Postagens

Mostrando postagens com o rótulo maconha

Maconha na adolescência prejudica memória e inteligência

Estudo COMPROVA QUE adolescentes que usam em maconha antes de chegarem aos 18 anos podem ter perda de memória e provocar lesões permanentes em inteligência e atenção.

Pesquisadores do Reino Unido e dos EUA descobriram que o uso frequente e dependente da maconha antes dos 18 anos de idade pode ter um efeito neurotóxico.

Uma professora de psicologia e neurociência no Instituto de Psiquiatria do King's College de Londres, Terrie Moffitt, disse que o alcance e a duração do estudo, que envolveu mais de 1.000 pessoas acompanhadas por mais de 40 anos, davam peso adicional aos resultados.

Moffitt trabalhou com Madeleine Meier, uma pesquisadora de pós-doutorado da Universidade Duke nos Estados Unidos, analisando dados de 1.037 neozelandeses que participaram do estudo. Cerca de 96% dos participantes originais continuaram no estudo de 1972 até hoje, ela explicou.

Aos 38 anos, os participantes foram submetidos a uma bateria de testes psicológicos para avaliar sua memória, velocidade de proce…

Farmacêuticos e médicos promovem discussão sobre Canabidiol

Imagem
O CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia), em parceria com o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), realizou no último dia 27, na capital, o Fórum de Discussão sobre o Canabidiol

Em pauta, o debate sobre uso da substância como medicamento para diversas doenças e como pacientes aguardam ansiosamente a regulamentação para acesso a esta forma de tratamento. Após as discussões, o Fórum resultou em avanços, como a criação de um grupo técnico formado por farmacêuticos e médicos que irá atuar para incentivar estudos clínicos e buscar regulamentação para produção, comercialização e uso do canabidiol para uso medicinal. Da reunião também saiu um documento estabelecendo propostas de diretrizes e ações para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Em sua participação, o presidente do CRF-SP, dr. Marcos Machado, ressaltou a importância da discussão do tema e da iniciativa conjunta dos conselhos de medicina e farmácia se unirem com objetivo de buscar juntos soluções para…

Com uso recreativo, maconha pode se tornar um problema de saúde pública

Imagem
ONU diz que liberalização de maconha na América Latina reduz percepção de riscos do consumo...


... Isso pra mim (Renata) sempre foi óbvio e não entendo como algumas pessoas não enxergam assim. A matéria do G1 que traz o assunto é muito interessante, de fácil e rápida leitura. Confira! Algo que sempre penso é: com a liberação da maconha, além de bafômetro, deveremos criar um maconhômetro ou laricômetro? Pense nisso!

 ➤➤ Leia mais sobre: #maconha#drogas#saúde pública

* eu jamais incentivarei seu uso, apenas o "feitio de medicamentos" à base de...

Canabidiol: Anvisa libera registro de medicamento à base da substância

Imagem
Canabidiol e THC: norma da Anvisa permitirá registro de remédio de Cannabis Sativa

A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou, por unanimidade, a inclusão de medicamentos registrados na Anvisa à base de derivados de Cannabis sativa na lista A3 da Portaria SVS/MS nº 344/98*. A atualização possibilitará o registro de medicamento à base dos derivados da substância.

➤➤Leia também: Maconha na adolescência prejudica memória e inteligência

* Atualização do anexo I da Portaria SVS/MS nº 344/98, norma que traz a lista das plantas e substâncias sob controle especial no Brasil, incluindo as de uso proibido.


Remédio canabidiol
A atualização incluiu, na lista A3, medicamentos registrados na Anvisa derivados da Cannabis sativa, em concentração de no máximo 30 mg de tetrahidrocannabinol (THC) por mililitro e 30 mg de canabidiol por mililitro.

➤➤ Leia também: Maconha aumenta risco de câncer de testículos

O que motivou a atualização da Portaria, que é periodicamente atualizada pela Agência, foi a fase fin…

Projeto impede legalização do consumo de drogas e está em tramitação

Imagem
Projeto de lei em análise na Câmara dos Deputados, de autoria do deputado licenciado Roberto de Lucena, quer endurecer a política de combate ao uso de drogas.

A proposta (PL 158/15) acrescenta parágrafo à Lei nº 11.343, de 2006, que institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas, para classificar de:

 “Definitivamente ilícitas aquelas drogas mais populares entre os jovens com alto potencial nocivo à saúde física e mental do usuário, como é o caso da maconha, da cocaína, do crack e do ecstasy”.


O autor é contrário à legalização do consumo de algumas drogas como solução para o problema.
Segundo ele, há evidências demonstrando que, se as drogas forem legalizadas, o consumo vai aumentar. [o saúde com ciência tem CERTEZA DISSO]

“Isso pode diminuir a violência do tráfico, mas pode aumentar a violência entre os usuários e atingir outras pessoas, além de aumentar os gastos com saúde pública voltada para o tratamento dos viciados”, argumenta.
Tramitação
O projeto está sendo anal…

Maconha aumenta risco de câncer de testículos

Um estudo da Universidade do Sul da Califórnia encontrou uma ligação entre o uso de maconha e desenvolvimento de câncer testicular.

Os resultados sugerem que a droga dobra a probabilidade do surgimento da doença e confirma conclusões de pesquisas realizadas nos últimos anos.

Para o estudo, Victoria Cortessis, líder do estudo, examinou o histórico de 163 usuários diagnosticados com o tipo de câncer e outros 292 homens saudáveis com a mesma idade e etnia.

O câncer nos testículos costuma ser diagnosticado em homens na faixa entre 15 e 45 anos. A malignidade é cada vez mais comum no mundo. Pesquisadores suspeitam que isso se deva ao aumento da exposição a causas ambientais ainda não conhecidas.

— Não sabemos o que na maconha pode levar ao problema, embora se especule que ela possa atuar através do sistema endocanabinóide, que responde à droga e é o responsável pela formação de esperma. De alguma maneira, isso leva à doença — diz Victoria.
Os pesquisadores também descobriram que os homens

Uso da maconha para a saúde terá debate na Seguridade Social

Imagem
A Comissão de Seguridade Social e Família vai realizar audiência pública para discutir os benefícios e malefícios do uso da maconha para a saúde.

A iniciativa do debate, ainda sem data marcada, é do deputado Roberto de Lucena (PV-SP).



“Diante de toda polêmica gerada em torno da descriminalização do uso da maconha e diante de tantas dúvidas sobre os reais benefícios que a erva proporciona, entendemos que a Comissão de Seguridade Social e Família não deve ficar fora deste importante debate.

Assim, deve buscar as respostas que a sociedade anseia obter sobre o assunto”, afirma Lucena.

Convidados
Serão convidados para a reunião o psicólogo, deputado estadual de São Paulo, advogado e coronel da reserva da Polícia Militar, Edson Ferrarini; o neurobiólogo, mestre em biologia molecular, doutor em neurociências, professor adjunto do departamento de fisiologia da Universidade de Brasília e co-autor, com Sidarta Ribeiro, do livro "Maconha, Cérebro e Saúde”, Renato Malcher Lopes; o escritor e …

Maconha diminui dor crônica, diz estudo

Estudo recente revela: Fumar maconha* em cachimbo pode reduzir a dor crônica em pacientes com nervos danificados, além de melhorar o sono e reduzir a ansiedade.

Em artigo publicado na revista científica Canadian Medical Association Journal, os cientistas disseram que são necessários mais estudos, em larga escala e com a utilização de inaladores.



Comentando o trabalho, especialistas britânicos disseram que a melhoria na dor foi relativamente pequena, mas acrescentaram que o trabalho pode ter implicações importantes.

Entre 1 e 2% da população sofrem de dor neuropática crônica - dor resultante de problemas de sinalização entre os nervos -, porém há poucos tratamentos disponívels.

Segundo relatos de alguns pacientes que sofrem dessa condição, fumar maconha* melhora seus sintomas.

Isso levou pesquisadores a investigar se a ingestão de canabinóides - as substâncias químicas presentes na erva cannabis - em forma de pílula poderia produzir o mesmo efeito.

A equipe da McGill University, em Mon…