19.5.16

Sífilis tem cura definitiva

Embora a sífilis seja uma doença infecciosa grave, se devidamente tratada, a sífilis tem cura definitiva em 98% dos casos. A sífilis é causada pela bactéria Treponema pallidum.

A cura da sífilis pode ser alcançada em 1 ou 2 semanas de tratamento, mas há casos onde ela pode perdurar por 2 anos ou mais.

Sem tratamento adequado da sífilis -- e preferentemente no início --, a doença pode comprometer a pele, os ossos, os olhos (cegueira), o sistema cardiovascular, o sistema nervoso e até levar à morte.

O contágio ocorre em relações íntimas sem proteção ou por transfusão de sangue contaminado, além da transmissão de mãe para filho.

Como saber se houve a cura da sífilis (definitiva)?


A sífilis tem cura definitiva na maioria dos casos e ocorre quando os exames de VDRL e também do líquor resultarem em normais, o que acontece em em geral entre 6 e 12 meses após o início do tratamento da sífilis.
Sífilis tem cura definitiva
Sífilis tem cura definitiva

DSTs, como tratar e como prevenir.

É importante salientar que não se deve abandonar o tratamento da sífilis quando a pessoa acometida se sentir melhor e não apresentar mais sintomas. O tratamento da sífilis deve continuar até o tempo determinado pelo médico. Só assim há mais chances de curar a sífilis.



Sinais de que ocorreu a cura da sífilis


Os sinais de melhora da sífilis aparecem após 3 a 4 dias do início do tratamento e podem incluir diminuição de vários sintomas como mal estar, diminuição das ínguas e cicatrização das feridas na região íntima e/ou ou mãos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), por ano, ocorrem cerca de 12 milhões de casos da doença no mundo. No Brasil, segundo a OMS, são registrados anualmente 937 mil novos casos de infecção de sífilis por transmissão com o contato íntimo.

Mais artigos sobre sífilis:


Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner