Postagens

Mostrando postagens com o rótulo mal de parkinson

Medicamento para asma pode evitar o Parkinson

Imagem
Pessoas que usam o medicamento um medicamento para tratar a asma, têm meno riscos de desenvolver o Mal de Parkinson.

Na doença de Parkinson, as gotas da proteína α-sinucleína se acumulam em certas células cerebrais e podem matá-las.

Os cientistas tentam fabricar drogas (fármacos) que aceleram a eliminação da proteína ou impedem que ela se aglomerasse. O neurologista e genômico Clemens Scherzer da Harvard Medical School em Boston e colegas decidiram tentar uma estratégia diferente.

"Queríamos encontrar uma droga que poderia reduzir a produção de α-sinucleína", diz ele.


Eles descobriram que o salbutamol - uma substância medicamentosa encontrada em remédios para asma que favorece a respiração - pode ter um efeito benéfico que protege contra a doença de Parkinson.

As pessoas que inalaram as doses mais elevadas de salbutamol apresentaram cerca de metade da probabilidade de desenvolver a condição neurológica devastadora, como aqueles que não tomaram a droga, revela um estudo.

Co…

Células-tronco IPs aliviam sintomas de Parkinson, em ensaios

Imagem
Mais uma promessa no tratamento (controle da doença) Mal de Parkinson

Pesquisadores japoneses relatam resultados promissores de uma terapia experimental para o Mal de Parkinson que envolve a implantação de neurônios feitos a partir de células-tronco "reprogramadas" no cérebro.

Um ensaio realizado em macacos com mostrou que o tratamento que aparentemente é bastante seguro melhorou os sintomas, segundo um relatório publicado ontem (30 de agosto) na Nature*.


A descoberta chave do estudo - que as células-tronco implantadas sobreviveram no cérebro por pelo menos dois anos sem causar efeitos nocivos ao corpo - fornece um grande impulso para as esperanças dos pesquisadores em testar tratamentos com células-tronco para Parkinson em humanos, dizem os cientistas.

Jun Takahashi, cientista de células-tronco da Universidade de Kyoto no Japão, que liderou o estudo, diz que sua equipe planeja começar, em breve, a transplantar neurônios feitos de células de células-tronco pluripotentes indu…

Doxiciclina para Parkinson: Antibiótico para espinhas graves pode tratar a doença, diz estudo

Imagem
Cientistas descobrem por engano que antibiótico antigo, pode tratar Parkinson

Uma descoberta que pode revolucionar o tratamento do Mal de Parkinson está a caminho. Na verdade, seria uma redescoberta, já que o medicamento já existe. Trata-se de um antibiótico para tratar espinhas graves. É isso mesmo, usar a doxiciclina para parkinson, poderá ser uma realidade em menos de 10 anos.


Por quê? Porque a descoberta envolve um medicamento antimicrobiano que já é usado, ou seja, a etapa dos "testes em humanos" -- mais especificamente os testes de toxicidade -- não será necessária.

Como se deu a descoberta para o uso da doxiciclina para Parkinson?
Os cientistas estavam tentando induzir a doença (Mal de Parkinson) em ratos e segundo os cientistas:

“Para nossa surpresa, dos 40 animais que receberam a 6-OHDA (droga para provocar a doença), apenas 2 desenvolveram sintomas de parkinsonismo, enquanto os restantes permaneceram saudáveis“, explica o cientista.“Uma técnica do laboratório percebeu…

Jejum pode prevenir Parkinson e Alzheimer e beneficiar diabéticos

Segundo estudos realizados pelo National Institute on Aging, o jejum pode prevenir Parkinson e Alzheimer, ou seja, fazer jejum por um ou dois dias por semana pode proteger o cérebro contra doenças degenerativas como mal de Parkinson ou de Alzheimer.

“Reduzir o consumo de calorias pode ajudar o cérebro, mas isso não será o bastante para oferecer uma proteção adequada,” disse Mark Mattson, líder do laboratório de neurociências do Instituto, durante o encontro anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, em Vancouver. E acrescenta:

“É melhor o jejum completo por um dia ou dois dias por semana e comer tudo o que quiser nos outros cinco dias [cuidado com o 'tudo que quiser']. Do ponto de visto psicológico, descobrimos que esse é o melhor sistema.

"Se você sabe que pode comer o que quiser e o tanto que quiser durante cinco dias, será mais fácil ficar sem comer por um ou dois dias,” completou Mattson.

Mas, cuidado, esse não é um jejum extrito
A simples redução do cons…

Neupro: medicamento transdérmico para o Parkinson

Imagem
O primeiro medicamento transdérmico para doença de Parkinson chega ao mercado brasileiro e se chama Neupro.

Chegou ao mercado farmacêutico brasileiro um novo tratamento medicamentoso para a doença de Parkinson – doença que afeta o sistema motor e provoca rigidez e tremores.


O medicamento transdérmico para a doença de Parkinson, Neupro, está disponível em mais de 40 países, chama-se Neupro e é o primeiro e único administrado por via transdérmica para essa indicação.

Leia também: Estereotaxia: Menos tremores para os portadores do Mal de Parkinson.

Produzido pelo laboratório UCB, o novo medicamento para o Mal de Parkinson vem em formato de adesivo que é aplicado sobre a pele, liberando a medicação de forma estável e contínua no decorrer de 24 horas. Ao redor do mundo, já são mais de 190 mil pacientes tratados com Neupro.

A alta adesão ao tratamento com Neupro se deve ao fato de, por ser transdérmico, não há passagem pelo trato gastro-intestinal, o que poderia causar náuseas. Em casos mais…

Descoberta substância que impede evolução de doenças degenerativas

Imagem
Pesquisadores ingleses (Universidade de Leicester) descobriram uma capaz de impedir a evolução de doenças neurodegenerativas, como Mal de Parkinson e Alzheimer. Foi a primeira vez que se conseguiu impedir a degeneração do cérebro em um ser vivo. A pesquisa foi feita e ratos de laboratório.

" Descoberta substância que impede evolução de doenças degenerativas"

Os cientistas criaram um composto que bloqueia os sistemas de defesa do nosso organismo. A função dos sistemas de defesa é a de proteger o corpo dos agressores que vêm de fora, mas em pessoas com doenças degenerativas, eles atacam as próprias células do corpo, como as células do cérebro, os neurônios.

No entanto, os ratos apresentaram efeitos colaterais, que tiveram o pâncreas atacado e fez os ratos desenvolverem diabetes. Sendo assim, ainda falta muito para um remédio estar disponível nas farmácias. O novo desafio é produzir um remédio com ação apenas no cérebro e sem contra-indicações.

Artigos relacionados (tudo o que …

Estereotaxia: Menos tremores para os portadores do Mal de Parkinson

Imagem
Este artigo trata dos assuntos: Estereotaxia - Menos tremores no Parkinson - Instituto do Cérebro Paulo Niemeyer - vários artigos sobre Parkinson.

O que considero mais fantástico na medicina (ou na saúde em geral, inclusive na farmacologia) é que à medida que novas descobertas são feitas, mais e mais doenças - até então - consideradas incuráveis, podem ser totalmente curáveis. Dois exemplos que considero clássicos são a lepra (que hoje se chama hanseníase) e a tuberculose, 100% curáveis. Um exemplo mais recente é o câncer, que, se antes era sentença de morte, hoje já pode ser curado em muitos e muitos casos.

Uma das doenças atuais que está partindo para esse caminho é o Mal de Parkinson, cujas recentes descobertas dão não só mais qualidade de vida para o doente, como também uma esperança de - por que não dizer - cura total, ainda que não aconteça a curto prazo. No entanto, estou certa que estamos no caminho certo...

Abaixo, uma reportagem impressionante sobre o Mal de Parkinson, lemb…

Parkinson: Tratamento com estímulos elétricos

Uma cirurgia para estimular o cérebro de pacientes com Parkinson por meio de descargas elétricas, até então restrita a hospitais universitários, ganha acesso público no Hospital de Transplantes, na capital paulista.

Conhecida como DBS, a técnica consiste em colocar eletrodos em regiões profundas do cérebro para melhorar a atividade do órgão e reduzir os sintomas comuns como rigidez e tremores.

Com duração de 4 horas, a operação, com preço estimado em R$ 100 mil, pode agora ser recomendada a clientes da rede pública, desde que seja indicada pelo médico como melhor solução para o caso.
Para 70% dos parkinsonianos, o tratamento com medicamentos é suficiente para dar conta do avanço da doença e dos sintomas. Porém, o restante necessita de alternativas para controlar a doença. Somente 10% dos portadores são considerados ideais para passar pela cirurgia.

"Entre 80% e 90% dos pacientes que realizaram a operação deixam de apresentar sintomas após o procedimento, posteriormente acompanhad…

Remédios para mal de Parkinson prejudicam funcionamento do cérebro...

...Mas os pacientes executam tarefas simples melhor do que pessoas saudáveis

Remédios contra o mal de Parkinson, usados para tratar os danos na função motora dos pacientes, afetam também a parte cognitiva do cérebro. Essa é a conclusão de uma pesquisa realizada por pesquisadores da Universidade de Queen’s, no Canadá.

Segundo Douglas Munoz, da Universidade de Queen’s (Canadá) e um dos autores do estudo, o objetivo da pesquisa é identificar a influência do mal de Parkinson na parte cognitiva do cérebro. Essa região é responsável por questões como memória, aprendizado, conhecimento, dentre outras.

- Geralmente nós pensamos que o mal de Parkinson é uma doença da função motora. Mas o problema é que o mesmo circuito pode afetar funções cognitivas, como o planejamento e a tomada de decisão.


Os pesquisadores canadenses descobriram ainda que os pacientes respondem melhor a tarefas automáticas simples do que as pessoas que não têm a doença. Apesar disso, as pessoas com mal de Parkinson enfrenta…

Mal de Parkinson - Alimentação ideal

Imagem
Alimentação no Mal de Parkinson
Na doença de Parkinson, a importância de uma alimentação correta é fundamental para a manutenção do bem-estar e da saúde geral do paciente. Com um regime alimentar adequado, obtem-se mais energia, a medicação poderá ter ação mais efetiva e a qualidade de vida poderá ser muito melhor.
Recomendações para prevenção da obstipação intestinal no Mal de Parkinson
A obstipação intestinal (intestino preso) ocorre freqüentemente na doença de Parkinson por duas razões principais:

1 - Efeito de certas medicações usadas no tratamento que diminuem os movimentos peristálticos do intestino
2 - Degeneração dos nervos do trato gastrintestinal como parte do processo degenerativo da doença de Parkinson



As fibras são consideradas benéficas para a saúde do intestino pois regularizam os movimentos peristálticos, aumentam o volume das fezes e evitam várias doenças intestinais como a obstipação, diverticulose, câncer, hiperproteinemia e diabetes. As fibras constituem a parte da c…

Parkinson - novo tratamento descoberto por brasileiro

Mal de Parkinson, neurocientista brasileiro fez novos tratamentos para tratar o mal de Parkinson. Aqui você vai ler sobre essa novidade e sobre os tratamentos e medicamentos tradicionais, levodopa, carbidopa e entacapona para tratar o mal de Parkinson.

Parkinson - novo tratamento descoberto por brasileiro
A revista científica Science publicou na capa, nesta semana, o resultado de uma pesquisa comandada por um brasileiro, nos Estados Unidos.

O estudo ganhou destaque porque, com ratos, chegou a resultados positivos no tratamento de uma doença que atinge milhões de pessoas no mundo inteiro.

O neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis encontrou um caminho alternativo na medicina para tratar o mal de Parkinson.

A doença destrói células nervosas produtoras de dopamina, um neurotransmissor essencial para o controle motor do corpo. O tratamento usado hoje para reduzir os sintomas é uma cirurgia no núcleo do cérebro, considerada de altíssimo risco: um sangramento pode ser fatal.

Com ajuda de c…

Estudo liga deficiência de vitamina D a Mal de Parkinson

Imagem
Um estudo conduzido por pesquisadores americanos sugere que pessoas que sofrem do Mal de Parkinson têm deficiência de vitamina D.


A equipe, da Universidade de Emory, examinou os níveis de vitamina D em 100 pessoas com Parkinson, 100 com Mal de Alzheimer e 100 idosos saudáveis.



Eles perceberam que 55% dos pacientes de Parkinson tinham níveis insuficientes de vitamina D, em comparação com 41% dos pacientes com Alzheimer e 36% dos idosos saudáveis.

Os especialistas, cujo estudo foi publicado na revista especializada Archives of Neurology, não souberam explicar se a deficiência da vitamina é a causa da doença ou resultado dela.

A vitamina D pode ser encontrada em alguns alimentos como salmão e atum, mas sua principal fonte de absorção é a luz do sol.

Entretanto, a habilidade de processar a vitamina diminui com a idade, fazendo com que os idosos fiquem mais vulneráveis à deficiência.

Teorias

Uma das teorias científicas defende que pessoas com Parkinson ficam particularmente vulneráveis à fal…