Postagens

Mostrando postagens com o rótulo demência

LATE - um novo tipo de demência?

Imagem
Foi identificado um novo tipo de demência comum em pessoas acima de 80 anos e recebeu o nome de LATE.

A doença de LATE (acrônimo de “encefalopatia TDP-43 límbico”) era até então confundida com o mal de Alzheimer e foi apresentada ao mundo recentemente. A doença é tão comum quando o Alzheimer nas pessoas acima de 80 anos. Na verdade, o novo tipo de demência está presente em 20% dos idosos.

No entanto, no LATE é possível identificar a proteína, a TDP-43, relacionada a outros males do sistema nervoso, como a esclerose lateral amiotrófica.



A doença foi descoberta por uma equipe internacional de cientistas, liderada pelo norte-americano Peter Nelson, da Universidade de Kentucky, que publicou um artigo na revista especializada Brain.

Acredita-se que uma variedade de enfermidades e processos de doenças contribui para a demência (e seus vários tipos). Cada uma dessas doenças aparece de forma diferente quando uma amostra de cérebro é examinada na autópsia.

No entanto, tem sido cada vez mais cla…

Ansiedade e a tendência ao Alzheimer: entenda essa relação

Imagem
Estudo relaciona ansiedade ao Alzheimer; descoberta ajuda no diagnóstico

Já se sabe que o acúmulo da proteína beta-amiloide é um dos pontos-chave do surgimento do Alzheimer. Agora, uma esquipe de de pesquisadores dos EUA descobriu que indivíduos com ansiedade também acumulam a proteína no cérebro.

Assim, os casos de ansiedade extrema podem sinalizar uma maior predisposição ao mal de Alzheimer. O estudo foi publicado recentemente na revista The American Journal of Psychiatry e, segundo os autores, pode melhorar estratégias de combate à esse tipo de demência.

O trabalho conta com o auxílio de uma investigação maior, o Harvard Aging Brain Study (HABS), uma pesquisa observacional sobre idosos iniciada em 2010 nos Estados Unidos. Desse banco, a equipe selecionou 270 americanos, homens e mulheres, cognitivamente normais, com idade entre 62 e 90 anos e sem distúrbios psiquiátricos.

Os participantes foram, então, submetidos a exames de imagem de base, comumente usados em estudos de Alzheimer, …

Lítio na água diminui riscos de demência, diz estudo

Imagem
Pessoas que bebem água com níveis mais elevados de lítio parecem ter um risco menor de desenvolver demência, sugere uma pesquisa dinamarquesa.


O lítio é comumente encontrado na água da torneira ou outras fontes de água corrente, ainda que em quantidades variadas. Ler matéria completa na BBC BRasil.

Morar em ruas movimentadas pode causar demências como o Alzheimer

Imagem
Você já notou que dois fatores sempre estão presentes em pessoas que passam dos 100 anos? Um deles é não ser obeso, o outro é ser ativo. Um terceiro pode não ser unanimidade, mas acontece na maioria das vezes: morar em zona rural, perto da natureza, sem poluição e barulho de carros e ônibus.

Uma pesquisa vem para corroborar que esse terceiro fator é sim, um elemento importante para determinar o tempo que vamos viver. Confira!


Um estudo publicado no 'The Lancet' calcula que um em cada dez casos de demência (múltiplos déficits cognitivos que incluem comprometimento da memória, como Alzheimer) em pessoas que vivem perto de vias movimentadas pode estar ligado à poluição.

➤ Leia também: Anticorpo aducanumab, que ataca proteína causadora do Alzheimer é descoberto

A pesquisa avaliou cerca de 6,6 milhões de pessoas por pouco mais de uma década e indica que um em dez casos do distúrbio que acomete pessoas que vivem a menos de 50 metros de regiões com muito trânsito pode estar ligado …

Proteína pode detectar doença de Lou Gehrig e demência frontotemporal

Pesquisadores da Clínica Mayo na Jacksonville, Flórida, descobriram uma proteína anormal que se acumula no cérebro de pacientes com dois distúrbios neurodegenerativos comuns — a esclerose lateral amiotrófica, também conhecida como ELA ou doença de Lou Gehrig e a demência frontotemporal.

Eles dizem que a descoberta revelou um novo alvo terapêutico e biomarcador em potencial, que pode permitir aos médicos confirmar o diagnóstico das doenças.



O estudo foi publicado na edição online de 12 de fevereiro do jornal Neuron.

A equipe de pesquisa da Mayo, liderada pelos cientistas da Clínica Mayo na Florida, descobriu a patologia da proteína anormal, que eles chamam de C9RANT. Um erro no processo celular altamente regulado — processo pelo qual as proteínas são geradas — causa a produção anormal da C9RANT. A equipe desenvolveu um anticorpo que pode detectar a proteína insolúvel específica que se agrega e está presente em pacientes com mutações do gene C9ORF72, que já foi identificado pelos pes…

Quatro entre 10 casos de demência podem ser evitados

Imagem
Comer muita fruta e legumes, e tendo-se em tempo integral educação ajuda o cérebro a afastar a demência, de acordo com uma nova pesquisa.

Os médicos disseram que a erradicação da diabetes e depressão, também reduziria o número de pessoas atormentadas pela doença.


Eles acrescentaram que as iniciativas de saúde pública destinadas a estas quatro grandes áreas poderia ajudar a 40 por cento dos doentes potenciais a evitar a doença.

Os pesquisadores disseram que embora a causa exata da demência ainda seja desconhecida, vários fatores de risco modificáveis já foram identificados, incluindo doenças cardíacas, derrame, hipertensão arterial, obesidade, diabetes e colesterol alto, antecedentes de depressão, dieta, consumo de álcool e nível de ensino.


Há crescentes evidências de que certos flavonóides - substâncias químicas encontradas em vegetais como cacau, uvas, ameixas, etc.- pode fornecer o benefício terapêutico para a demência.