19.6.17

Palestra Intervenção Assistida por Cães e Musicoterapia

Palestra "Intervenção Assistida por Cães e Musicoterapia, como essas terapias são utilizadas na saúde"

Desde abril, a Unidade Integrativa Santa Mônica realiza o Ciclo de Palestras sobre Saúde, gratuitas, com o objetivo de promover a saúde da sua comunidade.

No próximo dia 22/06, às 19h, acontecerá a palestra "Musicoterapia e Intervenções Assistidas por Cães na Saúde Emocional", que será ministrada por Lilian Bertolo - Psicóloga e Ludmila Poyares, musicoterapeuta. Informações e inscrições gratuitas 11 3045-2228, Rua João Lourenço, 190, Vila Nova Conceição.

Palestra Intervenção Assistida por Cães e Musicoterapia

Intervenção Assistida por Cães e Musicoterapia

Musicoterapia na terapêutica


A Musicoterapia trata da utilização terapêutica da música e dos recursos musicais. É uma profissão que exige nível superior de formação. O musicoterapeuta é um profissional tecnicamente capacitado para utilizar os procedimentos e protocolos específicos da área buscando a saúde, bem-estar e qualidade de vida das pessoas.

Segundo a definição da Federação Mundial de Musicoterapia (1996):

“Musicoterapia é a utilização da música e/ou dos elementos musicais (som, ritmo, melodia e harmonia) pelo musicoterapeuta e pelo cliente ou grupo, em um processo estruturado para facilitar e promover a comunicação, o relacionamento, aprendizagem, mobilização, expressão e a organização (física, emocional, mental, social e cognitiva) para desenvolver potenciais e desenvolver ou recuperar funções do indivíduo de forma que ele possa alcançar melhor integração intra e interpessoal e consequentemente, uma melhor qualidade de vida.”

O foco da atuação da Musicoterapeuta da Unidade Integrativa é na terapia de idosos, pessoas com Síndrome de Down, Síndrome de West, Síndrome de Rett, autistas e, pacientes com algum diagnóstico ligado à saúde mental.

Intervenção Assistida por Cães


Já a atividade de Intervenção Assistida por Cães, envolve a prática que utiliza a interação entre homem e cão para potencializar os processos de aprendizagem, auxiliar no desenvolvimento social e ainda gerar melhorias na saúde, bem-estar e autoestima das pessoas.

Segundo o fisioterapeuta Vinicius Ribeiro, um dos fundadores do Humanimais que realiza um trabalho voltado para Terapias Assistidas por Cães. A atuação é voltada para diagnósticos diversos como: esquizofrenia, déficit de atenção, depressão, transtorno bipolar, entre outros, de crianças e adultos. Também atuam com pacientes geriátricos e na área de cuidados paliativos, dando suporte aos acompanhantes.

Vinicius é dono do vira-lata Madiba, um dos cães terapeutas do Humanimais e garante que a interação com o cão pode ajudar no processo de recuperação de memórias e tirar a pessoa do isolamento.

Ainda segundo o especialista, cada cachorro tem um treinamento específico de acordo com a função que irá desempenhar, o que influencia é a análise do comportamento do animal, não da raça. O golden Lion, por exemplo, muito tranquilo e carinhoso, é um “psicopedagogo” perfeito para atividades como leitura de histórias.

Já o vira-lata Madiba foi treinado desde pequeno para atuar como cão terapeuta, considerando seu perfil ativo e brincalhão, mas também muito educado. “E ele foi basicamente treinado pelos pacientes, que ensinaram vários comandos, como rolar, dormir e dar abraço”.

A equipe treina cães de assistência para atuarem com crianças do espectro autista, por exemplo, o cão pode ajudá-la a abordar e ser abordada por outras pessoas, além de evitar fugas e autoagressão, ajudar a socialização, tranquilizando os pais.

Essa mediação afetiva pode acontecer naturalmente também, mas o ideal é que o cachorro seja treinado, que os comportamentos sejam ajustados às necessidades da criança. É um grande ganho, algo que tira as crianças e também as famílias do isolamento”, pontua.

Por que utilizar cães terapeutas nas nossas práticas?


• Liberação de B-endorfina, oxitocina, dopamina, entre outros, produzindo efeitos tranquilizadores e relaxantes;
• Diminuição os níveis de cortisol, hormônio do estresse;
• Redução dos níveis de ansiedade;
• A interação com os cães facilita a criação de vínculos afetivos, tornando as atividades mais prazerosas;
• Não possuem a capacidade de julgar, assim os participantes sentem-se livres para errar;
• Facilita a aprendizagem e a comunicação;
• Estimula as habilidades sociais.

Fonte: Unidade Integrativa Santa Mônica

Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner