2.5.16

Complexos de rutênio: eficazes no combate ao câncer

Complexos de rutênio são eficazes para o combate ao câncer afirma farmacêutico pesquisador Rone Aparecido De Grandis, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Segundo a Fundação do Câncer, mais de 500 mil pessoas por ano no Brasil descobrem que têm algum tipo de tumor maligno (câncer). A produção científica sempre está em busca de soluções em tratamentos para o câncer.

Propor uma alternativa útil e eficaz é o objetivo do estudo “In vitro evaluation of the cytogenotoxic potential of Ruthenium (II) SCAR complexes: a promising class of antituberculosis agents”, desenvolvido pelo farmacêutico pesquisador Rone Aparecido De Grandis, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Complexos de rutênio: eficazes no combate ao câncer

“Dentro do estudo, obtivemos resultados altamente relevantes sobre a ação antitumoral de complexos de rutênio, com atividades quase 100 vezes maiores do que fármacos utilizados nos tratamentos anticâncer, como a cisplatina [referência no tratamento da doença]. Além disso, destacamos a importância da avaliação do perfil de segurança de novos fármacos, por meio de testes recomendados internacionalmente”, explica o cientista.

Para avaliar o efeito antitumoral dos complexos de rutênio (um elemento quimico), foram realizados testes frente a diversas linhagens celulares tumorais, como mama, próstata, intestino, fígado e colo uterino.

Para o especialista, “os resultados são bastante expressivos, quando comparados com outros descritos na literatura até o momento”. De Grandis pretende dar continuidade às pesquisas: “no doutorado, vou elucidar melhor o mecanismo de ação destes complexos por meio da avaliação da instabilidade genômica em esferoides multicelulares tumorais. Os estudos sobre a caracterização biológica desses complexos se tornam importantes para que se possa definir o real potencial clínico”.

Para o desenvolvimento da dissertação, Rone De Grandis precisou buscar várias referências sobre o tema na literatura acadêmico-científica. “O Portal de Periódicos da Capes foi uma importante fonte de consultas a artigos e dissertações. Como a grande maioria da informação científica é encontrada em meio digital, a consulta ao Portal foi recorrente durante minha pesquisa”, detalha. Segundo ele, “o acesso ao acervo do Portal de Periódicos permite não só a atualização, mas também o aumento da produção científica no Brasil e seu crescimento no panorama internacional”.

Mestre em Biociências e Biotecnologia Aplicadas à Farmácia, De Grandis descreve que recebeu apoio da Capes durante seu mestrado, com bolsa de estudos e auxílios financeiros para participação em congressos. “A presença em eventos científicos foi muito importante para a divulgação do meu trabalho e para a troca de informações com outros grupos”, diz o pesquisador. Em 2014, Rone recebeu o prêmio de melhor trabalho da área de mutagênese, apresentado no “60º Congresso Brasileiro de Genética” (Guarujá/SP) e, em 2015, o prê mio “Newton Freire-Maia” de melhor apresentação o ral , pela Universidade Federal do Paraná (Curitiba/PR) .

De Grandis teve sua análise publicada pelo periódico Mutation Research - Genetic Toxicology and Environmental Mutagenesis. Além disso, segundo o autor, outro paper acaba de ser submetido ao Journal of Inorganic Biochemistry.

Os dois títulos estão disponíveis para os usuários do Portal de Periódicos, por meio da opção “Buscar periódico” no Portal de Periódicos da Capes. A dissertação completa também pode ser encontrada no Repositório Institucional da Unesp.

Além do farmacêutico pesquisador Rone De Grandis, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), o estudo contou com a participação de Flávia Aparecida Resende (Dep. de Ciências Biológicas e da Saúde – UNIARA), Monize Martins da Silva (Dep. de Química – UFSCar), Fernando Rogério Pavan (Dep. de Ciências Biológicas – Unesp), Alzir Azevedo Batista (Dep. de Química – UFSCar) e Eliana Aparecida Varanda (Dep. de Ciências Biológicas – Unesp).

►► Leia também: Fosfoetanolamina é liberada como medicamento e preocupa Anvisa.

http://www.saudecomciencia.com/search/label/câncer
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner