6.5.13

Falta de higiene em hospitais propicia infecções

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que milhões de pacientes em hospitais e clínicas contraem algum tipo de infecção por falta de higiene, todos os anos. Segundo a OMS, a maioria dessas doenças poderia ser evitada simplesmente se médicos, enfermeiros e cuidadores lavassem as mãos antes e depois do atendimento.

Pode ser difícil acreditar, mas a falta de higiene em hospitais propicia infecções, e essa falta de higiene também acontece com médicos e enfermeiros.

Comentário Renata Fraia - Farmacêutica Saúde com Ciência:

Esse tema me parece oportuno abordar um fato que presenciei anos atrás... Uma colega farmacêutica de uma certa Universidade de Medicina (pública e conceituada) realizou um estudo - não me lembro se era alguma tese - onde coletou e analisou material oriundo das unhas e das narinas de médicos e enfermeiros que estavam prestes a entrar na sala de cirurgia (após já terem higienizado as mãos) e - pasmem! - o resultado da cultura que a farmacêutica Dra. Vania (não lembro o sobrenome)  fez foi: havia uma enorme quantidade de coliformes fecais embaixo da unhas de vários daqueles profissionais de saúde.

E como os coliformes fecais são micro-organismos (bactérias) que habitam nossa flora intestinal fica fácil deduzir que tais médicos e enfermeiras não tinham higienizado corretamente as mãos. Assim, eles mesmos poderiam contaminar os pacientes que estavam em cirurgia.

Depois fica fácil informar a família que o doente passou pela cirurgia, mas morreu dias depois por infecção generalizada, já que a família (leigos) não vai questionar como foi que ocorreu essa infecção.

Veja como higienizar as mãos corretamente (com imagem da Anvisa)

Falta de higiene em hospitais propicia infecções

Falta de higiene em hospitais propicia infecções

A organização celebrou, este domingo, 5 de maio, o Dia Mundial para a Promoção da Higiene de Mãos.

Perdas

As autoridades disseram que essas infecções levam ao sofrimento físico, psicológico e até mesmo, em alguns casos, à morte dos pacientes. Sem falar nas perdas e nos gastos financeiros nos setores de saúde.

As infecções ocorrem, geralmente, por germes transferidos pelo contato de enfermeiros e médicos com os doentes. As infecções mais comuns são a urinária e no sangue, nas áreas onde foram realizadas cirurgias e a pneumonia.

A OMS afirmou que 10% de todos os pacientes hospitalizados em países em desenvolvimento acabam contraindo algum tipo de infecção. Nos países industrializados, o índice é um pouco mais baixo.

A preocupação é maior entre as pessoas internadas nas unidades de tratamento intensivo, UTI. Nesses casos, as infecções sobem para 30%.

Fardo

O enviado da OMS para segurança dos pacientes, Liam Donaldson, afirmou que as infecções causadas por trabalhadores da saúde representam um grande fardo no mundo inteiro. Segundo Donaldson, elas também ameaçam a segurança e o cuidado dos pacientes.

Ele pediu aos hospitais, clínicas e comunidades do setor de saúde que adotem ações firmes e decididas para salvar vidas.

Dicas da OMS

Como os médicos e enfermeiros devem higienizar as mãos


O programa de cuidados da agência da ONU dá algumas dicas e instruções simples aos trabalhadores do setor de saúde para evitar contaminações de pacientes.

Médicos e enfermeiros devem limpar as mãos com álcool ou água e sabão antes de tocarem no paciente e antes de manusearem qualquer tipo de instrumento que entrará em contato com a pessoa.

A limpeza das mãos deve ser feita também, segundo a OMS, depois do atendimento, depois do contato com fluídos do corpo e dos arredores onde o doente estava.

Veja como higienizar as mãos corretamente (com imagem da Anvisa)

Participação

Mais de 15,7 mil instalações de saúde com mais de 9 milhões de funcionários espalhadas por 168 países prometeram participar da campanha: "Salve Vidas: Limpe as Mãos".

Segundo os organizadores, a campanha foi lançada em 2009 e no ano passado, 12 novos países começaram a participar da iniciativa.
Fonte: Jornal do Brasil.
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner