25.2.16

Cérebros de homens e mulheres têm 'conexões diferentes'

Uma pesquisa conduzida por cientistas americanos, da Universidade da Pensilvânia e publicado no site científico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), revelou que os cérebros de homens e mulheres têm conexões diferente, o que poderia explicar por que um sexo desempenha determinadas tarefas melhor do que o outro (tipo: mulher dirige melhor do que homem - brincadeirinha).

Através de tomografias cerebrais de cerca de mil homens e mulheres de todas as idades, desde a infância constatou-se muitas diferenças entre eles.

Cérebros de homens e mulheres têm 'conexões diferentes'

Exemplos:

Os cérebros dos homens estão conectados de frente para trás, com poucas conexões entre os dois hemisférios.

Já nas mulheres, mais conexões se cruzam da esquerda para a direita.

Cérebro feminino aumenta na ovulação
Abstinência ao álcool aumenta funções cerebrais
Cérebro artificial humano
Fumar crack mata 50% dos neurônios

Essas diferenças podem explicar por que os homens, em geral, tendem a ter maior facilidade para aprender ou fazer uma única tarefa, como andar de bicicleta e se localizar, enquanto que as mulheres são mais aptas a realizar múltiplas tarefas, afirmaram os pesquisadores. (claro que tem que ser assim, só assim para conseguirmos cuidar da casa, família e ainda trabalhar - rs).

Na prática
Os mesmos voluntários foram submetidos a realizar uma série de testes cognitivos, e os resultados apresentados parecem comprovar essa teoria.

As mulheres obtiveram maior pontuação em atenção, memória facial e de palavras e cognição social. Já os homens tiveram melhor desempenho em velocidade do processamento espacial e sensório-motor.

O pesquisador Ruben Gur, que integrou o grupo responsável pelo estudo, disse algo que nos faz pensar:

"É surpreendente como os cérebros das mulheres e dos homens podem ser complementares".

"Os mapas detalhados do cérebro não só nos ajudarão a melhor entender as diferenças entre como os homens e as mulheres pensam, mas também nos dará maior compreensão sobre as origens dos transtornos neurológicos, que normalmente têm estreita ligação com o sexo."

Contudo, há especialistas que argumentam que pode não ser tão simples e dizem que é um "salto muito grande" explicar variações comportamentais entre homens e mulheres a partir - apenas - de diferenças anatômicas. Além disso, as conexões cerebrais não permanecem fixas, segundo afirmam.

"Sabemos que não existe algo como 'conexão permanente' quando se trata do cérebro. As conexões podem mudar durante a vida, em resposta à experiência e ao aprendizado", diz a professora Heidi Johansen-Berg, especialista britânica em neurociência da Universidade de Oxford.

Ela ainda disse que o cérebro é um órgão muito complexo para que seja possível fazer generalizações abrangentes.

"Com frequência, abordagens matemáticas sofisticadas são usadas para analisar e descrever estas redes cerebrais. Estes métodos podem ser úteis para identificar diferenças entre grupos, mas é complicado interpretar estas diferenças em termos biológicos", diz.

De qualquer forma, o estudo é muito interessante e pode, sim, explicar muitas das diferenças entre os sexos.

Fonte: BBC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner