Medicamento para hipertensão faz mais efeito antes de dormir

Pesquisa demonstra que pessoas que tomam remédios para pressão alta à noite tem cerca de 50% menos risco de sofrer insuficiência cardíaca, ataque cardíaco e AVC.

Atualmente, a maioria dos pacientes diagnosticados com hipertensão são orientados por seus médicos a tomar o medicamento que controla a pressão pela manhã. Entretanto, um novo estudo mostra que os medicamentos para hipertensão funcionam melhor se tomados antes de dormir.

Segundo a pesquisa, publicada no periódico European Heart Journal, pessoas que ingerem o remédio no período da noite apresentam:
  • menor risco de sofre acidente vascular cerebral (AVC) (49%),
  • ataque cardíaco (44%), insuficiência cardíaca (42%),
  • precisar de cirurgia ponte de safena (40%).

Segundo Ramón Hermida, da Universidade de Vigo, na Espanha, ao The Guardian:
“O mesmo medicamento anti-hipertensivo (a mesma molécula na mesma dose, ingerida em dois momentos diferentes) tem farmacocinética e farmacodinâmica totalmente diferentes e, dessa forma, se comportam como se fossem duas medicações completamente diferentes”.


Explicações para o medicamento para hipertensão fazer mais efeito antes de dormir


Relógio biológico


A conclusão é que o esse efeito discordante é derivado do relógio interno (biológico) do corpo, pois os processos realizados pelo organismo podem variar de acordo com o horário e, portanto, o remédio estudado atuaria de maneira distinta dependendo do período em que é ingerida.

Sistema hormonal


Essa diferença também pode ser explicada pelo sistema hormonal que regula a pressão arterial: ele atinge o pico de atividade durante o sono. Dessa forma, os medicamentos que interagem com esse sistema apresentam efeito maior quando ingeridos imediatamente antes de dormir.

Por que atualmente o medicamento para hipertensão é tomado pela manhã?


Dois são os motivos principais:

  1. é mais fácil para as pessoas se lembrarem de tomar seus remédios pela manhã;
  2. os anti-hipertensivos costumam ter efeito diurético, ou seja, aumentam a vontade de fazer xixi (já pensou precisar ir ao banheiro a noite toda?).

Mas, segundo John A. Osborne, diretor de cardiologia da State of the Heart Cardiology, nos Estados Unidos, quem recebeu a orientação médica para alterar o horário da medicação, não precisa ser preocupar com a vontade de ir ao banheiro no meio da noite. “Após algumas semanas, isso se torna progressivamente menos problemático, especialmente porque você está ciente dos benefícios”, comentou à CNN.

Os medicamentos utilizados na pesquisa foram:

bloqueadores dos receptores da angiotensina II e inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECAs) - além das suas combinações testadas com bloqueadores dos canais de cálcio e diuréticos.

➤➤ LER TAMBÉM: Diclofenaco e ibuprofeno podem ser perigosos ao coração.

Como foi o estudo com os remédios para pressão alta a noite?


Os cientistas analisaram dados de 19.084 pessoas na Espanha, que foram divididos em dois grupos: os que ingeriam o medicamento à noite e os que tomavam pela manhã. Eles foram acompanhados por aproximadamente seis anos, tendo a pressão arterial monitorada pelo menos uma vez por ano. No final do estudo, os pesquisadores registraram 1752 eventos cardiovasculares.

Depois de descartar outros fatores de riscos para as doenças, a equipe concluiu que tomar a medicação no período noturno pode proteger os pacientes sofrer de problemas cardiovasculares, reduzindo o risco em até 66%. “Esse efeito tão profundo nos eventos cardiovasculares é surpreendente”, comentou Stephen MacMahon, da Universidade de Oxford, na Inglaterra, a The Guardian.

Alguns especialistas acreditam que esse resultado deverá alterar a forma como os médicos prescrevem os medicamentos para hipertensão. Barbara Roberts, da Brown University, nos Estados Unidos, disse à CNN:

“Creio que veremos os médicos mudarem seu posicionamento em breve. A hipertensão é um fator de risco importante para doenças cardiovasculares, muito maior que o colesterol e tudo o que nos permite tratá-la de maneira mais eficaz é relevante”.

Fontes: CNN e European Heart Journal

#doenças cardiovasculares

"Para mim, escrever sobre saúde é necessidade fisiológica. Amo o que faço porque faz parte de mim." (Renata Fraia - farmacêutica e jornalista)

Comentários