LATE - um novo tipo de demência?

Foi identificado um novo tipo de demência comum em pessoas acima de 80 anos e recebeu o nome de LATE.

A doença de LATE (acrônimo de “encefalopatia TDP-43 límbico”) era até então confundida com o mal de Alzheimer e foi apresentada ao mundo recentemente. A doença é tão comum quando o Alzheimer nas pessoas acima de 80 anos. Na verdade, o novo tipo de demência está presente em 20% dos idosos.

No entanto, no LATE é possível identificar a proteína, a TDP-43, relacionada a outros males do sistema nervoso, como a esclerose lateral amiotrófica.



A doença foi descoberta por uma equipe internacional de cientistas, liderada pelo norte-americano Peter Nelson, da Universidade de Kentucky, que publicou um artigo na revista especializada Brain.

Acredita-se que uma variedade de enfermidades e processos de doenças contribui para a demência (e seus vários tipos). Cada uma dessas doenças aparece de forma diferente quando uma amostra de cérebro é examinada na autópsia.

No entanto, tem sido cada vez mais claro que, na idade avançada, um grande número de pessoas apresentava sintomas de demência sem os sinais indicadores em seu cérebro na autópsia.

cérebro - novo tipo de demência

“Tudo indica que há um consenso de que existe outra patologia para os mais velhos, além do Alzheimer. Conforme vai aumentando a vida média das pessoas, aparecem novos tipos de demência”, explica bioquímico Jesús Ávila, diretor científico da Fundação Centro de Investigação de Doenças Neurológicas (CEM) de Madri.

Sobre o estudo que revelou o novo tipo de demência LATE

Explicando didaticamente...

A equipe da neurocientífica Virginia Lee, da Universidade da Pensilvânia, observou em 2006 a presença de indícios da proteína TDP-43 em vários tipos de demência:

  • degeneração lobular frontotemporal do cérebro (um dos principais tipos de demência junto ao Alzheimer);
  • no próprio Alzheimer
  • demência de corpos de Lewy 
  • demência vascular. 

No caso do novo tipo de demência Late, a TDP-43 costuma se concentrar na amígdala e no hipocampo, duas áreas do cérebro relacionadas, respectivamente, com as emoções e com a memória autobiográfica.

Para ajudar nesta nova descoberta científica, o Instituto Nacional de Envelhecimento dos Estados Unidos lançou diretrizes que auxiliam na identificação do novo tipo de demência e na compreensão do seu progresso.

“A orientação fornecida neste relatório, incluindo a definição do LATE, é um passo crucial para aumentar a conscientização e o avanço da pesquisa tanto para essa doença quanto para a doença de Alzheimer”, conta Richard J. Hodes, diretor do Instituto Nacional do Envelhecimento (NIA).

LATE e TDP-43


O LATE e o TDP-43 também foram apresentados como tópicos científicos emergentes na recente Cúpula de Demências Relacionadas à Doença de Alzheimer, em 2019, na qual os apresentadores prenunciavam as prioridades de pesquisa abordadas no artigo publicado em abril no Brain.



Para o futuro

Pesquisadores indicaram possíveis estratégias para ajudar a orientar futuras intervenções terapêuticas, incluindo a importância da remoção de indivíduos com LATE de outros ensaios clínicos, o que poderia melhorar significativamente as chances de sucesso de Alzheimer.

Esses pesquisadores também discutiram a importância de mais estudos epidemiológicos, clínicos, de neuroimagem e genéticos para melhor caracterizar o LATE e a necessidade de pesquisas em populações diversas.


"Para mim, escrever sobre saúde é necessidade fisiológica. Amo o que faço porque faz parte de mim." (Renata Fraia - farmacêutica e jornalista)

Comentários

Leia também!

Soro caseiro: receita copo 200ml (e para 1 litro)

Açúcar Demerara - Benefícios

Antibiograma o que é e para que serve esse exame

Batata frita, calorias, gorduras e carboidratos desta 'bomba' calórica

O que são Enzimas e para que servem