2.6.17

Como deve ser a alimentação de uma bailarina?

Alimentação de uma bailarina: o que não pode faltar no cardápio dessa moça que trabalha dançando?

É sabido que as bailarinas precisam ter muita disciplina no seu treino e também na alimentação, para conseguir realizar os movimentos com perfeição. Confira os ingredientes que não podem faltar em uma alimentação de bailarina:

ALIMENTAÇÃO DE UMA BAILARINA


Como deve ser a alimentação de uma bailarina?
Como deve ser a alimentação de uma bailarina? / foto: nikidinov

Proteínas (aminoácidos)


Além de formarem os músculos e mantê-los fortes, as proteínas fornecem energia a longo prazo (para que os bailarinos consigam ficar horas sem comer durante o treino), ajudam a manter os ossos, nutrem as células cerebrais e ainda aceleram o metabolismo.

➤ Leia também (no R7): Conheça 10 alimentos ricos em proteína para substituir na dieta e emagrecer

Contêm proteínas as carnes (de quaisquer tipos -- mas os cortes magros devem ser os preferidos), ovos, grãos (como feijões, lentilha e ervilha), leite e derivados.

Quanto a bailarina deve consumir de proteínas?


Consuma uma porção de proteína no café da manhã e no almoço, como dois ovos ou um filé magro; e meia porção no jantar como um ovo ou meio filé de frango desfiado, (evite a carne vermelha no jantar para não atrapalhar o sono). Procure consumir proteínas com fibras.

Carboidratos e cereais integrais




Tanto os carboidratos complexos quanto os cereais integrais fornecem energia e matam a fome por mais tempo.

Os cereais integrais ainda garantem maior disposição, pois nutrem o corpo com vitaminas, minerais e também proteínas.

Aposte em carboidratos e cereais com baixo índice glicêmico, pois eles demoram mais tempo para liberar a glicose no sangue, evitando a fome, a sensação de inchaço e a falta de disposição durante o treino.

Quanto consumir e exemplos 


Consuma-os nas refeições principais preenchendo 1/4 do prato, sempre combinando com fibras e muitos vegetais. São exemplos:

Carboidratos: batata-doce, mandioca, inhame e mel;

Cereais: arroz, pão e macarrão integrais, milho, aveia, farinha de centeio, quinoa, farinha de linhaça e de chia, além do germe de trigo.

Grãos integrais


Por serem ricos em ferro, grãos como feijão, lentilha, grão-de-bico e ervilha ajudam a proteger o sistema imunológico, evitando faltas em ensaios por doenças e garantindo maior disposição para dançar.

Eles ainda ajudam na formação de colágeno, proteína responsável pela firmeza dos músculos — evitando a flacidez —, e também pela boa aparência da pele. Além disso, ainda apresentam baixo índice glicêmico!

Quanto consumir


Coma no almoço e no jantar, preenchendo junto com os cereais 1/4 do prato.



Gorduras boas


As gorduras boas trazem muitos benefícios para bailarinas, como ajudar na digestão, deixar a pele linda e saudável e fornecer energia em pequenas quantidades, que serão usadas no fim de um treino longo.

Seus ácidos graxos essenciais ainda são capazes de ajudar na saúde mental. Lembre-se de que esse alimentos são muito calóricos, então, consuma-os com moderação para não perder a elegância típica das bailarinas.

Quanto consumir e exemplos 


Elas estão presentes em nozes, castanhas, no abacate e no azeite de oliva.

Consuma no café da manhã ou na hora do lanche.

Fibras e alimentos laxantes


As fibras e os laxantes naturais melhoram o funcionamento intestinal, livrando o ventre dos gases que deixam o estômago e a barriga estufados, ou seja: esteticamente desagradável. Imediatamente após consumir muitas fibras é fundamental que você beba mais água para que a fibra consiga cumprir seu papel.

O mamão e o iogurte são os reis dos alimentos laxantes, por isso, não deixe de incluí-los em sua dieta. Já as fibras estão nas verduras e em todos os legumes. Outras excelentes fontes incluem: farelo e gérmen de trigo, farinha de linhaça e chia. Consuma porções de fibras em todas as refeições



Frutas suculentas e água


A tão abençoada água é mesmo uma benção! Além de hidratar o corpo ela ajuda a prevenir câimbras, muito comuns em bailarinas. Beba cerca de dois litros e meio de água ao longo do dia, inclusive durante as aulas. Então, não esqueça de carregar um squeeze sempre com você.

Para variar um pouco a forma como a água é consumida, aposte em frutas como melancia, melão e abacaxi (embora o abacaxi tenha muito açúcar). Consuma in natura em vez de em sucos, pois é preciso muita quantidade de fruta para render um copo de suco, o que o deixará com muito açúcar das frutas.

Pra facilitar, corte quadrados de melancia e melão e leve com você, mas encontre uma geladeira para deixá-los! Colocar suco de limão, hortelã e gengibre na água, formando a água aromática também vale pra variar o gosto.

Laticínios


Leite e seus derivados como iogurte, queijo e requeijão. Dê preferência às opções desnatadas. Esses alimentos são fonte de cálcio e, por isso, deixam os ossos mais fortes, aumentam a absorção de vitamina D, além de serem importantes para a contração muscular.

Quem costuma sentir inchaços após beber leite deve evitar bebê-lo em dias de apresentação ou optar pelas versões sem lactose.

Quanto consumir


Consuma pela manhã e em um dos lanches (refeições entre o almoço e o jantar).

Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner