6.11.17

Dragão de Komodo e formiga podem "gerar" novos antibióticos

Sempre procuro trazer matérias que falam da importância em tentar preservar a ação dos antibióticos sobre as bactérias com o uso correto desses medicamentos. Essa é uma das minhas metas como profissional de saúde. Hoje, a matéria será em cima de um excelente texto da BBC. Acompanhe...

Por Renata Fraia

Quase que ao mesmo tempo que descobriu a penicilina (o primeiro antibiótico), Alexander Fleming  advertiu que as bactérias poderiam se tornar resistentes aos medicamentos. Ora, seres vivos são mutáveis e costumam usar essa arma inteligente que a natureza os deu para continuarem vivos ou pelo menos gerarem filhos que consigam continuar.

foto: janwinkler

Só que o mundo, incluindo a comunidade médica, parece não ter ouvido (ou assimilado e entendido) o que ele disse e o excesso de prescrição de antibióticos -- até para prevenir infecções, o que é um absurdo -- fez com que muitas das bactérias se tornassem resistentes a eles. Péssimo pra todo mundo!

Isso fez com que os cientistas busquem mais e mais substâncias que tenham ação antimicrobiana. Agora, eles estão buscando em locais inusitados, como cavernas, dragões de komodo e até formigas.



Fontes inusitadas para novos antimicrobianos


Segundo a matéria da BBC, atualmente, algumas fontes surpreendentes de antibióticos estão sendo investigadas.

Dragão de Komodo

Cientistas acreditam que o réptil conhecido como Dragão de Komodo, que vive em um arquipélago na Indonésia, tenha em seu sangue um componente (peptídeo) capaz de tratar feridas infeccionadas.

Nota do Saúde com Ciência: Essa descoberta ocorreu em 2016 pelos cientistas da Universidade George Mason, que foram liderados pelo bioquímico Barney Bishop [fonte: Galileu]

Formigas

Eles também creem que as formigas cortadeiras da Amazônia se associam a bactérias para proteger seus ninhos.

➤ Leia também: Usar antibióticos em animais ameaça a saúde humana

Nariz humano

E pasmem! Um antibiótico capaz de combater superbactérias foi encontrado dentro do nariz humano.

Sujeira

E, não menos importante, a sujeira continua a ser uma importante fonte de novos compostos antibacterianos.

Testes

Testes e mais testes são necessários para que o 'achismo' se torne fato concreto. Isso porque embora seja fácil encontrar agentes químicos que matam bactérias, existe o grande desafio de descobrir e desenvolver substâncias -- as quais foram extraídas de suas fontes -- não sejam tóxicas para os seres humanos.



Além disso, o caminho da descoberta até a aprovação de um medicamento para uso clínico é inevitavelmente longo, e o risco de fracasso é alto.

O processo começa com pesquisas básicas que identificam organismos que produzam substâncias antimicrobianas, ou seja, que matam microrganismos.

Complemente sua leitura com o artigo: Farmacopeias unidas contra resistência antimicrobiana.

Fonte: BBC
Imprimir esta receita ;-)
Ads
Conteúdo do Saúde com Ciência é informativo/educativo. Não exclui consulta médica Este artigo pertence ao Saúde com Ciência. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe comentário/sugestão de artigo. Ler Regras para Comentários.

Assine nossa newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner