Postagens

Mostrando postagens com o rótulo cursos de medicina

Universitários oferecem serviços de saúde à portuários em Santos, SP (projeto #DoutoresNoPorto

Imagem
Objetivo é promover a melhoria na qualidade de vida por meio da prevenção. Ação será realizada no sábado, das 10h às 14h - realizada pelos alunos da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes).

Aproximadamente 60 estudantes de cursos de Medicina e Odontologia de Santos, no litoral de São Paulo, vão participar, pelo segundo ano consecutivo, do projeto ‘Doutores no Porto’. Eles realizarão um mutirão de saúde para trabalhadores portuários, no próximo sábado (25).


Doutores no Porto 2017 No ano passado, a ação atendeu 300 trabalhadores e, neste ano, a meta é ultrapassar esse número. O objetivo é promover a melhoria na qualidade de vida por meio da prevenção de doenças entre os trabalhadores da categoria.

A Campanha, promovida por meio de uma parceria entre a universidade e a International Federation of Medical Students Association (IFMSA Brazil), contará com atividades promovidas pelas Ligas de Endocrinologia, Urologia, Oftalmologia e Clínicas Médicas.



Cursos Online 24 Horas

O mutirão será…

Cadáver virtual permite estudar corpo humano mesmo sem corpos de verdade

Imagem
Pesquisadores da Montpellier Medical University, na França, estão criando um cadáver virtual para resolver um problema mundial na medicina acadêmica: a escassez de corpos humanos para estudos. A equipe reuniu imagens escaneadas em 3D para criar o modelo.

Com os avanços da ciência, a necessidade de estudar corpos humanos segue aumentando, à medida em que a oferta de cadáveres apropriados para isso está caindo. Portanto, faz-se necessária uma solução tecnológica para a questão, e é justamente isso o que os pesquisadores esperam fornecer.

Com um cadáver virtual do tipo, estudantes de medicina podem aprender coisas básicas como dissecação de corpos, por exemplo, e, assim que ganharem experiência no ambiente digital, podem, enfim, finalizar os treinamentos com corpos verdadeiros.


Para o projeto, a equipe criou dois modelos iniciais: um mostrando a área do pescoço humano e outro com imagens 3D da região pélvica. Para isso, foi necessário dissecar um cadáver verdadeiro desde a pele, até mús…