23.5.15

Tabagismo: tudo sobre o tabagismo

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. Sobre o tabagismo A OMS estima que um terço da população mundial adulta (1 bilhão e 200 milhões de pessoas) fumam. Segundo pesquisas cerca de 47% da população masculina e 12% da população feminina no mundo fumam. Já nos países em desenvolvimento, fumam: 48% da população masculina e 7% da população feminina e nos países desenvolvidos a participação das temos: 42% dos homens e 24% das mulheres são tabagistas.

Tabagismo: tudo sobre o tabagismo (o que é tabagismo)

Tabagismo
"Tabagismo é dependência química"

Tabagismo é quando a pessoa é dependente química da nicotina do tabaco, ou seja, é viciada em cigarro.

O total de mortes devido ao uso do tabaco chega a 4,9 milhões de mortes anuais, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia. Caso as atuais tendências de expansão do seu consumo sejam mantidas, esses números aumentarão para 10 milhões de mortes anuais por volta do ano 2030 (WHO).

De acordo com o oncologista clínico do COT, Rodolfo Gadia, o tabaco é um dos principais fatores de risco para o câncer. “O consumo de derivados do tabaco está relacionado a 90% dos casos diagnosticados de câncer de pulmão do país, além de ser fator de risco para 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer como câncer de boca, laringe, faringe, esôfago, entre outros”, explica.

SUBSTÂNCIAS NOCIVAS DO TABACO
Segundo o Inca, todos os derivados do tabaco, que podem ser usados nas formas de inalação, aspiração e mastigação são nocivos à saúde. No período de consumo destes produtos são introduzidas no organismo mais de 4.700 substâncias tóxicas, incluindo nicotina (responsável pela dependência química), monóxido de carbono (o mesmo gás venenoso que sai do escapamento de automóveis) e alcatrão, que é constituído por aproximadamente 48 substâncias pré-cancerígenas, como agrotóxicos e substâncias radioativas (cancerígenas). (Fontes: Inca e BrandPress)

Tratamento tabagismo


O pneumologista Gustavo Prado diz que tratamento especializado aumenta em até oito vezes as chances de largar o cigarro. Ou seja, um importante avanço quanto ao combate ao tabagismo.

Segundo Gustavo, a porcentagem de fumantes acima de 15 anos no final da década de 1980 era por volta de 34% e no fim da década passada diminuiu para 17%. “Nos últimos 20 anos, teve uma queda praticamente da metade dos fumantes no Brasil”, pontua o pneumologista. [Uma boa notícia].

Sobre o tratamento do tabagismo (para largar de vez o hábito de fumar), Gustavo diz que é preciso enxergar o consumo do cigarro como uma doença. “O consumo de tabaco não é um hábito: o uso de cigarro, charuto, rapé, é uma doença, e é uma dependência química. A dependência é muito intensa e vencer essa barreira química e comportamental é muito complicado. Com ajuda de tratamento especializado, a pessoa pode ter sucesso nessa tentativa, aumentando a chance de largar o cigarro em até oito vezes”, conta o especialista. [Comentário Saúde com Ciência: algumas pessoas dizem que pararam de fumar com facilidade, então, essas pessoas não são dependentes da nicotina presente no tabaco]. (Fontes: Inca e G1)

“O tabagismo passou a ser abordado internamente em 2009, quando começaram a surgir movimentos sociais e de conscientização sobre as primeiras leis relacionadas ao fumo”, relata Thiago Pavin, psicólogo do Grupo Fleury. Trata-se de um programa abrangente, pois, segundo Pavin, não adianta abordá-lo apenas pelo aspecto médico. Dessa forma, a companhia oferece desde apoio psicológico até farmacológico (cedendo medicamentos indicados por prescrição médica) para ajudar o fumante a abandonar definitivamente o cigarro. O programa do Fleury aperfeiçoa-se e amplia-se ano a ano.

“Em casos graves de dependência, algumas pessoas apresentam uma forte síndrome de abstinência do cigarro, com sintomas que chegam a diarreia e náuseas”, relata Pavin, com base em sua experiência no atendimento aos participantes do programa Respire Melhor do Fleury.

Leia também:
-Tudo sobre cigarro
-Narguile faz mais mal que cigarro
-Blog do Câncer de garganta.

Outro aspecto abordado no processo é o nutricional, uma vez que há estudos científicos que comprovam a ocorrência de ganho de peso em pessoas que param de fumar, seja pelo fato de o paladar melhorar, tornando os alimentos mais saborosos, seja pela ansiedade que leva à compulsão por alimentos, ou ainda pelo metabolismo lentificado pela falta de nicotina.

Marcadores para essa postagem: o que é tabagismo, contra tabagismo, combate ao tabagismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner