função da sua genética.

“Os chamados hipertensos essenciais são aquelas pessoas que tem histórico de pressão alta na família e apresentam genes que levam a essa alteração. Entretanto, a doença não é igual em todos e por isso requer atenção e um diagnóstico correto”, explica.

Pressão Alta - quando ela está elevada?


Diante de uma avaliação que indica um caso de pressão arterial elevada - diagnosticada através das aferições de pressão, em dias alternados, em que o paciente apresenta o resultado acima de 14 X 9 – é preciso buscar identificar quais os motivos que causam as alterações. “Há casos, por exemplo, que o paciente tem uma hipersensibilidade ao sódio, e por isso devem buscar cortar a ingestão dessa substância.

No entanto, outras pessoas, também com diagnóstico de hipertensão, são menos sensíveis a variação de sódio no organismo”, comenta o cardiologista. Nestes casos, o mais importante é buscar entender como a doença funciona em cada paciente e seguir as orientações do médico. “Isso não quer dizer que o consumo dessa substância deve ser feita sem controle. O consumo elevado é prejudicial e hoje muitos produtos contêm altas concentrações sódio, por isso é preciso prestar atenção nos rótulos e balancear”, explica Dombeck.

A alteração nos níveis de pressão também se desenvolve por outros distúrbios no indivíduo, como a síndrome metabólica. “Neste caso, a obesidade leva à diabetes, o que abre portas ao alto colesterol e todos esses pontos juntos levam a hipertensão”, sinaliza Dombeck. Outra situação apontada pelo cardiologista é a convergência de fatores como sedentarismo, IMC (Índice de Massa Corpórea) alto, circunferência abdominal fora dos padrões e com intolerância à glicose. “Indivíduos com esse perfil têm 30% mais chance de apresentar alteração na pressão”, afirma.

Lesões da hipertensão


Com a característica de ser uma doença silenciosa, a falta de acompanhamento da hipertensão pode trazer comprometimentos sérios ao corpo. “Dos pacientes novos que chegam aos consultórios, cerca de 30% já são hipertensos e não sabem”, afirma Dombeck. Essa demora no diagnóstico pode abrir portas para o desenvolvimento de lesões em diversos órgãos do corpo, como coração, rins e o cérebro.

Algumas lesões causadas pela pressão arterial desregulada podem levar para problemas mais sérios, como as lesões renais, abrindo portas para a insuficiência dos rins. Outra preocupação dos médicos é quanto a problemas na retina e lesões de fundo de olho, decorrentes da hipertensão.

“Problemas de déficit de memória também podem ser resultado da pressão arterial desregulada, pois causa microlesões no cérebro, a chamada doença microangiopática, que vai destruindo pequenos vasos e é um primeiro passo para a ocorrência do AVC”, comenta o cardiologista.

Fonte: Everton Dombeck/Hospital Cardiológico Costantini.
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner