11.10.16

Novos genéricos: ibuprofeno arginina, cabazitaxel e levetiracetam

Novos medicamentos genéricos chegam ao mercado...

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta segunda-feira (10/10), o registro de três novos medicamentos genéricos inéditos no Brasil.

Dessa forma, os pacientes que precisam desses medicamentos poderão encontrar uma nova opção no mercado -- inclusive para comparar o preço. Conheça os novos medicamentos genéricos:


Novos genéricos: ibuprofeno arginina, cabazitaxel e levetiracetam

Novos medicamentos genéricos ibuprofeno arginina, cabazitaxel e levetiracetam


Os três novos remédios genéricos foram aprovados...

1. CABAZITAXEL: para o tratamento de câncer de próstata,

2. IBUPROFENO ARGININA: para dores leves e moderadas,

3. LEVETIRACETAM: para tratar crises convulsiva.

Informações detalhadas sobre estes e novos remédios genéricos


1. O cabazitaxel, da Eurofarma, é genérico do genérico do Jevtana e a indicação é: tratamento de pacientes com câncer de próstata metastático hormônio-refratário, previamente tratados com um regime contendo docetaxel.

Forma farmacêutica: Solução injetável em associação com prednisona ou prednisolona

2. Ibuprofeno Arginina, da Zambon, genérico do Spidufen (receitado por muitos dentistas após tratamento de canal ou cirurgias dentárias). é indicado no alívio da dor leve ou moderada: cefaleias, nevralgias, dismenorreia, pós-cirúrgico dental e dores dentárias, musculares, traumáticas e artrite reumatoide. Febre e tratamento sintomático da gripe.

Forma farmacêutica: Comprimido ou granulado.

3. Levetiracetam, da UCB Biopharma, genérico do Keppra: indicado como monoterapia (não combinado com outros medicamentos antiepilépticos) para o tratamento de crises convulsivas parciais, com ou sem generalização secundária, em pacientes com 16 anos ou mais e diagnóstico recente de epilepsia.

Forma farmacêutica: Comprimido revestido ou solução oral

Vantagens da aprovação de novos genéricos


Na prática, quando um medicamento genérico inédito é aprovado, o medicamento de marca passa a ter um concorrente no mercado o que pela lei da oferta e da procura é melhor para o consumidor.

Pela lei, o remédio genérico já entra no mercado a um preço mais barato que o produto de marcar. Essa redução representa um desconto de pelo menos 35% em relação ao preço máximo da tabela da Anvisa.

Fonte: Anvisa
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner