29.5.13

Taxa de gordura elevada atinge 58% dos paulistanos

A taxa de gordura elevada com risco de desenvolvimento de doenças ligadas à obesidade, a exemplo de diabetes tipo 2 e cardiopatias, atinge 58%dos paulistanos. É o que aponta estudo do Programa ‘Meu Prato Saudável’, parceria do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP com a LatinMed Editora em Saúde.

No total, cerca de 400 pessoas passaram por testes de bioimpedância, aferição de IMC (Índice de Massa Corpórea) ou medição de circunferência abdominal. De 126 adultos, entre homens, mulheres e adolescentes, que passaram pelo teste de bioimpedância em evento comemorativo do Dia Mundial da Saúde, realizado em 5 de abril no Pátio do Colégio, centro de SP, 88% apresentaram níveis de gordura acima do considerado ideal.

Bioimpedância

A avaliação nutricional por bioimpedância é um teste que dura cerca de 5 minutos, e determina quanto de massa gorda a pessoa tem. Ele mostra quanto é água, quanto é músculo e quanto é gordura. Entre as mulheres paulistanas, 69% apresentaram risco de doenças pela obesidade e 93% tiveram níveis de gordura considerados acima do ideal. Já entre os homens 37% tiveram constatado o risco de doenças e 79% tiveram taxa de gordura acima do ideal.

Taxa de gordura elevada

Para se determinar a faixa de peso ideal, o método mais utilizado atualmente é o Índice de Massa Corporal (IMC). “Porém, ele pode subestimar a gordura corporal por não diferenciá-la da massa muscular”, observa a médica Elisabete Almeida, diretora-executiva do ‘Meu Prato Saudável’.

No estudo, enquanto 58% das pessoas que passaram pelo teste de bioimpedância apresentaram risco de doenças causadas pela obesidade, o IMC acusou obesidade em 35%. “Isto preocupa, pois muitas pessoas pensam que estão com o IMC dentro dos limites normais, mas têm acúmulo de gordura corporal dentro do abdômen, indicador de risco para diabetes, hipertensão e outras doenças”, afirma Elisabete.

O mutirão realizado no dia 5 de abril ainda mediu a circunferência abdominal. Por esse teste passaram 270 pessoas, das quais 175 mulheres e 95homens. Entre as mulheres 85% apresentaram risco aumentado ou substancialmente aumentado de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Já entre os homens esse índice foi de 69%.

A circunferência abdominal considera risco aumentado quando igual ou maior a 94 centímetros para homens e igual ou maior do que 80centímetros para mulheres. Já o risco substancialmente aumentado é constatado quando a circunferência abdominal é igual ou maior que 102 centímetros para homens e igual ou maior que 88 centímetros para mulheres.

O programa ‘Meu Prato Saudável’ tem por objetivo mudar os hábitos alimentares da população, por meio de orientação nutricional diferenciada, mostrando o que e o quanto colocar no prato das refeições, seja café da manhã, almoço ou jantar e os lanches intermediários. Com isto, a população pode manter um peso saudável ou até mesmo reduzi-lo, evitando doenças relacionadas à obesidade.

Mais informações sobre os programas ‘Meu Pratinho Saudável’ podem ser obtidas pelo aplicativo ‘Meu Prato Saudável’, disponível gratuitamente para celulares do tipo smartphone, e pelos portais www.meupratosaudavel.com.br e www.meupratinhosaudavel.com.br.

Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner