23.2.16

Perda auditiva: Como manter uma boa audição - dicas!

Sabia que apenas 40% das pessoas com problemas de audição reconhecem que ouvem mal. A falta de informação e o preconceito fazem com que as pessoas adiem a consulta ao médico otorrinolaringologista para a detecção da perda auditiva. Mas como prevenir ou pelo menos ‘empurrar’ para a velhice a dificuldade de audição?

Perda auditiva: Como manter uma boa audição - dicas!
Perda auditiva: Como manter uma boa audição - dicas! / foto: OpenClips

A fonoaudióloga Isabela Gomes, da Telex Soluções Auditivas, analisa os problemas causados por maus hábitos e pela poluição sonora e deixa alguns conselhos importantes. A especialista alerta para diversas situações que podem colaborar para a perda auditiva.

Perda auditiva: Como manter uma boa audição - dicas!


1 – Já se constata que a perda auditiva está começando a surgir mais cedo entre moradores de grandes cidades. O grave problema do excesso de barulho piora a cada dia. O trânsito pode ser um grande vilão. Além de incômodo, os altos ruídos afetam a saúde física e psicológica, gerando estresse, ansiedade, aumento da pressão sanguínea. Quando o barulho é intenso e prolongado, pode causar também perda de audição ao longo dos anos. Uma das soluções mais baratas e inteligentes é usar protetores de ouvido enquanto está no trânsito.

2 – Toda mãe já conhece o teste do pezinho, mas e o da orelhinha? Tão importante quanto o primeiro exame, o teste da orelhinha é realizado para detectar problemas de audição no bebê. É rápido, indolor, não fura a orelha do bebê e deve ser realizado após as primeiras 24 horas de vida da criança, na própria maternidade. Quanto mais cedo forem diagnosticados problemas de audição e mais rápido for a intervenção, melhor será o resultado e o apoio à criança para que tenha um desenvolvimento normal.

3 – Em uma sociedade onde TV, rádio, aparelhos de som, jogos de vídeo game, MP3 e fones de ouvido fazem parte do dia-a-dia, as ameaças à boa audição estão em toda a parte. O nível de barulho em nossa casa também tem grande impacto na nossa audição. Respeitar os limites de decibéis recomendados por especialistas é importante, não só em respeito aos vizinhos, mas em benefício da própria saúde. A exposição contínua a ruídos superiores a 50 decibéis pode causar, ao longo da vida, perda progressiva da audição.

4 – Existem evidências de que a perda de audição seja a deficiência mais comum em crianças infectadas congenitamente pela rubéola. A busca de tratamento deve ocorrer rapidamente. É necessário realizar teste auditivo e outros exames médicos. A partir daí, avalia-se o tipo de tratamento a ser utilizado e que deve estar adaptado às necessidades específicas de cada criança.

5 – Nem sempre um estudante desatento nas aulas é desinteressado. Ele pode simplesmente apresentar problemas de audição. Com dificuldades para ouvir, não consegue aprender direito. Costuma ter conflitos de relacionamento e apresentar distúrbios de comportamento, como falta de concentração ou retraimento em excesso. Está comprovado que alunos com deficiência auditiva têm um rendimento escolar inferior.

6 – Se você quer pilotar embalado pelo ronco de sua moto por muitos e muitos anos, vale a pena proteger seus ouvidos. O excesso de barulho do motor pode afetar a saúde auditiva. Estudo do Instituto Nacional de Surdez e Outras Doenças de Comunicação, dos EUA, constatou que uma moto emite ruídos em torno de 95 decibéis. Ruídos acima de 85 dB podem causar alterações na estrutura interna do ouvido e perda permanente de audição, com o decorrer dos anos. O problema é mais agudo quanto maior for o barulho e o tempo de exposição do piloto ao excesso de ruído. O melhor é usar protetores auriculares.

7 – Muitas pessoas experimentam algum grau de perda auditiva a partir dos 40 anos, por causa do envelhecimento natural do corpo, mas a maioria custa para admitir que já não ouve tão bem quanto antes. Trazer à tona o problema é a melhor coisa a fazer. Familiares e amigos podem oferecer apoio importante. O tratamento da surdez, geralmente com aparelhos auditivos, resulta em maior autoestima e melhoras significativas na qualidade de vida do indivíduo tratado.




8 - Atividades desenvolvidas no próprio trabalho são, muitas vezes, as maiores causas da perda auditiva. Operadores de britadeira, operadores de telemarketing, músicos, DJs, operadores de áudio em emissoras de rádio, operários de fábrica, funcionários que atuam nas pistas de aeroportos, entre outros, estão expostos a ruídos intensos. Prevenir a perda auditiva, porém, é possível com o uso do protetor auricular que, em muitos casos, acaba sendo um acessório inseparável. A surdez pode gerar diversas consequências, entre elas a dificuldade de encontrar emprego em igualdade de condições com os detentores de uma audição normal.

9 – A perda auditiva é tão gradual que muitas vezes não se tem certeza se ela está ocorrendo ou não. É por essa razão que é preciso estar atento a sinais que podem indicar o início do problema. Afinal, quanto antes forem tomadas providências e iniciado o tratamento, melhor. Ao desconfiar que seu filho ou você mesmo sente alguma dificuldade para ouvir, consulte um médico otorrinolaringologista, que irá avaliar a causa e fazer um diagnóstico. A partir de avaliações como a audiometria, realizada por um fonoaudiólogo, pode ser indicado o tratamento mais adequado. Muitas vezes, o uso de aparelho auditivo resolve o problema. A audição é fundamental em nossas relações, em nosso dia-a-dia, e atualmente os aparelhos são minúsculos, discretos; alguns ficam inclusive dentro do canal auditivo, mantendo a elegância de quem os usa.

Então, por que não pensar no assunto e fazer logo um exame?

Fonte: Telex aparelhos auditivos.
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner