Postagens

Medicamento da Merck contra Covid em fase experimental

Imagem
Medicamento contra a Covid, da Merck, está em fase de testes, mas é uma ótima esperança com resultados comprovados cientificamente . A indústria farmacêutica Merck (alemã) anunciou, nesta sexta-feira (1º), que o  molnupiravir ,  seu medicamento contra a Covid-19 - que ainda está em fase de testes -, reduziu as hospitalizações e mortes em pessoas no início da infecção com o coronavírus.   É importante ressaltar que os resultados dos testes com o molnupiravir ainda não foram avaliados por outros cientistas nem publicados em revista científica , ou seja, o medicamento molnupiravir ainda não existe de fato . Portanto, trata-se de um fármaco em fase de testes ! A Merck afirmou que pode produzir 10 milhões de doses de molnupiravir até o final do ano e tem contratos com governos em todo o mundo. O governo dos EUA se comprometeu a comprar 1,7 milhão de doses do medicamento caso seja autorizado pela FDA . Perguntas e respostas possíveis sobre o futuro medicamento. Como o fármaco em estudo molnu

Coronavírus pode curar câncer?

Imagem
Um paciente que conseguiu se curar de um câncer após pegar Covid-19 virou notícia. Entenda o caso . Texto de Jacques Tabacof, oncohematologista* coronavírus (Sars-CoV-2) Um estudo publicado no periódico científico British Journal of Hematology chamou a atenção da comunidade médica e do público em geral por relatar a dupla cura de um paciente oncológico contaminado pela Covid-19 . Segundo o artigo, um homem de 61 anos diagnosticado com linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer hematológico que se origina no sistema linfático, deixou de apresentar sinais da doença após um período de internação para tratar o novo coronavírus. O relato aponta que o paciente havia descoberto o tumor hematológico em estágio avançado. Mas, antes mesmo de receber as medicações específicas para combater o câncer, ele testou positivo para o Sars-CoV-2 . O artigo detalha que, por conta de sintomas respiratórios (falta de ar e pneumonia), o homem precisou permanecer no hospital por 11 dias, tratando exclusivamente a

Vacinas contra Covid: veja comparativo das opções!

Imagem
Veja como está a situação das vacinas contra Covid-19 em desenvolvimento por diversas empresas! Confira, abaixo, o status das vacinas contra o coronavírus 2 mais promissoras em desenvolvimento. Você verá: quais são as vacinas;  quais países fizeram compras;  qual a situação do registro; o que se sabe sobre eficácia das vacinas contra Covid-19; características das vacinas: doses, prós, contras e preço por dose para os países; status das vacinas contra covid: fases dos testes. 1. Quais são as vacinas contra Covid em maior estágio de desenvolvimento? Vacinas contra Covid   2. Quais países compraram vacinas e quais? Vacinas contra Covid - quem já comprou e qual? 3. Qual a situação do registro das vacinas? CoronaVac - Sinovac: aprovação emergencial para uso limitado na China; aplicada em ao menos uma cidade (Jiaxing) ChAdOx1 - Oxford/AstraZeneca: em análise na MHSA (Reino Unido) Sputnik V - Instituto Gamaleya: aprovada e aplicada na Rússia mRNA-1273 - Moderna: Não Ad26.COV2.S - Johns

Riscos de usar máscaras em crianças menores de 2 anos

Ministério da Saúde alerta sobre uso de máscara e protetores faciais em crianças de até 2 anos Diante da emergência de saúde pública mundial causada pela Covid-19, muitas medidas de precaução vêm sendo tomadas. No entanto, algumas condutas precisam de atenção especial, entre elas, o uso indevido de máscaras e protetores faciais em bebês recém-nascidos e crianças até dois anos.  Nos primeiros anos de vida, é preciso ter cautela na utilização destes equipamentos de proteção individual. Isso porque, para bebês e crianças, o uso inapropriado de barreiras faciais oferece risco de asfixia, estrangulamento e morte por engasgo – já que um bebê não tem capacidade motora para retirar a proteção em caso de refluxo.  Além disso, o uso de coberturas faciais pode comprometer a amamentação, já que as mães podem encontrar dificuldades na remoção e recolocação do protetor facial (faceshield) ou máscaras na criança. Nos casos dos recém-nascidos, é importante ressaltar que a Organização Mundial da S

Colesterol alto é fator de risco para Covid-19

Da Folha: Nível de colesterol alto no sangue é fator de maior risco para Covid-19. Leia matéria completa na Folha... ➤➤ LER TAMBÉM:  Ala hospitalar para indígenas no Amazonas " Para mim, escrever sobre saúde é necessidade fisiológica. Amo o que faço porque faz parte de mim. " (Renata Fraia - farmacêutica e jornalista)

Ala hospitalar para indígenas no Amazonas

Ministério da Saúde inaugura primeira ala hospitalar para indígenas no Amazonas  O Governo do Brasil em parceria com o estado do Amazonas inaugurou, nesta terça-feira (26), uma ala hospitalar destinada à indígenas com COVID-19 . Trata-se de uma iniciativa inédita no país que viabilizará cuidados adequados para as comunidades indígenas do Amazonas. A estrutura foi instalada no Hospital Nilton Lins, em Manaus (AM). A inauguração contou com a presença do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, o Governador do estado do Amazonas, Wilson Lima e o secretário Especial da Saúde Indígena, Robson Santos da Silva. A nova ala tem 53 leitos, sendo 33 leitos clínicos, 15 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e 5 Unidades de Cuidados Intermediários (UCI), com possibilidade de expansão. O Hospital Nilton Lins foi inaugurado em 18 de abril com 95 leitos para tratamentos de pacientes com COVID-19. “Essa ação é o resultado de um trabalho em equipe. É o primeiro serviço voltado à população

Profissionais da saúde incapacitados pela covid-19 poderão ser indenizados

O Senado deve votar em breve uma proposta que estabelece o pagamento, pela União, de compensação financeira de R$ 50 mil a profissionais de saúde e outros trabalhadores ligados à área que tenham ficado incapacitados permanentemente para o trabalho depois de terem tido covid-19. A indenização se aplica também no caso de morte pela doença. O PL 1.826/2020, de autoria dos deputados Reginaldo Lopes (PT-MG) e Fernanda Melchionna (PSol-RS), foi aprovado na quinta-feira (21) pela Câmara dos Deputados e atende aqueles que tenham trabalhado diretamente com pacientes acometidos pelo coronavírus ou realizado visitas domiciliares em determinado período de tempo, no caso de agentes comunitários de saúde ou de combate a endemias. Segundo o texto, além dos agentes comunitários, serão atendidos também, por incapacidade ou morte: aqueles cujas profissões de nível superior sejam reconhecidas pelo Conselho Nacional de Saúde; aqueles cujas profissões, de nível técnico ou auxiliar, sejam vinculadas