Postagens

Mostrando postagens com o rótulo hiv

Dolutergravir: medicamento inovador contra Aids agora no SUS

Ministério da Saúde amplia oferta do tratamento para aids com medicamento inovador

Todas as pessoas que vivem com HIV e Aids no Brasil terão acesso ao dolutergravir, medicamento mais moderno e eficaz contra a doença.

Atualmente, o Dolutegravir é usado por 100 mil pessoas, mas com a expansão do tratamento no SUS, mais de 300 mil pessoas vivendo com HIV e Aids, terão acesso ao medicamento até o final de 2018 [assim esperamos].

Sobre o dolutergravir
O aumento da oferta é mais um resultado do compromisso de otimizar os recursos. Considerado um dos melhores tratamento para a aids do mundo, o medicamento apresenta uma série de vantagens como:

alta potência; nível muito baixo de eventos adversos; comodidade para o paciente (uma vez ao dia); tratamento eficaz por mais tempo e menor resistência. 
A incorporação do Dolutegravir não altera o orçamento atual do Ministério da Saúde para a aquisição de antirretrovirais, que é de R$ 1,1 bilhão.

“Essa ampliação decorre dessa nossa prática de economizar…

Prevenção a hepatites e HIV/Aids vira debate em Congresso

Congresso debate prevenção a hepatites e HIV/aids. Cerca de 4 mil ativistas, cientistas, gestores e profissionais de saúde irão discutir estratégias para populações chaves (gays, HSH, travestis e transexuais). O evento começa hoje em Curitiba.

O resultado do 1º Concurso Cultural para seleção da nova arte para embalagem da camisinha masculina é um dos destaques da abertura do 11º Congresso de HIV/Aids e do 4º Congresso de Hepatites Virais (HepAids 2017), que se inicia nesta terça-feira (26), em Curitiba/PR.

Tendo como tema a Prevenção Combinada, o congresso discutirá estratégias de prevenção com foco em populações vulneráveis, como gays, HSH, travestis e transexuais. O evento, que acontece até esta sexta-feira (29), deve reunir cerca de 4 mil participantes, entre ativistas, cientistas, gestores e profissionais de saúde de todo o Brasil, além de especialistas internacionais.

Lançado em julho deste ano, o concurso para promover uma nova identidade visual dos preservativos masculinos é um…

Anticorpo ataca 99% do vírus HIV

Imagem
Aids: anticorpo é capaz de atacar até 99% do vírus HIV

Da Veja

Segundo um estudo publicado na quarta-feira na revista científica Science, o anticorpo foi capaz de prevenir a infecção em primatas.

Depois de anos infectado, o organismo de alguns pacientes desenvolve “anticorpos de ampla neutralização”, uma verdadeira arma capaz de matar grandes extensões de cepas do HIV.


O grande feito dos pesquisadores foi conseguir combinar três desses ‘super anticorpos’ em um “triplo anticorpo específico” ainda mais poderoso.

A próxima etapa, que está programada para 2018, irá estudar sua capacidade em prevenir ou tratar a infecção em humanos.

Leia matéria completa na Veja
Leia tudo o que já escrevemos sobre a Aids

Trepadeira 'Abrus pulchellus tenuiflorus' contra o HIV

Imagem
A Pulchellina, uma proteína originária de Abrus pulchellus tenuiflorus – planta existente na flora brasileira -, foi capaz de combater células infectadas com o Vírus da Imunodeficiência Humana (human immunodeficiency virus – HIV), após ter sido conjugada à ação de anticorpos* usados especificamente na detecção do vírus.

Dados divulgados pelo Departamento de HIV da Organização Mundial da Saúde (World Health Organization – WHO) evidenciam que, em 2015, 36,7 milhões de pessoas viviam com HIV.

Geralmente, o vírus, que acarreta AIDS (nível avançado da infecção), pode ser transmitido a partir de relações sexuais sem uso de preservativos; uso compartilhado de seringa, agulha ou até de instrumentos cortantes não esterilizados; transfusão sanguínea; e dos processos de gestação, parto ou amamentação.



O HIV se instala nos glóbulos brancos (leucócitos), células do sistema imunológico que defendem o organismo contra doenças, infecções e outras complicações, liberando proteínas que se distribuem na m…

Prep HIV Aids: criada nova arma de combate

Imagem
Pílula anti-HIV: saiba os efeitos do remédio e como será usado para a prevenção da doença.

Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) contra o vírus HIV (ou PrEP HIV) -- esse é o nome do medicamento contra a Aids. O Ministério da Saúde passará a disponibilizar em até 180 dias a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) contra o vírus HIV.


Um grupo inicial de 7 mil pessoas em grupos estratégicos deverão receber um medicamento para tomar no dia-a-dia e prevenir a infecção, contemplando as cidades Curitiba, Porto Alegre, São Paulo, Belo Horizonte,  Rio de Janeiro, Fortaleza, Recife, Manaus, Brasília, Florianópolis, Salvador e Ribeirão Preto.

O que é PrEP HIV?
A Profilaxia Pré-Exposição (sigla PrEP) é a ingestão do medicamento em grupos de risco do HIV para evitar que novas pessoas sejam infectadas.

Existe também a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), feita no Brasil desde 2010 -- quando a pessoa recebe um tratamento a base de um coquetel logo após um comportamento de risco, ou para profissionais de saúde que possa…

Teste para HIV chega às farmácias

Imagem
Primeiro autoteste rápido para HIV do Brasil, Action, chega às farmácias

Após quase um mês de ser registrado pela Anvisa, o primeiro teste para HIV em farmácias já está disponível para o autoteste em drogarias. O nome do produto no Brasil será Action, da Orangelife Comércio e Indústria.






O autoteste de HIV funciona com a coleta de gotas de sangue semelhante aos testes já existentes para medição de glicose por diabéticos.

O resultado aparece na forma de linhas que indicam se há ou não presença do anticorpo do vírus HIV. A presença do anticorpo mostra que a pessoa foi exposta ao vírus que provoca a Aids. O resultado leva de 15 a 20 minutos para ficar pronto. O teste funciona para os dois subtipos do vírus que provocam a Aids.

Eficácia do teste HIV de farmácia
O autoteste aprovado pela Anvisa demonstrou sensibilidade e efetividade de 99,9%. Porém, o produto só é capaz de indicar a presença do HIV 30 dias depois da exposição.

Esse período de um mês é o tempo que o organismo precisa para prod…

Lista de Medicamentos Essenciais da OMS é atualizada

Imagem
Novas recomendações sobre quais antibióticos usar para infecções comuns e quais preservar para situações mais graves estão entre os acréscimos à Lista Modelo de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde (OMS) para 2017.

Também foram adicionados medicamentos para o HIV, hepatite C, tuberculose e leucemia.


A Lista de Medicamentos Essenciais da OMS (LME) é utilizada por muitos países para aumentar o acesso aos medicamentos e orientar decisões sobre quais produtos eles garantem que estão disponíveis para suas populações.

Medicamentos seguros e eficazes são uma parte essencial de qualquer sistema de saúde”, disse Marie-Paule Kieny, subdiretora Geral de Sistemas de Saúde e Inovação da OMS. “Certificar-se de que todas as pessoas possam ter acesso aos remédios que precisam, quando e onde precisam, é vital para o progresso dos países em direção à cobertura de saúde universal”.

Nova recomendação: 3 categorias de antibióticos
Na maior revisão da seção de antibióticos nos 40 anos …

Aprovado uso do Truvada na prevenção do HIV

Imagem
Anvisa aprova uso do Truvada na prevenção do HIV

Obs.: o último parágrafo é MUITO IMPORTANTE! Não deixe de ler!

A Anvisa aprovou uma nova indicação para a bula do Truvada. Com isso, o medicamento poderá ser indicado, também, nos casos de pré-exposição (PrEP) ao vírus HIV-1.


Truvada na prevenção HIV
A nova indicação possibilitará a redução do risco de infecção provocada pelo vírus quando adquirido sexualmente em adultos de alto risco – homens que se relacionam intimamente com homens (HSH) – e casais sorodiscordantes (em que apenas um possui o vírus).

Essa nova indicação deverá ser publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (29/5).

A Agência também publicará a alteração do registro, para que o produto possa ser usado como PrEP. Hoje, o registro é apenas para o tratamento da doença, por isso será necessária a mudança para uso em prevenção.

O que é Truvada?
O Truvada é uma combinação farmacológica de duas substâncias ativas: entricitabina (FTC) e fumarato de tenofovir desopro…

HIV-2 e HIV-1: Diferenças e semelhanças entre os dois vírus

Imagem
Sim, existem dois tipos de vírus da Aids, HIV-2 e HIV-1: Entenda as diferenças e semelhanças entre ambos.

Quais as diferenças e semelhanças entre os vírus HIV-2 e HIV-1 ?
1- Tanto o HIV-1 quanto o HIV-2 podem evoluir para AIDS ou o que o Center for Disease Control chama de "infecções oportunistas" (caso contrário, as infecções mais amenas que pode se tornar grave ou mortal contra um sistema imunológico debilitado).

2- O HIV-2 é transmitido da mesma forma como o HIV-1: Através de exposição a fluidos corporais como sangue, sêmen, lágrimas e secreções vaginais (agulhas e alicates de cutícula - desde que seja usado imediatamente após a cliente anterior).


3- A Imunodeficiência humana (Aids ou sistema imunitário enfraquecido) desenvolve-se mais lentamente e é mais branda em pessoas com HIV-2.

4- Pessoas infectadas com o HIV-2 têm menos infecções nas fases iniciais do vírus do que aquelas com HIV-1.

5- O contágio do HIV-2 aumenta à medida que o vírus evolui.

6- A maioria dos casos r…

Teste de HIV em casa será vendido em farmácias

Imagem
Um teste de HIV em casa será vendido em farmácias e começará a ser usado no Brasil no próximo ano. Desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o exame é feito com base em análises de saliva.

Organizações não governamentais já começam a ser treinadas para o uso adequado do kit. Na primeira etapa, o exame será oferecido para populações consideradas vulneráveis para a doença, como profissionais do sexo, gays, usuários de drogas e travestis. Depois de abril, ele deverá ser vendido em farmácias.



"Esse é o futuro", disse o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa. "O teste é uma ferramenta valiosa para ampliar o diagnóstico da doença", completou.
Outra tentativa - Trata-se da segunda geração do teste para HIV com saliva desenvolvido pela Fiocruz. O exame atual é considerado seguro e confiável.

Vírus da Aids contra leucemia;
Medicamento Truvada para prevenir HIV;
Mutirão para testar HIV;
Diferença entre HIV 1 e HIV 2.

Hoje, 20 organizaç…

Vírus HIV é nova arma contra leucemia

HIV. Um vírus potente e "inteligente", ele possui uma capacidade incrível de penetrar nas células de defesa 'chefonas' de todas as outras células que estão em nosso organismo para combater vírus e bactérias intrusas.

Ele entra nessas células e deixa seu código genético lá.


A partir daí a pessoa está com Aids.

Mas, recentemente, cientistas foram mais inteligentes que o HIV e usaram essa 'força' do danado para tratar leucemia.

Como é feito o procedimento

As células T, do sistema imunológico, são retiradas do corpo e reprogramadas pelo vírus desativado do HIV (sua "força genética" foi usada para o "bem"). Após o procedimento, as células modificadas foram inseridas no corpo da menina e passaram a se multiplicar de forma frenética.

As células B, que geram os elementos malignos da leucemia, foram vencidas. Isso acontece por conta da Síndrome de Liberação das Citocinas, quando o sistema imunológico, então ativado, expele substâncias químicas e pr…

Medicamento Truvada, para prevenir HIV é aprovado nos EUA

Há algum tempo noticiei sobre um novo medicamento para prevenir o HIV em alguns grupos de risco.

Na ocasião o medicamento Truvada ainda estava em fase de testes.



A boa notícia é que o FDA (Agência Federal de Alimentos e Medicamentos) dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira a aprovação do Truvada, do laboratório Gilead Sciences, como primeira pílula para ajudar a prevenir o HIV em alguns grupos de risco.

"O Truvada é para utilizar na profilaxia prévia à exposição em combinação com práticas de sexo seguro para prevenir as infecções do HIV adquiridas por via sexual em adultos de alto risco. O Truvada é o primeiro remédio aprovado com esta indicação", afirmou a FDA.

O Truvada é encontrado no mercado americano desde 2004 como tratamento para pessoas infectados com HIV, indicado em combinação com outros remédios antirretrovirais.

Em maio, um painel assessor da FDA pediu para aprovar o Truvada como prevenção para pessoas não infectadas, depois que testes clínicos mostraram…

Mutirão para testes de HIV no estado de São Paulo

Imagem
A Secretaria de Saúde de São Paulo iniciou hoje (24) um mutirão para fazer 100 mil testes de HIV em todo o estado.

A campanha Fique Sabendo visa a identificar precocemente a infecção pelo vírus da aids e a antecipar o tratamento dos soropositivos.



Segundo a secretaria, 507 dos 645 municípios paulistas aderiram à campanha, que termina em 1º de dezembro, Dia Mundial de Luta contra a Aids. Todos vão disponibilizar, gratuitamente, o exame de HIV em sua rede de saúde e orientar seus funcionários sobre o mutirão.

Na capital paulista, por exemplo, todas as unidades básicas de saúde vão intensificar o trabalho de testagem. Os 25 postos especializados em DST/aids da rede municipal também terão horário de funcionamento diferenciados durante a campanha. Alguns, inclusive, abrirão neste final de semana.

"Esta é uma boa oportunidade para quem quer saber onde fazer exame de HIV".
Maria Clara Gianna é coordenadora do Programa Estadual de DST/Aids e uma das líderes da campanha Fique Sabendo…

Truvada: novo medicamento contra Aids

No estudo, publicado terça-feira pelo New England Journal of Medicine, os pesquisadores descobriram que os homens que tomaram o medicamento Truvada (ainda em fases de testes), um conjunto comum de dois medicamentos anti-retrovirais, apresentavam 44 por cento menos probabilidade de se infectar com o vírus que causa a Aids do que um número de homens igual que tomaram o placebo.

O estudo foi realizado com homossexuais que se dizem pertencerem ao grupo de risco de contrair o HIV. Os estudos ainda são inconclusivos, mas os resultados preliminares com o Truvada são animadores. Via:NY.Times


ATUALIZAÇÃO (16/07/2012)

O medicamento Truvada acaba de ser aprovado. Leia mais...


Coquetel anti-HIV reduz em 92% transmissão do vírus

Imagem
Segundo estudo, drogas contra a aids também podem ser estratégias para combater o aumento de novos casos
 Pessoas com HIV reduziram o risco de transmitir o vírus da AIDS em 92% enquanto estavam tomando medicamentos antirretrovirais, de acordo com um estudo publicado nesta quinta-feira.

O estudo fornece a maior evidência de que drogas que tratam a síndrome da imunodeficiência adquirida podem também ser incorporadas em estratégias de luta contra o aumento dos casos de HIV.

Em um estudo publicado pelo jornal britânico The Lancet, médicos recrutaram 3.381 casais heteros em sete países africanos. Cada casal era "sorodiscordante", ou seja, com uma pessoa infectada com HIV e outra sem o vírus. Drogas antirretrovirais foram dadas a 349 indivíduos infectados. Os outros que possuíam o vírus receberam um placebo.

Os pesquisadores recolheram amostras de sangue do outro parceiro a cada três meses para ver se ele ou ela haviam sido infectados. A pesquisa foi monitorada de perto …