20.10.15

Câncer X Fosfoetanolamina: Não há cura do câncer com a fosfoetanolamina

Nas últimas semanas, ganhou vulto a decisão judicial que obrigou a Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, a fornecer a substância fosfoetanolamina para o tratamento do câncer. Tal fato foi recebido com surpresa por médicos e cientistas da área.

O assunto ganhou ainda mais repercussão com uma matéria em que o médico e escritor Dr. Dráuzio Varella elucidou o tema com tanta clareza.

Câncer X Fosfoetanolamina: Não há cura do câncer com a fosfoetanolamina
Câncer X Fosfoetanolamina: a cura do câncer? foto: Tribuna de Araraquara

Vamos aos fatos:

Câncer e Fosfoetanolamina: a verdade!


  1. A fosfoetanolamina não é remédio (não é um medicamento), nunca foi testada em ensaios clínicos, e não há qualquer registro de ação benéfica.
  2. Ao médico cabe prescrever somente medicamentos aprovados pelas autoridades sanitárias de acordo com embasamento científico que avalia tanto o benefício como um provável malefício. Nesse sentido, a Associação Paulista de Medicina solicita aos seus associados que esclareçam seus pacientes, amigos e conhecidos, em todos os ramos de atividade, profissional e social, que o uso dessa substância trará muito mais malefícios do que benefícios, como alegado pelos querelantes e seus advogados.

A Associação Paulista de Medicina se solidariza com pacientes e familiares com câncer terminal. Porém, torna-se importante o registro público de que medidas aparentemente salvadoras como a do uso da fosfoetanolamida para tratar o câncer poderá interferir no tratamento já em andamento do paciente.

>> Leia também: Câncer: 15 Sintomas precoces importantes.

Pior, a administração dessa substância, supondo ser inócua, criará esperança falsa de cura. Na hipótese de um desenlace não desejado, poderá haver aumento da sensação de perda do ente querido entre os familiares.

Aplicações possíveis da substância após testes clínicos positivos em humanos (se houver)

Câncer X Fosfoetanolamina: Não há cura do câncer com a fosfoetanolamina
Adicionar legenda

A Fosfoetanolamina foi estudada em ratos com leucemia e apresentou resultados satisfatórios. Porém, estudos em humanos ainda não foram realizados para que a liberação de produção comercialização e uso da droga seja segura. A substância tem um potencial para ter função antitumoral; ou seja, ação antiproliferativa, e estimular a apoptose. A fosfoetanolamina está intimamente relacionada com os mecanismo de regulação do potencial de membrana mitocondrial. (British Journal of Cancer (2013) 109, 2819–2828 | doi: 10.1038/bjc.2013.510).

Aos médicos e à população, conclamamos a se manterem unidos na atenção a todos aqueles pacientes, parentes e amigos com doenças de cura difícil. Não, somente o câncer. O acompanhamento diuturno do médico aliviando sintomas e a presença de seus entes próximos e queridos é o que os pacientes mais precisam nesse momento.

Leia também: Mitos sobre o câncer!

Alívio dos sintomas e carinho são um remédio insubstituível que vale mais do que qualquer molécula, promissora ou não, no tratamento do câncer.




Comentário do Saúde com Ciência sobre cápsulas/comprimidos contra o câncer


Infelizmente - se é que se pode dizer assim - o câncer não é um vírus ou uma bactéria que possa ser "atacada" por fármacos únicos e milagrosos. O câncer nada mais é do que a doença originada por uma célula que sofre uma mutação em um determinado momento por "n" fatores. Ou seja, essa célula que foi 'produzida' pelo próprio organismo começará a se multiplicar com a 'intenção' de se nutrir e se tornar predominante em todo o seu corpo formando tecidos, muitos deles com uma grande quantidade de capilares venosos, que nutrem tais tecidos. E como é originário de uma célula mutante, nos estágios finais da doença (terminal) é como se (falando a grosso modo, mas muito didático) as células modificadas tomassem conta de parte do corpo do doente que acaba por sucumbir à doença.

A partir desse entendimento, fica MUITO fácil para qualquer leigo entender o porquê de ser impossível que se exista um único comprimido ou cápsula contendo qualquer substância que - por um milagre - consiga aniquilar com todo esses novos tecidos invasores que foram produzidos por tais células defeituosas. (Renata Fraia - farmacêutica-bioquímica do Saúde com Ciência).
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

2 comentários:


  1. TESE DA FOSFOETALONAMINA

    http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/82/82131/tde-12022008-135651/pt-br.php

    Grupo de estudo
    https://www.facebook.com/groups/778027315676416/?fref=ts

    "Conclui-se que a fosfoetanolamina sintética diminuiu significativamente o tamanho de tumores de forma seletiva, sem alterações em células normais, com vantagem em relação aos quimioterápicos comerciais, pois a mesma não apresentou os terríveis efeitos colaterias dos mesmos. Neste trabalho ficou evidente a capacidade inibitória da fosfoetanolamina sintética na inibição da progressão e disseminação das células tumorais."
    Autor: Meneguelo, Renato
    Orientador: Chierice, Gilberto Orivaldo
    Banca examinadora:
    Chierice, Gilberto Orivaldo (Presidente)
    Maria, Durvanei Augusto
    Modesto, Nelson Pires

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito, muito, muito obrigada pela colaboração Sodré. Li atentamente todo o texto.
      .
      Tomara que agora - com a tamanha repercussão - as próximas etapas de testes (que comprovam a mesma eficácia em humanos, assim como a segurança em termos de efeitos colaterais indesejáveis e principalmente o potencial de toxicidade para humanos) deem andamento, ou seja, esperamos que grupos de cientistas/indústrias farmacêuticas se interessem em testar a substância para quem sabe, transformar vir a transformá-la em fármaco (medicamento), o que por enquanto NÃO É!

      Excluir

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner