4.2.17

Embalagem de fast-food faz mal à saúde

Embalagens de fast-food prejudicam a saúde, diz pesquisa

Um novo estudo mostrou que produtos químicos usados na fabricação da embalagem entram em contato com o alimento e podem causar diabetes e câncer.

Você não dispensa um fast-food, apesar de saber que esse tipo de alimento faz mal? Pois saiba que tal hábito pode fazer ainda mais mal.

Embalagem de fast-food cancer e diabetes
Embalagem de fast-food faz mal à saúde / câncer e diabetes estão entre as doenças

Um novo estudo publicado recentemente na revista científica Environmental Science & Technology Letters mostra que produtos químicos utilizados na produção das embalagens em que os alimentos são armazenados após prontos podem causar doenças como diabetes e câncer.

“Essas substâncias químicas têm sido associadas a inúmeros problemas de saúde, por isso é preocupante que as pessoas estejam potencialmente expostas a elas em alimentos”, disse Laurel Schnaider, principal autora do estudo.

A pesquisa, realizada pelo Instituto Silent Spring, nos Estados Unidos, analisou mais de 400 embalagens de papel e cartolina de 27 cadeias americanas de fast-food.

Os resultados apontaram que as embalagens à prova de gordura nas quais esses alimentos são guardados depois de prontos contêm substâncias químicas fluoradas que entram em contato com o alimento e, após ingeridos, podem modificar o DNA e os processos de replicação celular.

Isso significa um potencial risco para o desenvolvimento de problemas de saúde como:
  • puberdade precoce, 
  • distúrbios de fertilidade, 
  • distúrbios de desenvolvimento em crianças, 
  • doenças da tireoide
  • obesidade
  • câncer e 
  • diabetes.

Segundo os autores, as crianças são as que correm mais risco pela ingestão destas substâncias, pois seus corpos ainda em desenvolvimento estão mais vulneráveis a químicos tóxicos.

Compostos fluoretados fazem mal à saúde e ao meio ambiente


Embalagem de fast-food faz mal à saúde
porcentagem de compostos fluoretados em embalagens de fast-foods

Os cientistas identificaram aproximadamente 20 tóxicos altamente fluorados. Quase metade das embalagens de papelão e 20% dos papéis analisados continham flúor.

Além de causar riscos diretos à saúde, os pesquisadores alertam que, quando os compostos fluoretados são descartados em aterros sanitários, eles podem migrar para águas subterrâneas, com potencial impacto potencial no abastecimento de água potável.

O que diz a Portaria nº 912/MS/SVS de 13/111998 sobre os compostos fluoretados em embalagens de alimentos


(...)
ANEXO VIII

REGULAMENTO TÉCNICO PARA EMBALAGENS E EQUIPAMENTOS DE POLIETILENO FLUORETADO EM CONTATO COM ALIMENTOS

1. Alcance
O presente Regulamento aplica-se a embalagens e equipamentos de polietileno fluoretado destinados a entrar em contato com alimentos ou matérias primas para alimentos e para embalagens compostas por vários tipos de materiais, sempre que a camada em contato com o alimento seja de polietileno fluoretado.

2. Definição
Embalagens e equipamentos de polietileno fluoretado - aquelas fabricadas a partir de artigos de polietileno ou seus copolímeros autorizados, modificados na sua superfície através de um tratamento com gás flúor em combinação com gás nitrogênio como diluente inerte. Esta modificação afeta somente a superfície do polímero, deixando seu interior sem alterações.

3. As embalagens e equipamentos de polietileno fluoretado a que se refere este Regulamento devem ser fabricados seguindo as Boas Práticas de Fabricação, compatíveis com sua utilização para contato direto com alimentos.

4. Para a fabricação dos artigos que serão submetidos ao tratamento com flúor somente podem ser utilizados:
4.1. Os polímeros ou copolímeros listados abaixo:
(...)

(I) não pode ser utilizado para cocção.
(II) para alimentos graxos, não pode ser utilizado em temperaturas superiores a 65º C.
(III) não pode ser utilizado em temperaturas superiores a 65º C.
4.2. As substâncias ou grupos de substâncias incluídas nas listas positivas de aditivos para materiais plásticos (Anexo III), devem cumprir as restrições fixadas para cada caso.

5. As embalagens e equipamentos de polietileno fluoretado em contato com alimentos devem cumprir com os regulamentos estabelecidos nos Anexos: II, III e V; além disso, não devem ceder para os alimentos acima de 5 mg/kg do íon fluoreto, e, neste caso, é estabelecido um LME = 5mg/kg de íon fluoreto.



A migração específica de íon fluoreto será avaliada através de metodologia analítica descrita em Regulamento Técnico específico.

6. O processo de fabricação e as embalagens e equipamentos de polietileno fluoretado destinados a entrar em contato com alimentos devem ser autorizados/aprovados previamente pela autoridade sanitária competente.

7. as embalagens e equipamentos de polietileno fluoretado destinados a entrar em contato com alimentos devem ser autorizados/aprovados pela autoridade sanitária competente.

8. Todas as modificações de composição das embalagens e equipamentos de polietileno fluoretado destinados a entrar em contato com alimentos devem ser submetidos à autoridade sanitária competente para sua autorização/aprovação.

Fontes:  Environmental Science & Technology Letters | Veja | Anvisa

Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner