Postagens

Mostrando postagens com o rótulo saúde pública

Transtorno dos jogos eletrônicos: perguntas e respostas

Imagem
Perguntas e respostas: transtorno dos jogos eletrônicos

O transtorno dos jogos eletrônicos (tradução livre de gaming disorder) é definido no rascunho da 11ª Revisão da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-11) como um padrão comportamental que prejudica a capacidade de controlar a prática de jogos eletrônicos, de modo a priorizá-los em detrimento de outras atividades – ao ponto que o jogo se torna mais importante que outros interesses e atividades diárias.


Também é caracterizado pela continuidade ou intensificação do ato de jogar, mesmo com a ocorrência de consequências negativas.

Para que o transtorno dos jogos eletrônicos seja diagnosticado, o padrão de comportamento deve ser de gravidade suficiente para resultar em um comprometimento significativo nas áreas de funcionamento pessoal, familiar, social, educacional, profissional ou outras áreas importantes de funcionamento, e deve ser observado regularmente por pelo menos 12 meses.

Pe…

Com uso recreativo, maconha pode se tornar um problema de saúde pública

Imagem
ONU diz que liberalização de maconha na América Latina reduz percepção de riscos do consumo...


... Isso pra mim (Renata) sempre foi óbvio e não entendo como algumas pessoas não enxergam assim. A matéria do G1 que traz o assunto é muito interessante, de fácil e rápida leitura. Confira! Algo que sempre penso é: com a liberação da maconha, além de bafômetro, deveremos criar um maconhômetro ou laricômetro? Pense nisso!

 ➤➤ Leia mais sobre: #maconha#drogas#saúde pública

* eu jamais incentivarei seu uso, apenas o "feitio de medicamentos" à base de...

Programa de líderes em saúde 2018 - OPAS/OMS

Imagem
OPAS convoca profissionais das Américas a participar do programa de líderes em saúde 2018

Já está aberta a chamada para se candidatar ao Programa de Líderes em Saúde Internacional Edmundo Granda Ugalde (PLSI) 2018. Podem se inscrever, até 15 de fevereiro deste anos, profissionais das Américas com experiência gerencial ou executiva em saúde pública, relações internacionais e áreas afins.

Em quase uma década, mais de 420 profissionais receberam treinamentos de liderança por meio dessa iniciativa idealizada pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS). A sessão de 2018 começará no início de maio.


Atividades

Os candidatos selecionados participarão de atividades virtuais de aprendizagem com a coordenação do Escritório da Organização em seus países de origem. Durante esse período, permanecerão trabalhando em suas respectivas instituições. Também haverá uma reunião presencial com outros participantes e a equipe técnica do programa.

Nesse encontro, todos trab…

OMS x Philip Morris: Saía justa na saúde!

Imagem
Posicionamento da OMS sobre fundação financiada pela Philip Morris para um “mundo livre de tabagismo”

A empresa de tabaco Philip Morris International (PMI) anunciou seu apoio ao estabelecimento de uma nova entidade – a Foundation for a Smoke-Free World (fundação para um mundo livre de tabagismo, em português). A PMI indicou que espera apoiar a iniciativa com aproximadamente US$ 80 milhões por ano nos próximos 12 anos.



A Assembleia Geral da ONU reconheceu um "conflito de interesses fundamental entre a indústria do tabaco e a saúde pública". A Organização Mundial da Saúde (OMS) não se envolve com a indústria do tabaco ou com atores não estatais que trabalham para promover seus interesses, por isso o organismo internacional não se envolverá com esta nova Fundação.

O artigo 5.3 da Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco (CQCT) obriga as Partes a agirem para proteger as políticas de saúde pública dos interesses comerciais e outros interesses da indústria do tabaco, de ac…

Impactos das alterações climáticas na saúde pública

Imagem
EUA alertam sobre perigos das alterações climáticas para a saúde pública.

O governo dos Estados Unidos publicou nesta semana os resultados de um estudo que conclui que as alterações climáticas terão efeitos nocivos na saúde pública da população nas próximas décadas.

Desenvolvido durante três anos por órgãos federais, o estudo mostra que no verão de 2030 serão registradas cerca de 11 mil mortes, em comparação com os números atuais, por causa do “calor extremo”, e que em 2100 o número de mortes devido às altas temperaturas chegará a 27 mil, caso não seja feito um esforço “acelerado” para conter as alterações climáticas.


A Casa Branca citou o aumento das doenças transmitidas por insetos e a redução do valor nutricional dos alimentos como exemplos de perigos derivados das mudanças climáticas para os seres humanos.

"A necessidade de passar à ação contra as alterações climáticas é muito explícita quando se olha para a saúde pública. Não se trata apenas dos glaciares e dos ursos polare…

Doenças do século 19 ainda são desafios para a saúde pública no Brasil

Imagem
O mesmo Sistema Único de Saúde (SUS) que fez mais de 22 mil cirurgias de transplantes de órgão e lida diariamente com doenças relacionadas a um novo estilo de vida imposto pela modernidade do século 21 - corrido e ao mesmo tempo sedentário -, ainda precisa prestar atendimento a pessoas com enfermidades que se expandiram desde o século 19.

Leia mais sobre saúde pública!
Doenças do século 19 ainda são desafios para a saúde pública no Brasil
De acordo com a pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Tânia Araújo Jorge, as chamadas “doenças negligenciadas” têm um determinante social muito forte e suas sequelas alimentam o círculo da pobreza.

“Renda, condições de educação, de saneamento e água influenciam bastante na permanência dessas doenças, por isso são consideradas doenças relacionadas à pobreza”, explica Tânia. As doenças negligenciadas consideradas prioritárias pelo governo federal são dengue, doença de Chagas, leishmaniose, malária, esquistossomose, hanseníase e tuberculose.…

Ônibus terão propapandas de promoção à saúde

Seguridade aprova propaganda de saúde pública em ônibus

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou na última quarta-feira (10) proposta que obriga as empresas de transporte coletivo urbano a divulgar em seus veículos mensagens publicitárias de promoção à saúde e de prevenção a doenças. Pelo texto, as empresas deverão reservar 15% de seu espaço publicitário para essas mensagens.

"Osmar Terra: divulgação de informações como forma de prevenir doenças."
A proposta aprovada foi o substitutivo do relator, deputado Osmar Terra (PMDB-RS), ao Projeto de Lei 2808/08, do deputado Silas Câmara (PSC-AM).



Originalmente, o texto previa apenas propagandas contra o fumo e de prevenção a doenças epidêmicas e DSTs. O relator estendeu a medida para todas as mensagens de promoção à saúde.

“Campanhas de saúde serão sempre positivas. A disseminação de informações mostra-se instrumento imprescindível para a prevenção de doenças”, disse.

A proposta foi rejeitada pela Comissão de Viação e Tran…

Bolsa-Família não vence extrema pobreza

Bolsa-Família não vence extrema pobreza

Estudo encomendado pelo governo aponta que o programa Bolsa-Família não garante que famílias das regiões Norte e Nordeste superem a condição de pobreza extrema, na qual os membros da família recebem pelo menos R$ 70 por mês cada um. Segundo reportagem do Estadão, cerca de 7,5 milhões de famílias beneficiárias do Nordeste e do Norte têm renda média de R$ 65,29 e R$ 66,21.

De acordo com o ministério do Desenvolvimento Social, mais de 2 milhões das 12,4 milhões de famílias que recebem o bolsa-família ainda são consideradas extremamente pobres.

O conteúdo do http://www.saudecomciencia.com/ é informativo e educativo. Não exclui consulta com profissional habilitado.