Como transportar crianças em automóveis com segurança?

Em 2016, 246 crianças menores de 10 anos morreram em acidentes de trânsito em que elas estavam no veículo

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelece que crianças menores de 10 anos devem andar no banco traseiro, com o dispositivo de segurança correspondente à idade: o bebê conforto é indicado do nascer até um ano de idade; entre um e quatro anos, a criança deve ser transportada na cadeirinha; dos quatro aos sete anos e meio, o assento de elevação é o dispositivo indicado. A partir desta idade a criança poderá utilizar somente o cinto de segurança, mas ainda no banco braseiro.

A consultora técnica do Ministério da Saúde Cheila de Lima, alerta sobre a importância dos itens de segurança. “O uso desses dispositivos de proteção à criança pode evitar até 70% dos casos de morte na faixa etária de 1 a 10 anos. Daí a importância do uso da cadeirinha e dos outros dispositivos”, relata.

Como transportar crianças no carro?

Veja como transportar corretamente as crianças em automóveis


• A criança deve usar o dispositivo conforme a idade, como por exemplo, no primeiro dia de vida até 1 ano é preciso ser transportada pelo bebê conforto – e deve ficar de costas para o painel que é uma forma melhor de proteger a criança.

De 1 a 4 anos de idade deve ser transportada na cadeirinha, que fica de frente para o painel do veículo e ela utiliza tanto o sinto do veículo como o do dispositivo.

De 4 a 7 anos e meio deve ser transportada no assento de elevação, chamado de booster – equipamento que eleva a criança para que o cinto não passe na altura do pescoço. Alerta! Se o cinto permanecer na altura do pescoço da criança, é para continuar com assento de elevação.

A partir de 10 anos pode ir no bando da frente desde que tenha altura

• Em casos de veículos que de duas portas é preciso usar os mesmos itens, mas os carros que tiverem airbag deve ser desligado.

• É proibido transportar, em motocicleta, motoneta e ciclomotor, crianças menores de sete anos ou que não tenham, nas circunstâncias, condições de cuidar de sua própria segurança.

Como saber se esses itens são seguros?


A qualidade desses itens de segurança também é uma preocupação dos pais. Por isso, muitos têm dúvidas se é preciso o selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e se podem comprar fora do Brasil.

A consultora técnica do Cheila de Lima alerta que os dispositivos à venda no Brasil devem possuir o selo do Inmetro. Se for do exterior, a orientação é ver se o produto tem o selo de segurança do país onde se realizou a compra.

É preciso trocar a cadeirinha após um acidente?


Outra dúvida recorrente é sobre a necessidade de trocar o dispositivo após um acidente. Nesse caso, o diretor de Policiamento e Fiscalização de Trânsito do Distrito Federal, Glauber Peixoto, explica que se o impacto foi de menor gravidade e as cadeirinhas estiverem bem justas ao cinto de segurança do veículo, não há necessidade de troca.

“Logicamente que é preciso verificar, principalmente nos locais de encaixe do cinto de segurança, se estão aptas. Mas pelo material que elas são feitas, dificilmente ela vai ter algum tipo de impacto”.

Fonte


Comentários

Leia também!

Soro caseiro: receita copo 200ml (e para 1 litro)

Use vinagre para piolhos e lêndeas

Antibiograma o que é e para que serve esse exame

Açúcar Demerara - Benefícios

Receita de anti-mofo caseiro para guarda-roupa e paredes

Piolho chato, o piolho pubiano: sintomas e tratamentos

Vinagre ou água sanitária (hipoclorito de sódio) para higienizar verduras?

Sal refinado, Sal marinho e mineral, comparação

Como acabar com piolho de cobra

Casca de Jabuticaba para que serve?