Farmacêuticos e médicos promovem discussão sobre Canabidiol

O CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia), em parceria com o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), realizou no último dia 27, na capital, o Fórum de Discussão sobre o Canabidiol

Em pauta, o debate sobre uso da substância como medicamento para diversas doenças e como pacientes aguardam ansiosamente a regulamentação para acesso a esta forma de tratamento. Após as discussões, o Fórum resultou em avanços, como a criação de um grupo técnico formado por farmacêuticos e médicos que irá atuar para incentivar estudos clínicos e buscar regulamentação para produção, comercialização e uso do canabidiol para uso medicinal. Da reunião também saiu um documento estabelecendo propostas de diretrizes e ações para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Em sua participação, o presidente do CRF-SP, dr. Marcos Machado, ressaltou a importância da discussão do tema e da iniciativa conjunta dos conselhos de medicina e farmácia se unirem com objetivo de buscar juntos soluções para a saúde da população.

O presidente do CRF defendeu a regulamentação do cultivo e da produção de óleos e extratos a base de canabinóides. “É necessário e urgente, porque nos preocupa que pessoas e entidades comecem a querer obter princípios ativos de plantios individuais sem conhecimento técnico de plantio, de extração e de purificação, sem noção de qual parte da planta é a ideal a se utilizar”, afirmou.

➤➤ LER: Canabidiol: Anvisa libera registro de medicamento à base da substância

Dr. Lavínio Nilton Camarim, presidente do Cremesp, também defendeu a discussão de temas entre profissionais de saúde. “O uso do canabidiol é importante, mas cercado de muito dogma na sociedade, por isso precisa ser pensado coletivamente. O assunto está na pauta do Cremesp desde 2014, inclusive sendo pioneiro ao estabelecer resoluções para o tema, antes mesmo do Conselho Federal de Medicina. Estamos hoje aqui possivelmente num marco e precisamos aproveitar a oportunidade para trazer uma esperança para as pessoas que irão usar desta terapêutica no dia-a-dia”, disse.

Farmacêuticos e médicos promovem discussão sobre Canabidiol


Dra. Amouni Mourad, assessora técnica do CRF-SP, apresentou a palestra “Diferença entre o uso do Cannabis, canabidiol e THC”. “A planta é utilizada com droga de efeito alucinógeno, mas os canabiódes tem seus derivados, como o canabidiol, que é nosso principal ator, conhecido como CDB, e que está se transformando de uma molécula pouco conhecida para um potencial componente nutricional e também para o tratamento de diversas doenças”, explicou.

O presidente da Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal (AMA+ME), o médico Dr. Leandro Ramirez, apresentou a luta de sua entidade, que congrega pacientes, familiares e colaboradores diversos, para divulgar, promover, garantir, consolidar e expandir os direitos dos pacientes de cannabis medicinal. Dr. Leandro explicou os inúmeros benefícios que a cannabis pode proporcionar àqueles que lidam, cotidianamente, com doenças graves como epilepsia, câncer, dor neuropática, dentre outras.

RESULTADOS DOS TRATAMENTOS

“Temos acompanhado de perto os resultados obtidos por pacientes que optaram por esse tratamento, muitos deles nossos filhos (as), maridos, esposas. No entanto, sabemos que o desconhecimento e o preconceito são barreiras que dificultam o acesso de inúmeros pacientes a uma vida com mais qualidade”, ressaltou.

A Anvisa foi representada no Fórum pela Dra. Renata de Morais Souza, da Gerência de Produtos Controlados (GPCON), com a palestra “Tendências de regularização sanitária”. Em sua participação a Dra. Renata expôs a questão do controle, análise técnica e pedidos de acesso a produtos como a cannabis medicinal.

PALESTRAS

Participaram ainda das discussões, a Dra. Paula Preto, neurologista pediátrica com a palestra “Dificuldades dos pacientes que necessitam de tratamento com canabidiol”; Dr. Ademir Valério, vice-presidente da Anfarmag, com a palestra “Preparação do extrato da cannabis sativa por farmácias magistrais”; Dr. Osvaldo Simonelli, superintendente jurídico do Cremesp, que falou sobre o “Paradigma médico-jurídico”; e a vereadora Soninha Francine, substituindo o deputado estadual Davi Zaia, que falou sobre a “Visão do Legislativo Paulista”.

Um dos destaques do evento foi o encaminhamento feito pelo Dr. Mauro Aranha, coordenador do departamento jurídico do Cremesp, que participou da abertura do encontro, apresentou uma palestra sobre os aspectos éticos da prescrição do canabinóides e comprometeu-se em encaminhar a ampliação da prescrição de extratos de cannabis (princípio ativo da maconha) ricos em CBD para fins medicinais, respeitando as RDCs 38/2013 e 17/2015 MS / ANVISA, para todas as especialidades médicas, visando facilitar a acessibilidade de pacientes portadores de doenças nas quais a cannabis pode trazer benefícios, respeitando critérios de compassividade e a relação de responsabilidade médico paciente.

➤➤ LER: Com uso recreativo, maconha pode se tornar um problema de saúde pública

Comentários

Leia também!

Soro caseiro: receita copo 200ml (e para 1 litro)

Use vinagre para piolhos e lêndeas

Antibiograma o que é e para que serve esse exame

Receita de anti-mofo caseiro para guarda-roupa e paredes

Açúcar Demerara - Benefícios

Piolho chato, o piolho pubiano: sintomas e tratamentos

Vinagre ou água sanitária (hipoclorito de sódio) para higienizar verduras?

Como acabar com piolho de cobra

Casca de Jabuticaba para que serve?

Enzimas COX-1 e COX-2 (ciclooxigenase)