29.7.13

Dia Mundial da Hepatite: número de casos é alarmante!

Organização Mundial de Saúde e Fundo Mundial para a Hepatite apelam para que governos façam campanhas. 80% dos casos de hepatite tipo B e C são responsáveis por câncer no fígado e cirrose hepática no mundo

Meio bilhão de pessoas no mundo possui hepatite, mas apenas 5% dessas sabem que estão contaminadas.

Dia Mundial da Hepatite


Em observação à data oficial de 28 de Julho, para o Dia mundial da Hepatite, diversos setores ligados à defesa da saúde estão encaminhando apelos aos líderes mundiais para que sejam feitas ações de prevenção, diagnóstico e tratamento para as Hepatites tipos B e C.

A Organização Mundial de Saúde, afirmou através da Dra. Sylvie Briand, diretora do setor de pandemias, que “muito ainda precisa ser feito, em termos de política de saúde”, a fim de salvar as pessoas que sofrem das formas de Hepatite (principalmente a B e a C) e que isto reduziria também, drasticamente o custo que os governos tem com hospitalização, tratamento em fase tardia da doença e transplante de fígado.

Dia Mundial da Hepatite


As Hepatites B e C são responsáveis por 80% dos casos de câncer de fígado e cirrose hepática no mundo.

Ambas as doenças são sorrateiras e correm assintomáticas por décadas no indivíduo. Quando ele percebe a infecção, geralmente é tarde demais e o fígado já está consumido pelo vírus. O recurso, nessa fase é o transplante de fígado, que embora com boas chances de sucesso é um processo extremamente delicado e com risco de vida. Além disso, muitos pacientes não conseguem esperar por um transplante, indo a óbito antes aparecer um órgão doado.

O presidente do Fundo Mundial para a Hepatite (World Hepatitis Fund), entidade mundial com sede em Nova York, o brasileiro Humberto Silva, comenta sobre o cenário da doença, no mundo: “É uma verdadeira catástrofe. Hoje existe meio bilhão de pessoas no planeta que carregam os vírus. Mas, apenas 5% delas sabem que estão contaminadas. Há países como o Egito, onde a prevalência da Hepatite C é de 12% oficiais, mas, extra-oficialmente, esse número pode ultrapassar os 22% de toda a população.

Isto se deve a uma campanha mal-sucedida de vacinação contra a Esquistossomose , onde usou-se seringas de vidro e mal-esterelizadas. Resultado? Ao invés de prevenir uma epidemia, espalhou-se outra, muito maior. O mundo tem que voltar sua atenção para as Hepatites, e encará-la como uma doença para ser descoberta pelos governos, pois o portador, sozinho nunca conseguirá descobrir”, conclui.




Os vírus das Hepatites B e C (os mais graves) ficam décadas no organismo, sem sintomas. E, de acordo com o CDC (Center for Diseases Control and Preventiion) do ministério da saúde dos E.U.A. todas as pessoas nascidas entre 1945 e 1965 tem que fazer o teste da Hepatite C pelo menos uma vez na vida, pois tem 5 vezes mais chances de estarem contaminadas, sem saber. No Brasil, o número de contaminados pode ser de 5 milhões de pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner