Postagens

Mostrando postagens com o rótulo drogas

Álcool, "droga" legal e invisível - por Prof. Dr. Guilherme Messas

Imagem
O principal problema de saúde no Brasil ligado a alguma droga de uso recreativo é o álcool. Há muita discussão sobre drogas ilícitas e sua legalização ou ainda sobre a violência ligada ao tráfico, que são questões importantes, é claro, mas o grande problema de saúde pública é o álcool porque pode ser comprado em qualquer lugar e em toda festa as pessoas bebem.

Por isso, é necessário ter uma política de saúde pública sobre o tema. De acordo com o Prof. Dr. Guilherme Messas*, Psiquiatra especialista em Álcool e Drogas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo:

"Cabe alertar que, quando se fala em álcool, pensa-se geralmente em uma pessoa com algo grave que está desenvolvendo cirrose, não consegue trabalhar e está bebendo o tempo inteiro. Essa é a ponta do iceberg. O grande problema do álcool, porém, não está nessas pessoas que, lamentavelmente sofrem muito, mas são somente uma das partes da questão."

➤➤ LER TAMBÉM: Bebidas alcoólicas elevam risco de câncer


Ai…

Maconha na adolescência prejudica memória e inteligência

Estudo COMPROVA QUE adolescentes que usam em maconha antes de chegarem aos 18 anos podem ter perda de memória e provocar lesões permanentes em inteligência e atenção.

Pesquisadores do Reino Unido e dos EUA descobriram que o uso frequente e dependente da maconha antes dos 18 anos de idade pode ter um efeito neurotóxico.

Uma professora de psicologia e neurociência no Instituto de Psiquiatria do King's College de Londres, Terrie Moffitt, disse que o alcance e a duração do estudo, que envolveu mais de 1.000 pessoas acompanhadas por mais de 40 anos, davam peso adicional aos resultados.

Moffitt trabalhou com Madeleine Meier, uma pesquisadora de pós-doutorado da Universidade Duke nos Estados Unidos, analisando dados de 1.037 neozelandeses que participaram do estudo. Cerca de 96% dos participantes originais continuaram no estudo de 1972 até hoje, ela explicou.

Aos 38 anos, os participantes foram submetidos a uma bateria de testes psicológicos para avaliar sua memória, velocidade de proce…

Anvisa sedia reunião sobre drogas psicoativas

Imagem
Evento abordou problemas de países ocidentais para identificar mais rapidamente substâncias sintéticas fabricadas para burlar lista de drogas ilegais

A Anvisa sediou, entre os dias 15 e 17 de maio de 2018, a Segunda Reunião Regional de Novas Substâncias Psicoativas (NSP) do Hemisfério Ocidental (Américas).

As NSP são substâncias desenvolvidas especificamente para burlar as medidas de controle aplicadas pelos países e são utilizadas como “drogas legais”, em alternativa a substâncias psicoativas já controladas.

O evento, coordenado pelo Escritórios das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc), teve como objetivo discutir experiências no enfrentamento ao problema relacionado às NPS, com a troca de informações técnicas entre especialistas nacionais, regionais e internacionais.

Diversos países da região enfrentam dificuldades na identificação e no controle dessas substâncias, na mesma velocidade em que cresce sua síntese e distribuição. O conhecimento limitado sobre o desafio das NPS é ho…

Com uso recreativo, maconha pode se tornar um problema de saúde pública

Imagem
ONU diz que liberalização de maconha na América Latina reduz percepção de riscos do consumo...


... Isso pra mim (Renata) sempre foi óbvio e não entendo como algumas pessoas não enxergam assim. A matéria do G1 que traz o assunto é muito interessante, de fácil e rápida leitura. Confira! Algo que sempre penso é: com a liberação da maconha, além de bafômetro, deveremos criar um maconhômetro ou laricômetro? Pense nisso!

 ➤➤ Leia mais sobre: #maconha#drogas#saúde pública

* eu jamais incentivarei seu uso, apenas o "feitio de medicamentos" à base de...

O efeito das drogas no cérebro humano

Imagem
Se analisarmos de maneira ampla toda e qualquer substância que altere as funções normais do corpo humano pode ser considerada droga, sendo lícita ou ilícita.

As primeiras são aquelas com comercialização e consumo regulados por lei e vão desde a tradicional cafeína ingerida no café até remédios tarja preta que devem ser ministrados com receita médica, isso sem falar nos mais comuns como as bebidas alcoólicas, o cigarro e o perigoso narguile.

As ilegais podem conter caráter natural ou sintético, como cogumelos alucinógenos e LSD, respectivamente. Os mais conhecidos são maconha, cocaína, crack e heroína.

Tanto as drogas lícitas quanto ilícitas têm poder de viciar o indivíduo exposto a elas. Isso acontece por meio de diferentes substâncias relacionadas a cada produto como a nicotina contida no cigarro e os barbitúricos encontrados nos calmantes. Mas os fatores que levam o usuário ao vício vão além.

➤ Leia também: Depressão em crianças: tudo sobre depressão infantil

A secretária do Departa…

Imagens do cérebro revelam por que o vício em cocaína é tão difícil de tratar

Imagem
Pessoas viciadas em cocaína geralmente acham que a droga é muito menos agradável após anos de uso, mas ainda assim elas têm grande dificuldade em abandonar. Um novo estudo de imagens do cérebro mostra as prováveis razões para isso e também porque a terapia baseada em extinção total da droga pode não ser eficaz para usuários de cocaína.


O estudo, liderado por pesquisadores da Icahn School of Medicine no Monte Sinai, em Nova York, descobriu que, em pessoas que usam cocaína por muito tempo há comprometimento global no córtex pré-frontal ventromedial (VMPFC), uma área do cérebro que está ligada aos impulsos e ao autocontrole.

"Os dados do estudo sugerem que será difícil para esses usuários de cocaína desaprenderem o que que a sensação já foi uma experiência positiva, e agora não é mais."

"Existe um forte impulso para realizar a terapia baseada na extinção no vício, mas nossos achados destacam as possíveis limitações dessas terapias existentes em sua dependência do VMPFC par…

Drogas: falta de diálogo entre pais e filhos

Imagem
O diálogo das drogas: Você presta atenção em seus filhos?

Psicólogo e escritor Alexandre Bez alerta sobre a falta do diálogo entre pais e filhos


Há algumas décadas, começamos a notar o avanço no desenvolvimento infantil. O acesso à informação e o contato com pessoas do mundo todo, facilitado especialmente pela internet, leva uma grande quantidade de informação, que diminui a vivencia da infância, período fundamental da vida.



Muito cedo as crianças comecem a aprender e praticar coisas inapropriadas à sua idade, sem ter a real noção do que estão fazendo e das conseqüências desses atos.


O maior perigo dessa socialização é o contato com criminosos que agem à sombra do anonimato. Muitos tem como alvo principal as crianças e adolescentes. Nesse caso, falamos especificamente de traficantes de drogas, que se tornaram o grande câncer da sociedade, não só brasileira, mas mundial. Esses sujeitos vêem os jovens como futuros clientes, e para seduzi-los oferecem a promessa ilusória de fuga da ansie…

Projeto impede legalização do consumo de drogas e está em tramitação

Imagem
Projeto de lei em análise na Câmara dos Deputados, de autoria do deputado licenciado Roberto de Lucena, quer endurecer a política de combate ao uso de drogas.

A proposta (PL 158/15) acrescenta parágrafo à Lei nº 11.343, de 2006, que institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas, para classificar de:

 “Definitivamente ilícitas aquelas drogas mais populares entre os jovens com alto potencial nocivo à saúde física e mental do usuário, como é o caso da maconha, da cocaína, do crack e do ecstasy”.


O autor é contrário à legalização do consumo de algumas drogas como solução para o problema.
Segundo ele, há evidências demonstrando que, se as drogas forem legalizadas, o consumo vai aumentar. [o saúde com ciência tem CERTEZA DISSO]

“Isso pode diminuir a violência do tráfico, mas pode aumentar a violência entre os usuários e atingir outras pessoas, além de aumentar os gastos com saúde pública voltada para o tratamento dos viciados”, argumenta.
Tramitação
O projeto está sendo anal…

Ritalina para viciados em cocaína

Imagem
Um estudo  sugere que o remédio Ritalina (cloridrato de metilfenidato), pode ajudar a combater o vício em cocaína e melhorar as funções cerebrais de pessoas afetadas pelo vício na droga, ou seja há chances de ser usado o medicamento Ritalina para viciados em cocaína. A medicação em geral é indicada para tratar transtornos de déficit de atenção.

Publicada na edição online da revista científica "Jama Psychiatry" , a pesquisa foi realizada por cientistas americanos da Escola de Medicina Icahn do Hospital Monte Sinai, em Nova York.

O estudo indica que a Ritalina alterou conexões em certas áreas cerebrais que determinam o auto-controle e o desejo em pessoas viciadas em cocaína. A professora de psiquiatria Rita Goldstein ao site do hospital, disse:

"Administrada oralmente, a medicação aumenta a dopamina no cérebro de maneira similar à cocaína, mas sem as propriedades altamente viciantes".
Como foi o estudo com a Ritalina
18 voluntários viciados em cocaína receberam doses d…

Abstinência ao álcool altera funções cerebrais, diz estudo

Imagem
Um estudo desenvolvido pelo Laboratório de Neurobiologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/Unifesp) indica que a abstinência ao álcool altera funções cerebrais aumenta a produção de receptores canabinóides em algumas regiões do cérebro, fato que altera o funcionamento de algumas áreas cerebrais que estão diretamente ligadas à dependência.

Hipótese foi observada em análise dos receptores canabinóides, responsáveis por regular a liberação de neurotransmissores, através da produção de substâncias semelhantes ao THC, componente da maconha.
Artigos relacionados
- Consumir álcool moderadamente aguça criatividade;
- álcool e crack são grandes problemas no país;
- Omega3 Combate o alcoolismo;
- Consumo "leve" de álcool na gravidez pode fazer bem;
- Bebida alcoólica melhora o aprendizado.
O nosso cérebro produz substâncias parecidas com o Tetrahidrocanabinol (THC), principal componente responsável pelos efeitos da maconha. Estas substâncias est…

Drogas vendidas em farmácias? :-O

Imagem
Sim. É pra usar carinha de espanto mesmo! Há drogas vendidas em farmácias, e não estou citando drogas com efeito medicamentoso, mas sim de drogas ilícitas.

A Polícia Federal fez operação contra a venda de drogas ilícitas em farmácias de todo o país
Grupo era comandado em GO e agia em SP, PR, TO, BA, MG e DF. Segundo a PF, eles movimentaram R$ 240 milhões em 8 meses.



A operação ocorreu na manhã desta quinta-feira (27), com a intenção de desarticular uma organização criminosa especializada no tráfico de drogas sintéticas que atuava em Goiás, no Distrito Federal e em mais cinco estados.

Leia também: Maconha na adolescência prejudica memória e inteligência.

Eles vendiam as drogas em farmácias. Segundo os investigadores, se trata da “maior quadrilha do Brasil” do ramo. Ao todo, são cumpridos 145 mandados judiciais. Comandada em Goiás, a quadrilha possui colaboradores em São Paulo, Paraná, Tocantins, Bahia, Minas Gerais e no Distrito Federal.

De acordo com os policiais federais, a quadrilh…

Fumar crack é pior que cheirar cocaína pura

Fumar crack – mistura de pasta de cocaína, bicarbonato de sódio e água – é mais danoso aos neurônios do que cheirar cocaína pura.

Ou seja, como já se suspeitava, fumar crack é pior que cocaína.

A conclusão é de um trabalho feito por um grupo de pesquisadores paulistas, liderados por Tania Marcourakis, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), que estuda desde 2007 a ação dessas drogas nas células cerebrais.

Os efeitos negativos do crack se potencializam porque, ao consumi-lo, o indivíduo inala não apenas cocaína, um alcaloide, mas também um éster conhecido como metilecgonidina ou simplesmente Aeme. Há poucas informações a respeito dos efeitos do éster, que é produzido quando a cocaína é queimada em alta temperatura e pode causar, como sugere o estudo, a morte de neurônios.

A pesquisa foi realizada em cultura de células do hipocampo de ratos expostas a diferentes concentrações do éster e do alcaloide, isolados e em combinação. O hipocampo está envolvido…

Brasileiros entram cada vez mais cedo no mundo das drogas

No Dia Mundial de Combate às Drogas, comemorado hoje (26), um dado preocupa autoridades e especialistas no Brasil: o uso de drogas está acontecendo cada vez mais cedo na vida dos brasileiros.

