Dieta Viking OMS: recomendação mundial

Dieta nórdica faz bem à saúde e é recomendada pela OMS

Antes de começar o artigo em si convém lembrar que dieta viking e dieta nórdica e que elas são muito semelhantes à dieta mediterrânea!

Comecemos com a mediterrânea que, certamente, você já dizer que trata-se de uma dieta que é referência de alimentação saudável. Mas você conhece a dieta viking? Um olhar apurado nos estudos feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) comprovou que as tanto a dieta mediterrânea quanto a dieta nórdica (ou vinking) fazem bem à saúde, sobretudo a do coração.

Dieta Viking - Benefícios e origem


Assim como a mediterrânea, a dieta viking ajuda a diminuir o risco de doenças como as cardiovasculares, o diabetes e o câncer, as mesmas que, muitas vezes, estão associadas à obesidade.

Segundo a OMS, ambas têm características semelhantes, mas a dieta nórdica se baseia em alimentos tradicionais dos países do norte europeu: Noruega, Suécia, Dinamarca, Finlândia e Islândia.

Dieta Viking e Mediterrânea - semelhanças e diferenças


A principal diferença em relação à dieta mediterrânea [LER: Dieta mediterrânea: alimentos permitidos] é que a dieta viking recomenda o uso do óleo de canola, em vez do azeite de oliva [cabe ressaltar que ambos são igualmente saudáveis, mas o de canola tem a vantagem de ser bem mais em conta para nós brasileiros -- e não dê ouvidos a boatos sobre o óleo de canola].

Dieta Viking OMS
plantação de CANOLA - foto: szjeno09190/pixabay

Dieta Viking - alimentos principais


A dieta viking ou nórdica é baseada no consumo dos alimentos:

  • vegetais de folhas verdes e raízes; 
  • frutas vermelhas; 
  • frutas em geral; 
  • cereais integrais, como a cevada, a aveia ou o centeio; 
  • legumes; 
  • laticínios com baixo teor de gordura
  • peixes, incluindo os mais gordurosos como o salmão, a cavala ou o arenque, que podem ser consumidos várias vezes na semana. [amigos, cuidado com a origem dos peixes que vcs comprar, pois podem estar contaminados com mercúrio ou outros contaminantes. Já o salmão pode estar colorido artificialmente e ser de baixa qualidade].

Adaptação dos não-nórdicos à dieta viking  


A OMS afirma que os princípios desta dieta podem ter adaptação mais fácil do que os alimentos em si. Trata-se de promover o consumo de cereais de forma integral, frutas e vegetais, já que são excluídas as gorduras saturadas.

Dieta Viking - Comentário Saúde com Ciência


Interessante nessa dieta, é ver que as frutas não são restringidas a 3 porções diárias, como muitos endocrinologistas e nutricionistas vêm recomendando. Essa restrição é devida à quantidade de açúcar (carboidratos) presente nas frutas.

Notem que na dieta nórdica não há tal restrição, mas deixa "quase" claro que não se deve exagerar no consumo de massas e pães em geral, que contêm muito mais açúcar (carboidrato) do que as frutas. Para mim, como farmacêutica especialista em nutrição clínica e farmácia clínica, é impensável que devamos comer mais arroz, pão, macarrão (ainda que integrais) do que frutas. Acredito que 5 porções diárias de frutas e uma fatia de pão (em vez de duas) a cada vez que o mesmo for consumido - corte uma fatia ao meio e faça um lanche com ela - , trará muito mais benefícios à saúde do que 3 frutas e mais fatias de pão. (Renata Fraia).

Fontes: BBC e OMS

Comentários

Leia também!

Soro caseiro: receita copo 200ml (e para 1 litro)

Antibiograma o que é e para que serve esse exame

Use vinagre para piolhos e lêndeas

Receita de anti-mofo caseiro para guarda-roupa e paredes

Açúcar Demerara - Benefícios

Vinagre ou água sanitária (hipoclorito de sódio) para higienizar verduras?

Piolho chato, o piolho pubiano: sintomas e tratamentos

Como acabar com piolho de cobra

Enzimas COX-1 e COX-2 (ciclooxigenase)

Benefícios do Amendoim torrado para a saúde