Dia Mundial da Saúde: Brasil adota “imunização e vacinação” como tema da data

A escolha pretende alertar o mundo sobre a importância de manter a vacinação para prevenir doenças já eliminadas no mundo

No dia Mundial da Saúde, celebrado em 7 de abril, o Brasil faz um alerta sobre a importância da vacinação e imunização para evitar a volta de doenças já erradicadas no mundo. O tema escolhido pelo país neste ano, se deve ao registro de baixas coberturas vacinais que permitiram o reaparecimento de doenças que já estavam eliminadas no país, como o sarampo.

Dia Mundial da Saúde: Brasil adota “imunização e vacinação” como tema da data


O atual governo iniciou a gestão com taxas de imunização baixas, incluindo contra o sarampo. A vacinação contra o sarampo, por exemplo, atingiu um pico em 2003, mas, no geral, vêm caindo ano a ano, até chegarem próximo a 80% no ano passado, patamar longe da meta de, no mínimo, 95%.

Por isso, pela primeira vez, o Governo Federal estabeleceu a vigilância e vacinação como meta prioritária de governo.

➤ Leia também: Vacinação contra sarampo - quem deve ser vacinado! 

A população pode se vacinar gratuitamente nas mais de 36 mil salas de vacinação localizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de todo o país. Para isso, basta comparecer a um posto de saúde com o cartão de vacinação em mãos.

Para quem perdeu o cartão de vacinação

Caso você tenha perdido o cartão de vacinação, o Ministério da Saúde orienta procurar o posto de saúde mais próximo onde recebeu as vacinas e resgatar o histórico, assim como, refazer uma nova caderneta. É importante lembrar que a falta da Caderneta de Vacinação não é um impeditivo para vacinar.




Vacinas disponibilizadas gratuitamente


Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente 19 vacinas que integram o Calendário Nacional de Vacinação, protegendo contra 18 doenças imunopreveníveis cuja proteção inicia ainda nos recém-nascidos, podendo se estender por toda a vida.

São vacinas que contemplam crianças, adolescentes, idosos, gestantes e povos indígenas. Por ano, o Ministério da Saúde aplica mais de 300 milhões de doses de vacinas na população brasileira.

É importante ressaltar que todas as vacinas distribuídas pelo SUS são seguras. Elas passam desde o processo de produção por avaliação de qualidade e segurança. Além disso, por validação e aprovação de instituto reguladores e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Monitoramento da Vacinação


Ainda no intuito de fortalecer a vacinação no país e no mundo, o Ministério da Saúde tem trabalhado na melhoria dos sistemas de informação e monitoramento para medidas de prevenção e controle; a ampliação das estratégias a adesão da população à imunização; a instituição de uma “força tarefa” para apoiar os estados e municípios na investigação e manejo de casos de doenças imunopreveníveis, entre outras ações.

Saúde Universal


O tema escolhido pela Organização Pan-Americana da Saúde/ Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), para a campanha do dia Mundial da Saúde de 2019 foi “Saúde para todas e todos. Em todos os lugares”. Os organismos internacionais chamam a atenção para a importância da saúde universal – que significa garantir que todas as pessoas e comunidades tenham acesso aos serviços de saúde sem qualquer forma de preconceito e sem sofrerem dificuldades financeiras.

Fonte: Ministério da Saúde

Informação Saúde com Ciência


O Saúde com Ciência, por meio da farmacêutica Renata Fraia, quer fazer um alerta às pessoas que deixaram de se vacinar ou de levar seus filhos para se vacinar por medo de contrair doenças. Essa  preocupação não faz o menor sentido, já que os vírus presentes nas vacinas não causam as doenças, apenas fazem com que o seu organismo crie anticorpos contra as mesmas, deixando você protegido contra os vírus que circulam vivos e muito maus... querendo infectar todo mundo.

Bem diferente dos vírus das vacinas... que...




...Como são os vírus das vacinas?


Cada vacina possui um tipo de vírus diferente, que pode ser:
  • Morto
  • Partes de um vírus morto
  • Vírus atenuado: quando ele está vivo, mas tão fraquinho que é incapaz de provocar a doença.
Por que tanta polêmica ou medo de tomar a vacina? Quando os vírus estão atenuados (vivos e bem fraquinhos), eles "podem" deixar pessoas com doenças graves ou com a imunidade muito baixa, doentes (com uma reação à vacina ou com a própria doença). Mas isso só acontece porque essas pessoas estão com a imunidade muito baixa. Pessoas alérgicas a ovo também não podem tomar alguns tipos de vacina. Informe-se com o seu médico (e não com os auxiliares de enfermagem do postinho no dia de vacinação. Me perdoem a franqueza, mas alguns deles já falaram cada besteira...)

Dessa forma, não faz sentido você deixar de vacinar seu filho contra o sarampo, por exemplo, pois ele receberá um vírus morto. Faz mais mal, deixar seu filho desprotegido e ele contrair (na escola, parques, clubes, dentro do ônibus/metrô) uma doença grave que desapareceu há muito tempo e, por causa de atitudes como a de quem não quer vacinar, está voltando. Lembre-se: são pouquíssimas as pessoas que não podem se vacinar! O pediatra do seu filho saberá se esse é o "remotíssimo" caso dele.

➤➤ Para entender melhor leia: Mitos sobre Vacinação

"Para mim, escrever sobre saúde é necessidade fisiológica. Amo o que faço porque faz parte de mim." (Renata Fraia - farmacêutica e jornalista)

Comentários

Leia também!

Soro caseiro: receita copo 200ml (e para 1 litro)

Açúcar Demerara - Benefícios

Antibiograma o que é e para que serve esse exame

Use vinagre para piolhos e lêndeas

Receita de anti-mofo caseiro para guarda-roupa e paredes