“Esta é a grande preocupação nossa devido à precocidade do acesso ao álcool e às demais drogas, sendo que o que fica mais notório é o abuso, o uso excessivo do álcool, entre menores de 18 anos”, disse à Agência Brasil a psicóloga Leandra Iglesias, diretora da unidade serrana da Associação Brasileira de Alcoolismo e Outras Drogas (Abrad). Ela participou da 14ª Semana Nacional de Prevenção ao Álcool e Outras Drogas, que ocorre na cidade de Petrópolis, na região serrana fluminense.



De acordo com a Abrad, o uso do álcool e do tabaco começa em torno de 12 anos de idade, em média. “Nós costumamos dizer que o álcool e o cigarro, que são as drogas legais, são a porta de entrada para as drogas ilegais”, destacou Leandra Iglesias. “Esta é a nossa preocupação, porque ninguém começa com uma droga pesada”, c…

"Viciados internados compulsoriamente" e a divisão de opiniões

Representantes do governo federal na área de Saúde e psicólogos especialistas em drogas divergiram, em audiência pública, nesta quinta-feira, sobre a possibilidade de os viciados em drogas serem internados compulsoriamente.

O debate ocorreu na Comissão de Seguridade Social e Família, a pedido do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP). Ele é autor de projeto de lei (PL 3167/12) que prevê a internação compulsória de viciados. Na Câmara, há uma comissão especial que analisa projeto (PL 7663/10) que trata do Sistema Nacional de Políticas sobre Drogas.

De acordo com o coordenador da Área Técnica de Saúde Mental do Ministério da Saúde, Roberto Tykanori, a internação involuntária do viciado é um ato médico tomado sobre um paciente em um momento crítico. Já a internação compulsória não é um ato médico, mas judicial. "Tanto é que, se um paciente for submetido a um tratamento involuntário e considerar que foi prejudicado, ele pode processar o médico”, diz Tykanori. “Agora, a internação…

Fim da propaganda de bebida alcoólica na TV em pauta na câmara

Se você chegou até aqui e vai ler esse artigo que trata sobre as propagandas de bebidas alcoólicas gostaria de lembrar a você uma coisa que sempre digo quando tenho oportunidade: O álcool também é droga, só que uma droga lícita, ou seja, permitida para consumo (com algumas restrições, é claro - ainda bem). Se você é CONTRA AS DROGAS, mas costuma "encher a cara" nos finais de semana, acho que - me desculpe - você não é tão contra assim :(

Comissão vai propor fim da propaganda de bebida alcoólica na TV

-------------------------------------
Artigo relacionado
Cerveja após exercício físico hidrata...
Cerveja (com moderação) faz bem para os ossos
Propagandas de bebidas alcoólicas
-------------------------------------- O presidente da Comissão de Estudos sobre Políticas Públicas de Combate às Drogas, deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), afirmou nessa quinta-feira que, ao final dos trabalhos, a comissão vai propor o fim da propaganda de bebida alcoólica na TV. A declaração foi fe…

Oxi: Nova droga pior que crack

Imagem
Uma nova droga conhecida como Oxi é pior que o crack - mais letal que o crack - entrou no Brasil pelo Acre e está invadindo todo o país.

Parênteses: o Saúde com Ciêncianão está contente em divulgar uma droga como essa ou qualquer outra droga, mas isso se faz necessário para que se saiba que a droga é muito perigosa e que você e/ou seus filhos devem ficar bem longe dela.
Droga Oxi, o que é ou como é produzida



O oxi, abreviação de oxidado, é uma mistura de base livre de cocaína 80%, querosene, gasolina, diesel ou - até mesmo - solução de bateria, cal virgem e permanganato de potássio.O oxi é uma pedra, assim como o crack, só que o oxi é uma pedra branca.O oxi é fumado num cachimbo.O oxi é um alucinágeno mais potente que o crack e que a cocaínaA droga oxi não é - na verdade - nova. Ela existe no Acre desde os anos 80. só agora está se espalhando (infelizmente) por todo o Brasil.Veja a foto do oxi abaixo
O grande perigo do Oxi, ou por que o oxi é pior do que o crack?
O oxi é mais barato (cerc…